Portal NippoBrasil - OnLine - 19 anos
Quarta-feira, 13 de novembro de 2019 - 10h39
  Empregos no Japão

  Busca
 

SEÇÕES
Comunidade
Opinião
Circuito
Notícias
Agenda
Dekassegui
Entrevistas
Especial
-
VARIEDADES
Aula de Japonês
Automóveis
Artesanato
Beleza
Bichos
Budô
Comidas do Japão
Cultura-Tradicional
Culinária
Haicai
História do Japão
Horóscopo
Lendas do Japão
Mangá
Pesca
Saúde
Turismo-Brasil
Turismo-Japão
-
ESPORTES
Copa 2014
-
ESPECIAIS
Imigração
Tratado Amizade
Bomba Hiroshima
Japan House
Festival do Japão
-
COLUNAS
Conversando RH
Mensagens
Shinyashiki
-
CLASSIFICADOS
Econômico
Empregos BR
Guia Profissionais
Imóveis
Oportunidades
Ponto de Encontro
-
INSTITUCIONAL
Redação
Quem somos
-
Arquivo NippoBrasil - Edição 305 - 6 a 12 de abril de 2005
 
Wagashi – doces japoneses
Além do karagashi, doces portugueses influenciaram o preparo dos wagashi

(Fotos: Divulgação)

Desde a Restauração Meiji (1868), a cultura japonesa vem sofrendo uma forte influência ocidental. A culinária nipônica não escapou desse processo e hoje, nas casas de chá, o wagashi é cada vez menos consumido. O consumo do café e do chá preto tem superado o do tradicional chá verde japonês.

Entretanto, o wagashi é uma iguaria sempre presente nas cerimônias tradicionais do arquipélago, como o ano-novo (oshougatsu), o dia das meninas (hinamatsuri), o dia das crianças (tango no sekku) e o dia de apreciação da Lua (tsukimi).

Histórico


TRADIÇÃO - Wagashi está sempre presente na comemoração de datas importantes no Japão

Para o japonês da Antiguidade, os únicos doces conhecidos eram os frutos. Com a produção de vários tipos de cereais, nasceram o moti (bolinho de arroz) e o dango (bolinho de cereal misturado com água). O sabor doce era obtido através da seiva de uma planta chamada amazura. No século IX, os bolsistas japoneses enviados à China aprenderam e introduziram no Japão a técnica da produção de doces que eram fritos e feitos com farinha de cereais.Estes doces eram conhecidos como karagashi (doces da dinastia de Tang) e serviam principalmente como oferenda aos deuses. No século XIII, com a produção do chá verde, buscou-se o aprimoramento dos doces para acompanhá-lo. No início do século XVI, os portugueses desembarcaram no Japão e trouxeram consigo o confeito, o pão-de-ló e os biscoitos. O karagashi e os doces portugueses influenciaram na maneira de fazer os wagashi e assim surgiu na cidade de Quioto o kyogashi.

No fim do século XVI, na Era Muromachi, o ritual da cerimônia do chá tomou a forma atual e, através deste ritual, o kyogashi foi amplamente divulgado. No século XVII, na Era Edo, o fabrico do açúcar foi aperfeiçoado, e o wagashi passou a ser consumido pelas camadas populares.

 

Você sabia?



IMPORTÂNCIA - Iguaria tem até um dia próprio

O dia 16 de junho é considerado o Dia do Wagashi. A escolha desta data deve-se ao fato de que, em meados do século VIII, o então imperador distribuiu ao povo o kashi, que era utilizado somente como uma oferenda aos deuses, com a intenção de conter uma epidemia que se alastrava na época.


Os tipos de wagashi


OPÇÕES - Wagashi variam de acordo com ingredientes e preparo

Os wagashi são divididos em três tipos, de acordo com o ingrediente e o modo de preparo: namagashi (frescos): moti, ohagi, mushimanju, mushiyokan, etc.; han’namagashi (semifrescos): yokan, monaka e higashi (secos): senbei, okoshi.

• Manju – doce cuja casca é feita de farinha e é recheada de an (pasta doce de feijão azuki), originário da China. Lá, ele era recheado de carne de carneiro, boi ou de porco. Como no Japão não se tinha o costume de comer carne, ela foi substituída pelo an.

• Moti e Ohagi (apresentados na ed. 289, de 22 a 28/12/04)

• Yokan – existem três tipos de yokan:

- Neri yokan – doce feito de an mais açúcar e gelatina de alga (kanten), esta massa é sovada e colocada numa forma retangular para endurecer.
- Mizuyokan – acrescenta-se uma quantidade maior de água no preparo do neri yokan.
- Mushiyokan – o an é misturado com farinha de trigo, açúcar e levado para cozer no vapor.

• Monaka – sova-se bem o mochigome cozido e estica-se a massa até ela ficar bem fininha. Esta massa é assada e depois recheada com an.

• Senbei – podem ser feitos com farinha de trigo ou farinha de arroz. A massa é cortada em formatos diferentes e acrescida de açúcar, ovo, xarope de amido, missô ou shoyu e é levada para assar.

• Okoshi – prepara-se como pipoca, mas, ao invés de milho, usa-se o arroz, que passa por uma caramelização.

História da Culinária
Arquivo Nippo - Edição 353
Hambaagu
Arquivo Nippo - Edição 351
Omuraisu
Arquivo Nippo - Edição 315
Yakiimo
Arquivo Nippo - Edição 313
Okonomiyaki
Arquivo Nippo - Edição 311
Takoyaki
Arquivo Nippo - Edição 309
Lámen
Arquivo Nippo - Edição 307
Curry (Karê no Japão)
Arquivo Nippo - Edição 305
Wagashi – doces japoneses
Arquivo Nippo - Edição 303
História do tsukemono
Arquivo Nippo - Edição 301
Obentô, a marmita japonesa
Arquivo Nippo - Edição 293
Osechi ryori
Arquivo Nippo - Edição 291
Ozouni
Arquivo Nippo - Edição 289
Moti
Arquivo Nippo - Edição 287
Soba
Arquivo Nippo - Edição 285
Menrui-Udon
Arquivo Nippo - Edição 283
Donburimono
Arquivo Nippo - Edição 281
Sekihan
Arquivo Nippo - Edição 279
Onigiri
Arquivo Nippo - Edição 277
Arroz
Arquivo Nippo - Edição 275
Missô
Arquivo Nippo - Edição 273
Natto
Arquivo Nippo - Edição 271
Tofu – O alimento ideal
Arquivo Nippo - Edição 269
Soja
Arquivo Nippo - Edição 267
Yosenabe
Arquivo Nippo - Edição 265
Shabu shabu
Arquivo Nippo - Edição 263
Sukiyaki
Arquivo Nippo - Edição 261
Nabemono (Caldeirada)
Arquivo Nippo - Edição 259
Sashimi - Segunda parte
Arquivo Nippo - Edição 257
Sashimi - Primeira parte
Arquivo Nippo - Edição 255
A história do inarizushi e chirashi
Arquivo Nippo - Edição 253
A história do makizushi
Arquivo Nippo - Edição 251
A história do nigirizushi
Arquivo Nippo - Edição 249
O famoso Sushi
Arquivo Nippo - Edição 109
Ohagi e Monaka
Arquivo Nippo - Edição 107
Sembei
Arquivo Nippo - Edição 106
Anpan
Arquivo Nippo - Edição 105
Nagashi
Arquivo Nippo - Edição 104
Sakuramochi
Arquivo Nippo - Edição 102
Moti - Parte 2
Arquivo Nippo - Edição 101
Moti - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 76
Kinoko (Cogumelo)
Arquivo Nippo - Edição 50
Instant Lámen
Arquivo Nippo - Edição 18
Wagashi: os saborosos biscoitos e doces tradicionais japoneses
Arquivo Nippo - Edição 01
A lenda do linguado

A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippobrasil.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2019 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados

156 usuários online