Portal NippoBrasil - OnLine - 19 anos
Quarta-feira, 16 de outubro de 2019 - 0h37
  Empregos no Japão

  Busca
 

SEÇÕES
Comunidade
Opinião
Circuito
Notícias
Agenda
Dekassegui
Entrevistas
Especial
-
VARIEDADES
Aula de Japonês
Automóveis
Artesanato
Beleza
Bichos
Budô
Comidas do Japão
Cultura-Tradicional
Culinária
Haicai
História do Japão
Horóscopo
Lendas do Japão
Mangá
Pesca
Saúde
Turismo-Brasil
Turismo-Japão
-
ESPORTES
Copa 2014
-
ESPECIAIS
Imigração
Tratado Amizade
Bomba Hiroshima
Japan House
Festival do Japão
-
COLUNAS
Conversando RH
Mensagens
Shinyashiki
-
CLASSIFICADOS
Econômico
Empregos BR
Guia Profissionais
Imóveis
Oportunidades
Ponto de Encontro
-
INSTITUCIONAL
Redação
Quem somos
-
Arquivo NippoBrasil - Edição 265 - 7 a 13 de julho de 2004
Shabu shabu

(Fotos: Ricardo Hara)


COMIDA - Shabu Shabu é um prato com carnes e verduras fatiadas

História
O shabu shabu é um prato com carnes e verduras em fatias bem finas, cozidas levemente na água fervente e temperadas com o ponzu (molho pronto a base de frutas cítricas) mais gergelim. O cozimento se dá com leves mergulhos dos ingredientes na água quente.

Na China, na região de Pequim, e na Mongólia, no inverno, as carnes, principalmente a carne de ovelha, acabavam congelando. Os chineses pegavam essa carne congelada fatiavam-na e descongelavam em água quente, temperavam com tare (molho) e comiam. Chamavam esse prato de susuginabe (leitura japonesa do nome em chinês. Susugi significa enxágüe, lavagem; e nabe, panela, caçarola). Quando foi criado o hokotsu (espécie de caçarola com chaminé), este prato passou a ser apreciado da forma atual, com as pessoas reunidas em torno da mesa e o prato preparado bem diante de seus olhos. O susuginabe foi introduzido no Japão no pós-guerra, por pessoas que viviam na China e de lá retornaram. O dono de um restaurante de ochazuke (arroz embebido em chá) e mizutaki (caldeirada de frango) de Quioto adaptou o prato ao gosto japonês e introduziu-o no cardápio.

Antes da criação do ponzu, os japoneses usavam vinagre ou kankitsurui (caldo de frutas cítricas, principalmente cidra). A palavra pon vem do holandês, que significa frutos cítricos.

 

Você sabia?

O nome shabu shabu foi dado pelo dono do restaurante Suehiro, de Osaka, que associou o som do mergulho que damos na carne para cozê-la ao do mergulho que damos nas toalhinhas para enxaguá-las. A toalhinha faz um barulho semelhante a “chapu chapu” e, por isso, o prato recebeu este nome.

A panela onde se prepara o shabu shabu possui sempre uma “chaminé”. É nessa chaminé que o calor se concentra para não queimar a mão daquele que cozinha a carne. Encostando a carne ou a verdura no bico da chaminé, o calor seca o excesso de gotas d´agua e, assim, o molho não fica ralo.

Pitadas
Ao acrescentar os seguintes ingredientes ao tare (molho) do shabu shabu, pode-se variar o seu sabor:

• Momijioroshi (ralado de nabo e cenoura): o sabor se suaviza.

• Gergelim e nozes raladas: fica mais aromático e saboroso.

• Gengibre ralado: o sabor torna-se refrescante.

• Shoyu (molho de soja) com alho: encorpa-se o sabor.

• Umejiso (ameixa japonesa e labiada): o sabor cítrico acentua-se, estimulando o apetite.


Mizutaki

O mizutaki é um prato peculiar da região de Kansai e foi introduzido no Japão em 1911, na região de Fukuoka (província japonesa). Em 1917, chegou na região de Tóquio. O frango é cortado em pedaços com a pele e cozido com legumes, sem tempero. Após sua popularização, além do frango, passou-se a utilizar o peixe ou a carne como ingrediente principal.

O mizutaki é um nabemono que ressalta o sabor próprio dos ingredientes pelo fato de não utilizar nenhum tempero. A cebolinha verde, que contém enxofre, quando cozida com a carne de porco, rica em vitamina B1, facilita a absorção desta. E quando cozido com peixe ou frango, em pedaços desossados, o colágeno que envolve os ossos se transforma em gelatina, dando ao cozido um sabor todo especial.

História da Culinária
Arquivo Nippo - Edição 353
Hambaagu
Arquivo Nippo - Edição 351
Omuraisu
Arquivo Nippo - Edição 315
Yakiimo
Arquivo Nippo - Edição 313
Okonomiyaki
Arquivo Nippo - Edição 311
Takoyaki
Arquivo Nippo - Edição 309
Lámen
Arquivo Nippo - Edição 307
Curry (Karê no Japão)
Arquivo Nippo - Edição 305
Wagashi – doces japoneses
Arquivo Nippo - Edição 303
História do tsukemono
Arquivo Nippo - Edição 301
Obentô, a marmita japonesa
Arquivo Nippo - Edição 293
Osechi ryori
Arquivo Nippo - Edição 291
Ozouni
Arquivo Nippo - Edição 289
Moti
Arquivo Nippo - Edição 287
Soba
Arquivo Nippo - Edição 285
Menrui-Udon
Arquivo Nippo - Edição 283
Donburimono
Arquivo Nippo - Edição 281
Sekihan
Arquivo Nippo - Edição 279
Onigiri
Arquivo Nippo - Edição 277
Arroz
Arquivo Nippo - Edição 275
Missô
Arquivo Nippo - Edição 273
Natto
Arquivo Nippo - Edição 271
Tofu – O alimento ideal
Arquivo Nippo - Edição 269
Soja
Arquivo Nippo - Edição 267
Yosenabe
Arquivo Nippo - Edição 265
Shabu shabu
Arquivo Nippo - Edição 263
Sukiyaki
Arquivo Nippo - Edição 261
Nabemono (Caldeirada)
Arquivo Nippo - Edição 259
Sashimi - Segunda parte
Arquivo Nippo - Edição 257
Sashimi - Primeira parte
Arquivo Nippo - Edição 255
A história do inarizushi e chirashi
Arquivo Nippo - Edição 253
A história do makizushi
Arquivo Nippo - Edição 251
A história do nigirizushi
Arquivo Nippo - Edição 249
O famoso Sushi
Arquivo Nippo - Edição 109
Ohagi e Monaka
Arquivo Nippo - Edição 107
Sembei
Arquivo Nippo - Edição 106
Anpan
Arquivo Nippo - Edição 105
Nagashi
Arquivo Nippo - Edição 104
Sakuramochi
Arquivo Nippo - Edição 102
Moti - Parte 2
Arquivo Nippo - Edição 101
Moti - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 76
Kinoko (Cogumelo)
Arquivo Nippo - Edição 50
Instant Lámen
Arquivo Nippo - Edição 18
Wagashi: os saborosos biscoitos e doces tradicionais japoneses
Arquivo Nippo - Edição 01
A lenda do linguado

A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippobrasil.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2019 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados

224 usuários online