Portal NippoBrasil - OnLine - 17 anos
Domingo, 26 de março de 2017 - 6h13
  Empregos no Japão

  Busca
 
  Seções NippoBrasil
   Comunidade
   Opinião
   Circuito
   Notícias
   Agenda
   Dekassegui
   Entrevistas
   Especial
-
  Variedades
   Aula de Japonês
   Automóveis
   Artesanato
   Beleza
   Bichos
   Budô
   Cultura-Tradicional
   Culinária
   Haicai
   História do Japão
   Horóscopo
   Lendas do Japão
   Mangá
   Pesca
   Saúde
   Turismo-Brasil
   Turismo-Japão
-
  Esportes
   Copa do Mundo 2014
   Copa das
 Confederações 2013
-
  Especiais
   Imigração Japonesa
   120 anos de Amizade  Japão-Brasil
   Bomba de Hiroshima
   Festival do Japão 2016
-
 Colunas
   Conversando de RH
   Mensagens
     Roberto Shinyashiki
-
 Veja mais  Classificados
   Econômico
   Empregos no Brasil
   Guia Profissionais
   Imóveis
   Oportunidades
   Ponto de Encontro
-
  Interatividade
   Fale com a Redação
-
  Institucional
   Quem somos


Arquivo NippoBrasil - Edição 283 - 10 a 16 de novembro de 2004
Donburimono
Se o sanduíche é para nós, brasileiros, um lanche rápido,
para os japoneses, ele corresponde ao donburimono

INÍCIO - O unadon foi o precursor do donburimono, invenção
apropriada para a vida corrida dos habitantes de Edo
 

(Fotos: Ricardo Hara/RH Fotografias)

Versátil e prático, o donburimono consiste em arroz branco na tigela (donburi, em japonês) coberto com algum tipo de ingrediente (carne bovina, suína, frango ou peixe e legumes) e molho à base de shoyu e açúcar.

A sua origem remonta à Era Muromachi (1392–1573), época em que o prato houhan, também conhecido como kazarimeshi (literalmente, arroz enfeitado), era servido com vários ingredientes postos sobre o arroz. Esta iguaria prática e bela era servida pela alta sociedade aos seus convidados. Originariamente, o houhan era um prato servido nos templos budistas aos seus monges. As tiras finas de legumes temperados eram colocadas sobre o arroz branco, levando em consideração a estética do prato. As cinco cores dos ingredientes deveriam seguir a filosofia chinesa dos elementos da natureza yin-yang.

Dizem que o primeiro donburimono servido à classe popular foi o unadon (arroz com enguia gelhada), no período Bunka Bunsei (1804–1830), da Era Edo (1600–1867). O patrocinador de peças teatrais Imasuke Okubo era um grande apreciador de unagi no kabayaki (enguia assada com molho à base de shoyu e açúcar), entretanto, não tendo tempo para ir ao restaurante saborear o prato, resolveu pedir que entregassem o kabayaki sobre o arroz quente. Esta invenção passou a ser apreciada com grande sucesso pelos muitos freqüentadores do teatro. Sendo um prato delivery, o kabayaki incentivou o surgimento, também nessa época, do waribashi (tipo de hashi descartável, par de palitinhos unidos em uma das extremidades que é separada ao utilizá-lo).

O donburimono foi difundido na cidade de Edo (antiga capital do Japão) que agregava muitos samurais e trabalhadores do interior, principalmente homens solteiros. A maioria deles era impaciente, não tinha tempo a perder, era sempre atarefada e precisava alimentar-se depressa, colaborando para o surgimento dos pratos rápidos.

Alguns tipos de donburimono que conhecemos hoje surgiram a partir da Era Meiji (1868–1912), tais como o oyakodon (arroz com frango e ovo), o tendon (arroz com tempurá, isto é, legumes e camarão empanados) e o gyuudon (arroz com carne bovina). O tekkadon (arroz com sashimi de atum) e o katsudon (arroz com carne de porco à milanesa) surgiram respectivamente no início e no final da Era Taisho (1912–1926).

Dentre os vários tipos de donburimono, o mais popular e o mais apreciado pelo povo era o gyuudon do restaurante Yoshinoya. Apesar do grande sucesso, este prato acabou sendo suspenso do cardápio, devido ao surto da doença da vaca louca. O gyuudon é preparado com fatias finas de carne bovina e cebolas cozidas no caldo temperado com shoyu e açúcar e colocado sobre o arroz branco.

Dizem que o gyuudon surgiu na Era Meiji, época em que os japoneses saboreavam muito o sukiyaki. O caldo do sukiyaki que sobrava no fundo da panela era misturado ao arroz para aproveitar ao máximo os nutrientes da carne. Outra versão sobre a origem do gyuudon conta que o proprietário de um restaurante nas proximidades do mercado de peixe de Tsujiki (Tóquio), para atender prontamente os atarefados trabalhadores durante o horário de almoço, teve a idéia de servir o sukiyaki sobre o arroz branco na tigela.

 

Você sabia?



PREPARO - O oyakodon utiliza frango e ovo

Há várias versões para o termo donburi

A denominação oyakodon vem da utilização do frango (oya = pais) e do ovo (ko = filhos). Quando os ingredientes são a carne de porco ou de boi com ovo, o prato é chamado de tanindon (tanin = estranho à família). Na província de Hokkaido, os ingredientes usados para o oyakodon são salmão e ikura (ovas de salmão).

Há várias versões para a origem do termo donburi (tigela). A idéia do kanji (ideograma) donburi
() vem da semelhança do kanji ido (). Ao jogar uma pedra no poço, ouve-se o som “dobun” vindo do fundo do poço, daí o traço que verificamos no meio do kanji i (), que representa o ato da queda da pedra no poço. Dizem também que uma pequena tigela conhecida como tanparu, utilizada na Coréia, foi trazida ao Japão sofrendo uma adaptação fonética para donburi.

Outra versão seria que, na Era Edo, o prato era servido na tigela, sem nenhum acompanhamento, e era cobrado como porção individual; o atendente servia-o sem delicadeza, de forma brusca. Assim, o prato passou a ser chamado de kendon (cujo som remete ao termo avarento) e, mais tarde, como donburi.


ADAPTAÇÃO - Tanparu veio da Coréia e transformou-se em donburi no Japão
 
História da Culinária
Arquivo Nippo - Edição 289
Moti
Arquivo Nippo - Edição 287
Soba
Arquivo Nippo - Edição 285
Menrui-Udon
Arquivo Nippo - Edição 283
Donburimono
Arquivo Nippo - Edição 281
Sekihan
Arquivo Nippo - Edição 279
Onigiri
Arquivo Nippo - Edição 277
Arroz
Arquivo Nippo - Edição 275
Missô
Arquivo Nippo - Edição 273
Natto
Arquivo Nippo - Edição 271
Tofu – O alimento ideal
Arquivo Nippo - Edição 269
Soja
Arquivo Nippo - Edição 267
Yosenabe
Arquivo Nippo - Edição 265
Shabu shabu
Arquivo Nippo - Edição 263
Sukiyaki
Arquivo Nippo - Edição 261
Nabemono (Caldeirada)
Arquivo Nippo - Edição 259
Sashimi - Segunda parte
Arquivo Nippo - Edição 257
Sashimi - Primeira parte
Arquivo Nippo - Edição 255
A história do inarizushi e chirashi
Arquivo Nippo - Edição 253
A história do makizushi
Arquivo Nippo - Edição 251
A história do nigirizushi
Arquivo Nippo - Edição 109
Ohagi e Monaka
Arquivo Nippo - Edição 107
Sembei
Arquivo Nippo - Edição 106
Anpan
Arquivo Nippo - Edição 105
Nagashi
Arquivo Nippo - Edição 104
Sakuramochi
Arquivo Nippo - Edição 102
Moti - Parte 2
Arquivo Nippo - Edição 101
Moti - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 76
Kinoko (Cogumelo)
Arquivo Nippo - Edição 50
Instant Lámen
Arquivo Nippo - Edição 18
Wagashi: os saborosos biscoitos e doces tradicionais japoneses
Arquivo Nippo - Edição 01
A lenda do linguado

A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippobrasil.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2017 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados - www.nippo.com.br

94 usuários online


Redação: editor@nippo.com.br

Diretoria: diretoria@nippo.com.br

Vendas: anuncie@nippo.com.br

Tel: (11) 9 5371 4019 (TIM)

Mais contatos e envio de releases