Portal NippoBrasil - OnLine - 19 anos
Segunda-feira, 13 de julho de 2020 - 17h06
  Empregos no Japão

  Busca
 

SEÇÕES
Comunidade
Opinião
Circuito
Notícias
Agenda
Dekassegui
Entrevistas
Especial
-
VARIEDADES
Aula de Japonês
Automóveis
Artesanato
Beleza
Bichos
Budô
Comidas do Japão
Cultura-Tradicional
Culinária
Haicai
História do Japão
Horóscopo
Lendas do Japão
Mangá
Pesca
Saúde
Turismo-Brasil
Turismo-Japão
-
ESPORTES
Copa 2014
-
ESPECIAIS
Imigração
Tratado Amizade
Bomba Hiroshima
Japan House
Festival do Japão
-
COLUNAS
Conversando RH
Mensagens
Shinyashiki
-
CLASSIFICADOS
Econômico
Empregos BR
Guia Profissionais
Imóveis
Oportunidades
Ponto de Encontro
-
INSTITUCIONAL
Redação
Quem somos
-
Arquivo NippoBrasil - Edição 284 - 17 a 23 de novembro de 2004
 
• Era Kamakura (parte 4)
Novo budismo em Kamakura

Popularização do budismo facilitou o surgimento de seitas religiosas que tinham diversas particularidades e, em comum, a busca pela salvação
 

 


RELIGIÃO - As novas seitas budistas criadas na Era Kamakura não exigiam prática rigorosa

Arquivo NippoBrasil

A Era Kamakura, liderada por samurais, caracterizou-se pelo surgimento de novas tendências religiosas e pelas intensa busca de apoio espiritual, levando o budismo até o povo. Até a Era Heian (794~1192), essa forma de religião era praticada quase que exclusivamente pelos nobres. Com a popularização da crença budista, entretanto, surgiram várias seitas denominadas “Novo Budismo de Kamakura”.

O aparecimento de novas seitas foi impulsionado pela idéia de fim do mundo (mappô shisô) que se espalhou em fins da Era Heian, provocada pela instabilidade social – conseqüência da guerra entre os clã Taira e Minamoto –, a miséria e as calamidades.

Os monges Eisai (1141~1215) e Douguen (1200~1253) estudaram na China (Dinastia Sung) a seita Zen, que prega a meditação para atingir o nirvana e, quando voltaram ao Japão, fundaram respectivamente as seitas Rinzai-shû e Sôtô-shû.

Shinran (1173~1262), discípulo do monge Hônen (1133~1212), fundou a seita Jôdo-shinshû e, na época do ataque dos mongóis, o monge Nichiren (1222~1282) fundou a seita Nichiren-shû, que pregava a salvação da alma e do país.

Todas essas novas seitas têm em comum a simplicidade e a ausência de prática ascética rigorosa, tornando possível a qualquer pessoa o seu exercício para encontrar a salvação da alma humana.

A seita Zen

Rinzai-shû, facção da seita Zen, tinha características esotéricas, e seus monges eram vistos mais como uma espécie de curandeiros.

A difusão da genuína seita Zen foi promovida entre os samurais com a vinda do monge chinês Rankei Dôryu, em 1247. Ele pregava o ensinamento do zen-budismo chinês seguindo à risca os seus preceitos, conquistando muitos fiéis entre os samurais, que tinham em comum a filosofia de vida austera e despojada de luxo.

A seita Zen na China tinha o respaldo da classe alta, tendo um conteúdo bastante elevado e de influência confuciana. Assim, mesmo no Japão, a seita Zen encontrou adeptos entre os samurais da classe alta.

A seita Jôdo (Terra Pura)

A seita Jôdo, que começou a se difundir entre o povo a partir de fins da Era Heian, adquiriu novo alento na Era Kamakura. Diferindo da seita Zen, que exige uma disciplina rigorosíssima, aos fiéis da seita Jôdo, bastava ter uma crença incondicional em Buda e rezar com todo o fervor para obter a salvação.

O monge Shinran, fundador da seita Jôdo-shinshû, pregava a salvação de todos, seja malfeitores seja prostitutas. Provavelmente esse tipo de pregação conquistou também os samurais que viviam entre a vida e a morte. Esses guerreiros precisavam do ensinamento da seita Zen para se disciplinar, mas também precisavam acreditar que conseguiriam a salvação da alma após a sua morte. Assim, nos templos da seita Jôdo existentes em Kamakura, observam-se as influências da seita Zen; e nos de seita Zen, as influências da seita Jôdo.

A seita Nichiren-shû

O monge Nichiren, filho de um pescador de Awa (atual província de Tokushima, Ilha de Shikoku), estudou o budismo em Hieizan, Quioto, e mudou-se para Kamakura a fim de divulgar o ensinamento da sutra de Hokekyô, o budismo Mahayana. Ele criticava duramente o ensinamento da seita Jôdo, que pregava apenas a oração, profetizando a invasão do Japão por uma nação estrangeira e a revolta desta. Essa profecia acabou se concretizando com a tentativa da invasão mongol e a revolta de Hôjo Tokiura. Porém, por causa das críticas ao xogunato e a outras seitas, Nichiren foi exilado para Izu e, mesmo após a anistia e a volta para Kamakura, continuou com suas críticas, sendo novamente exilado, dessa feita, para a Ilha de Sado. Após sua segunda anistia, dedicou-se à educação de seus discípulos no Templo Kuon, no Monte Minobu, província de Yamanashi.

A seita Nichiren-shû é a única que leva o nome do seu fundador, demonstrando quanto ele era venerado por seus seguidores. Até hoje, os fiéis fazem romaria ao Monte Minobu, onde se encontra o seu túmulo, fato raro também na história do Japão.

O grande Buda de Kamakura

O gigantesco Buda de Kamakura, o segundo maior do Japão, feito de bronze com 11,5 m de altura, é envolto em muitos mistérios. Supõe-se que tenha sido construído por volta de 1252 por um escultor da linhagem de Unkei, grande escultor da Era Kamakura. Comparado ao grande Buda do Templo Tôdai-ji (cidade de Nara), o maior do Japão, ele possui feição mais suave e sua postura mais curvada causa a impressão de estar ouvindo atentamente as orações dos seus fiéis.

História do Japão
Arquivo Nippo - Edição 284
Era Kamakura (parte 4) - Novo budismo em Kamakura
Arquivo Nippo - Edição 282
Era Kamakura (parte 3) - Habitações da cidade medieval de Kamakura
Arquivo Nippo - Edição 280
Era Kamakura (parte 2) - Yoshitsune, Benkei e Shizuka-gozen
Arquivo Nippo - Edição 278
Era Kamakura (parte 1) - Consolidação da política dos samurais
Arquivo Nippo - Edição 276
Era Heian - Parte 4
Era Heian e o budismo
Arquivo Nippo - Edição 274
Era Heian - Parte 3
Hiragana e a literatura
Arquivo Nippo - Edição 272
Era Heian - Parte 2
O surgimento dos samurais
Arquivo Nippo - Edição 270
Era Heian - Parte 1
Os grandes latifúndios
Arquivo Nippo - Edição 268
Era Nara - Parte 2
O despontar das literaturas
Arquivo Nippo - Edição 266
Era Nara - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 264
Príncipe Shôtoku
Arquivo Nippo - Edição 262
Era Asuka
Arquivo Nippo - Edição 260
Era Kofun - Tumbas: símbolos de poder
Arquivo Nippo - Edição 258
Rainha Himiko
A lendária rainha de Yamatai
Arquivo Nippo - Edição 256
Era Yayoi - Desenvolvimento japonês
Arquivo Nippo - Edição 254
A criação do mundo segundo a mitologia japonesa
Arquivo Nippo - Edição 252
O Alvorecer do Japão
Arquivo Nippo - Edição 250
Cronologia: As eras no Japão
Mitologia
Arquivo Nippo - Edição 106
Jinmu Tenno - O Primeiro Imperador do Japão - Parte 2
Arquivo Nippo - Edição 105
Jinmu Tenno - O Primeiro Imperador do Japão - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 96
Caminhar sobre as águas
Arquivo Nippo - Edição 95
Verão: Ode à Hototoguissu
Parte Final
Arquivo Nippo - Edição 94
Verão: Ode à Hototoguissu
Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 96
Haruyama e Akiyama
Parte Final
Arquivo Nippo - Edição 95
Haruyama e Akiyama
Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 94
Haruyama e Akiyama
Prólogo
Arquivo Nippo - Edição 93
O chapéu ouvidor
Arquivo Nippo - Edição 92
A flor da honestidade
Parte 2
Arquivo Nippo - Edição 91
A flor da honestidade
Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 90
Tarai Kaburi Hime: A Princesa Cabeça de Tina - Parte 2
Arquivo Nippo - Edição 89
Tarai Kaburi Hime: A Princesa Cabeça de Tina - Parte 1


A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippo.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2020 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados