Portal NippoBrasil - OnLine - 19 anos
Domingo, 03 de julho de 2022 - 5h40
  Empregos no Japão

  Busca
 

SEÇÕES
Comunidade
Opinião
Circuito
Notícias
Agenda
Dekassegui
Entrevistas
Especial
-
VARIEDADES
Aula de Japonês
Automóveis
Artesanato
Beleza
Bichos
Budô
Comidas do Japão
Cultura-Tradicional
Culinária
Haicai
História do Japão
Horóscopo
Lendas do Japão
Mangá
Pesca
Saúde
Turismo-Brasil
Turismo-Japão
-
ESPECIAIS
Imigração
Tratado Amizade
Bomba Hiroshima
Japan House
Festival do Japão
-
COLUNAS
Conversando RH
Mensagens
Shinyashiki
-
CLASSIFICADOS
Econômico
Empregos BR
Guia Profissionais
Imóveis
Oportunidades
Ponto de Encontro
-
INSTITUCIONAL
Redação
Quem somos
-
Arquivo NippoBrasil - Edição 202 - 16 a 22 de abril de 2003
 
A mão e a ira - Parte 1
Lenda da Província de Okinawa

Adaptação livre de Claudio Seto
(Texto e desenhos: Claudio Seto)

 

Há muito tempo atrás, na aldeia pesqueira de Itoman, na ilha de Okinawa, havia um pescador chamado Midon. Ele era jovem e corajoso, porém pegou uma gripe brava e ficou tempo sem poder ir ao mar pescar. Então para o sustento dele e da mãe, emprestou dinheiro equivalente a dois meses de seu trabalho, de Kodama Sozaemon, de Satsuma no Kuni (atual província de Kagoshima).

O pescador pensava que em dois meses voltaria à pesca e trabalhando dobrado, em pouco tempo poderia pagar o empréstimo e seu alto juros. Porém decorrido o prazo, Midon não havia recuperado a saúde. Além disso a tempestade que no fim de verão e início de outono assolava anualmente a aldeia, transformara-se em tufão e castigou violentamente a costa da ilha, levantando altas ondas que nenhum pescador se arriscaria a botar o sabami (pequeno barco) no mar.

No dia marcado, Kodama Sozaemon apareceu para receber a dívida do pescador. Kodama era samurai e comerciante muito esperto. Tinha um navio grande e viajava sempre para Okinawa para levar vários produtos. Na volta a Satsuma trazia peixe seco e vendia para ser usado como tempero de sopa de missô. E Midon era um dos pescadores que fornecia peixe seco para Kodama. Como Midon não tinha dinheiro para quitar seu compromisso, pediu humildemente que prorrogasse por mais dois meses o pagamento.

Kodama, sabendo da dificuldade causada pelo tufão, concordou em esperar por mais dois meses, com a condição de dobrar os juros.

Passados os dois meses seguintes, Kodama retornou, no dia combinado, mas não encontrou o pescador. Esperou durante muitas horas pelo retorno dele a casa, mas nada de Midon aparecer.

- Aquele sujeito está tentando me passar a perna - pnsou irritado o comerciante e saiu em busca do pescador. Percorreu toda aldeia e não o encontrou. Então foi até os rochedos beira mar e descobriu o rapaz que se achava dentro de uma caverna.

Sacou sua espada e gritou:
- Seu patife! Você está se aproveitando de minha generosidade em concordar com a protelação do recebimento de sua dívida, seu sem-vergonha! Além de não pagar o que deve, ainda foge e se esconde. Vou decapitá-lo!
Descoberto, o pescador saiu da caverna envergonhado e se desculpou, curvando até encostar a cabeça na areia da praia.

- Não estava fugindo nem escondendo - explicou. Eu estava envergonhado, não tinha cara para enfrentar o senhor. Enquanto pensava como me explicaria perante o senhor, acabei chegando a esta caverna. Os tufões que nos castigaram, foram-se. Daqui para frente vou trabalhar com todas as minhas forças. Assim que conseguir o dinheiro, irei até sua casa em Satsuma para resgatar a dívida. No momento nada posso fazer, mesmo que seja morto com sua espada, por não honrar meu compromisso. Acho, porém, indesculpável morrer sem pagar minha dívida.

Midon não estava mentindo. Suas palavras partiam do fundo do coração. Entretanto, Sozaemon não cedeu. Ergueu a espada visando cortar o pescoço oferecido pelo jovem.

- Você está me fazendo de bobo. Tapeado por um pescador perderei a honra de pertencer a classe dos samurais. Tenho que matá-lo.

Nesse momento, soou do fundo da caverna uma voz grossa e penetrante que parecia atravessar todo o corpo do comerciante. A voz falava em dialeto de Okinawa, incompreensível para o samurai.

Continua...

 
Adaptação livre de Claudio Seto
Lendas do Japão
Arquivo Nippo - Edição 330
Uri sennin
Arquivo Nippo - Edição 328
A moça e o pinheiro
Arquivo Nippo - Edição 326
Takarabashi, a ponte do tesouro
Arquivo Nippo - Edição 324
O guardião do tesouro
Arquivo Nippo - Edição 322
O Buda de madeira
Arquivo Nippo - Edição 320
O Tengu Azul e o Tengu Vermelho
Arquivo Nippo - Edição 318
O cúmulo da cortesia
Arquivo Nippo - Edição 316
O desejo de visitar o Grande Santuário de Ise e morrer
Arquivo Nippo - Edição 314
Hachizuke, o deus Inari
Arquivo Nippo - Edição 312
Kin no kamikazari
Arquivo Nippo - Edição 310
Shizuka-gozen e Sato Tadanobu - Parte 2
Arquivo Nippo - Edição 308
Shizuka-gozen e Sato Tadanobu - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 306
O incêndio de furisode
Arquivo Nippo - Edição 304
Um lírio de 33 flores
Arquivo Nippo - Edição 302
Ôoka Tadasuke e o caso do cheiro roubado
Arquivo Nippo - Edição 300
Zashiki Warashi
Arquivo Nippo - Edição 298
A Tartaruga e a Garça (Kame-san to Tsuru-san)
Arquivo Nippo - Edição 296
O Kozo e a Yamanbá
(parte final)
Arquivo Nippo - Edição 294
O Kozo e a Yamanbá
(parte 1)
Arquivo Nippo - Edição 292
A história de Shiro (Parte final)
Arquivo Nippo - Edição 290
A história de Shiro (Parte 1)
Arquivo Nippo - Edição 288
A bela mulher do desenho
(Parte Final)
Arquivo Nippo - Edição 286
A bela mulher do desenho
(Parte 1)
Arquivo Nippo - Edição 284
A lenda do Nobre Galo
Arquivo Nippo - Edição 282
O rei das trutas iwana
Arquivo Nippo - Edição 280
O gato assombrado de Nabeshima
Arquivo Nippo - Edição 278
Tanokyu e a serpente gigante
Arquivo Nippo - Edição 276
Anchin e Kiyohime
Arquivo Nippo - Edição 274
O legendário Hidesato
Arquivo Nippo - Edição 272
A princesa Peônia
- Parte Final
Arquivo Nippo - Edição 270
A princesa Peônia
- Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 268
A tennin e o pescador
Arquivo Nippo - Edição 266
Kitsune Tokoya
Arquivo Nippo - Edição 264
A Gata Encantada
Arquivo Nippo - Edição 262
Kinuhime, a deusa da seda
Arquivo Nippo - Edição 260
Os ratos sumotoris


A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippo.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2022 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados