Portal NippoBrasil - OnLine - 19 anos
Quinta-feira, 12 de dezembro de 2019 - 6h57
Arquivo Edição 211 - 18 a 24 de junho de 2003 - Especial - Portal NippoBrasil
 

Sakura

A floração da cerejeira, ou sakura em japonês, muito comemorada no Japão por marcar o início da primavera, também é festejada no Brasil

(Arquivo NippoBrasil)

Junho e julho são dois meses especiais para os descendentes de japoneses do Brasil. É nesta época que a comunidade programa uma série de festividades para comemorar a floração da cerejeira (confira a programação no final da reportagem).

Se no Brasil a popularidade desta árvore é grande entre os nikkeis, que o diga no Japão, onde ela se originou. Lá, a adoração pela planta é tanta que o sakura é tido como a flor nacional do país. E não é para menos. Para eles, ela lembra a história dos antigos samurais, cuja maior glória era a de morrer num campo coberto de pétalas de sakura. Além disso, por estarem dispostos a morrerem pelos seus mestres, os samurais tinham poucos anos de vida, assim como estas flores.

Para quem não sabe, a cerejeira tem um período exato para florescer, no Japão normalmente acontece entre o final de março e o começo de abril, dependendo da região do país. Depois que suas flores nascem, permanecem por, no máximo, dois dias nos galhos das árvores e, posteriormente, caem e morrem.

A cerejeira é uma árvore originária da mesma família das rosáceas. Estima-se que existam mundialmente cerca de 600 espécies de sakura. Só o Japão possui perto de 200 espécies, sendo as mais cultivadas a Hikan-zakura (Prunus) - em Okinawa -, Takanema-zakura (Prunus nipponica) e Miyama-zakura (Prunus maximowiczii) - em Hokkaido. No Brasil, a variedade que mais se destaca é a Serrula Tamque, que começa sua floração em fins de março no sul do país e no começo de julho na região norte.

Porém um dos principais motivos pelo qual os japoneses comemoram a floração desta árvore está no fato de que o fenômeno também representa para aquele povo a chegada da primavera. Conhecida como haru, a estação é a mais esperada do ano no Japão, já que lá o inverno é muito rigoroso.

 
 

SÍMBOLO DE FELICIDADE

Todos esses aspectos fazem com que o povo japonês tenha um respeito muito grande pelo sakura, trantando-o como um “objeto de culto”. A flor também é símbolo da felicidade no país do sol nascente. Por todos os cantos do Japão é possível encontrar estabelecimentos com o nome da árvore, além de imagens da mesma estampadas em trens e até na moeda nacional.

Por este motivo, nas comemorações matrimoniais, é comum os noivos beberem um chá com pétalas de sakura, pois acreditam que a bebida lhes proporcionará um casamento feliz. As pétalas são curtidas no sal durante algumas horas e depois servidas numa espécie de chá chamado de akurayu.

Hanami - “ver as flores”


A tradição de apreciar o florescimento do sakura começou no período Heian (séculos 8 e 12)

No Japão, logo no início do mês de março, a mídia já começa a anunciar o sakura senzen (linha do sakura). Trata-se de uma espécie de linha “meteorológica” que consegue prever o período de florescimento da planta em cada região do país. Esta linha tem início na região de Kyushu (sul do país) e se estende até Hokkaido, a última região a presenciar a floração do sakura.

Na data prevista para o surgimento das flores, as pessoas correm para debaixo das árvores de cerejeira, onde realizam o chamado hanami (“ver as flores”), em que se reúnem em grupos e fazem um pequeno piquenique, com muitos comes e bebes. Alguns chegam até a fazer karaokês debaixo das árvores. Tudo para ver de perto o nascimento e a morte das flores de sakura.

Em todas as partes do Japão é possível encontrar estas árvores, mas há, claro, locais que são muito disputados pelos japoneses por possuírem uma visão privilegiada. Muitos chefes de empresas, inclusive, enviam seus herdeiros com antecedência para obter um lugar melhor para apreciar as flores. Os parques e os lugares próximos aos rios são os preferidos das pessoas, como acontece nas cidades de Osaka, Kyoto e Okinawa.

Mas essa tradição de realizar o hanami já é bem antiga. Ela começou no período Heian (entre os séculos 8 e 12) e se tornou uma das comemorações mais famosas do Japão. Foi popularmente comemorada também no período Edo (séculos 17 e 19). Durante esta época, a festa era realizada na cidade de Edo (hoje, Tóquio), onde pessoas de todas as classes sociais se reuniam - da mesma forma em que se reúnem hoje - para comemorar a chegada da primavera e apreciar a beleza das flores.

Durante estas comemorações, é comum os japoneses saborearem o sakura mochi, um doce de anko (feijão doce) coberto com pétalas de sakura.

A festa da cerejeira também é comemorada em muitos outros países onde há a colonização do povo japonês. Na cidade de Washington, nos Estados Unidos, por exemplo, as pessoas também costumam se reunir em praças, parques e mesmo na beira de rios para apreciar as flores. Naquele país, a primeira árvore de sakura foi plantada em 27 de março de 1912. Durante uma visita a Yokohama, no Japão, a então primeira dama Howard Taft ficou tão admirada com a beleza das flores que quis levá-las ao seu país. Foi então que a história da cerejeira começou na América do Norte e, posteriormente, se espalhou por toda a América Latina até chegar ao Brasil.

 Busca
 Especial
Especial - Nippo-Brasil - 02/03/2019
• A partir de 1º de maio de 2019 começa a era REIWA no Japão
Especial - Nippo-Brasil - 14/05/2018
• Escola OEN, fiel à filosofia japonesa desde a sua origem
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 311
• Gairaigo: as palavras estrangeiras na língua japonesa
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 304
• Provérbios do Japão:
sabedoria através dos tempos
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 302
• Hanami, uma bela tradição japonesa
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 301
• Simbologia japonesa: os animais
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 300
• Simbologia japonesa:
as flores e as árvores
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 281
• Você sabe o que significa seu sobrenome?
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 279
• Oriente-se para fazer ginástica!
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 271
• Bonsai, a natureza em miniatura
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 253
• Desvendando os
seres da mitologia japonesa
Especial - Nippo-Brasil 211
• Sakura
Especial - Nippo-Brasil 208
• Viagem pela fé
Especial - Nippo-Brasil 199
• Longe da poluição e do estresse da cidade grande
Especial - Nippo-Brasil 198
• Idades marcantes da cultura japonesa
Especial - Nippo-Brasil 194
• Por dentro das datas comemorativas no Japão
Especial - Nippo-Brasil 192
• Compradores compulsivos
Especial - Nippo-Brasil 187
• Rituais de Ano Novo Japonês
Especial - Nippo-Brasil 186
• Bonenkai - Fechar o ano com chave de ouro
Especial - Nippo-Brasil 180
• Danças Japonesas
Especial - Nippo-Brasil 177
• Viciados em Jogos
Especial - Nippo-Brasil 171
• Jardim Japonês: Um cantinho para meditar
Especial - Nippo-Brasil 170
• Alimentos: eles curam?
Especial - Nippo-Brasil 169
• Wadaiko: o estilo japonês de tocar taiko
Especial - Nippo-Brasil 168
• Saque: A bebida milenar japonesa
Especial - Nippo-Brasil 167
• Que bicho é seu pai no Horóscopo Oriental?
Especial - Nippo-Brasil 163
• Watsu uma terapia de lavar a alma
Especial - Nippo-Brasil 161
• Kumon, o método japonês de ensino individualizado: lições para a vida toda
Especial - Nippo-Brasil 155
• Banho de Ofurô: cores e sabores de um ritual milenar
Especial - Nippo-Brasil 154
• Agrade à sua mãe
Especial - Nippo-Brasil 150
• Jogos Japoneses: Shogui e Gô
Especial - Nippo-Brasil
• + 10 Provérbios Japoneses
Especial - Nippo-Brasil
• Kaburimono (literalmente, aquilo que se põe na cabeça)
Especial - Nippo-Brasil
• Conheça alguns amuletos e preces orientais
Especial - Nippo-Brasil
• Shichifukujin, as sete divindades
Especial - Nippo-Brasil
• Daruma: sinônimo de sucesso
Especial - Nippo-Brasil
• A história da Hello Kitty
Especial - Nippo-Brasil
• A história e a tradição do Maneki Nekô no Japão
Especial - Nippo-Brasil
• Escrevendo seu nome brasileiro em caracteres japoneses
Especial - Nippo-Brasil
• 10 Provérbios Japoneses
Arquivo Nippo-Brasil - Edição 27
• Crueldade marca início
do bairro da Liberdade
Arquivo Nippo-Brasil - Edição 26
• Liberdade: um pedacinho
do Japão em São Paulo
• Nomes japoneses mais populares de 2013
• Aprender chinês não é tão difícil assim
• Homens donos de casa
• Executivos japoneses no Brasil convivem com diferenças culturais no País
• Japão ainda dificulta a carreira de mulheres
• Japão estimula funcionários a tirarem licença-paternidade
• Ano-Novo no Japão só
termina em meados de janeiro
• Marcos da imigração no Vale do Ribeira viram patrimônios históricos
• Natal à japonesa: sem feriado, ceia, missa e nem panetone
• Mulheres aderem à moda do plastimodelismo

A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippobrasil.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2019 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados

118 usuários online