Portal NippoBrasil - OnLine - 19 anos
Quinta-feira, 06 de agosto de 2020 - 7h46
  Empregos no Japão

  Busca
 

SEÇÕES
Comunidade
Opinião
Circuito
Notícias
Agenda
Dekassegui
Entrevistas
Especial
-
VARIEDADES
Aula de Japonês
Automóveis
Artesanato
Beleza
Bichos
Budô
Comidas do Japão
Cultura-Tradicional
Culinária
Haicai
História do Japão
Horóscopo
Lendas do Japão
Mangá
Pesca
Saúde
Turismo-Brasil
Turismo-Japão
-
ESPORTES
Copa 2014
-
ESPECIAIS
Imigração
Tratado Amizade
Bomba Hiroshima
Japan House
Festival do Japão
-
COLUNAS
Conversando RH
Mensagens
Shinyashiki
-
CLASSIFICADOS
Econômico
Empregos BR
Guia Profissionais
Imóveis
Oportunidades
Ponto de Encontro
-
INSTITUCIONAL
Redação
Quem somos
-
Arquivo NippoBrasil - Edição 113 - 19 de julho a 1 de agosto de 2001
 
Ushikata to Yamauba - Parte 2
O vaqueiro e a bruxa da floresta
 

Adaptação livre de Claudio Seto
(Texto e desenhos: Claudio Seto)

 

AH! ENCONTREI
- Espere, vaqueiro, ainda estou com fome. Agora permita-me que te devore. Você é cheio de saúde e parece apetitoso. Deixe-me saciar minha fome devorando você todinho.

- Socorrro, acudam-me! Essa Yamauba louca quer me devorar! Gritando desesperado o Ushikata corria de um morro a outro tentando salvar a pele. Enquanto corria com a respiração ofegante, ia pensando em se esconder em algum lugar onde a megera não pudesse encontrá-lo. Nisso, olhando de cima do precipício, avistou uma colina. Ao pé da colina havia uma luz fraca denunciando a existência de uma habitação.

- Vou fugir para dentro daquela colina, pensou o vaqueiro, que correu desesperado em direção da colina rasgando galhos no peito.
- Não estou agüentando de cansaço, preciso esconder-me em algum lugar para um breve descanso.

Havia uma árvore grossa com enormes galhos à beira de um lago. Ushikata agarrou a árvore e foi subindo até chegar lá em cima. Ficou agarrado ao galho procurando descansar. Pouco depois, apareceu a Yamauba no local.
- Onde se escondeu aquele Ushikata desgraçado?

Olhou para todos os lados e começou a procurar tombando capins com a mão. De repente gritou:
-Ah! Está escondido aí, seu infeliz.
Agarrado ao galho, a imagem de Ushikata balançava ao sabor do vento, refletida no espelho da água do lago.

- Encontrei você, meu apetitoso vaqueiro!, disse a Yamauba entrando na água. Esticou a mão e tentou pegar a imagem refletida de ushikata. A bruxa pensava que o vaqueiro estava escondido dentro da água, no fundo do lago. Porém, ao enfiar os braços, a água balançou e a imagem se desfez.

-O que foi isso? Onde foi parar o vaqueiro?
Yamauba ficou intrigada e pensativa dentro do lago, porém como sua mente não era daquelas que podemos chamar de privilegiada, não chegou a nenhuma conclusão, apesar de ficar pensando por alguns minutos. Nesse intervalo, a água serenou e a imagem do vaqueiro reapareceu.

A bruxa da montanha tentou agarrar a imagem com os dois braços levantando a água para cima. Porém, nada conseguiu pegar. Mesmo tentando várias vezes, não conseguiu agarrar o vaqueiro. Balançando seus cabelos brancos a Yamauba ficou muito furiosa e berrou:
- Onde está você, Ushikata? Vamos, apareça!

O grito estremeceu toda a colina, balançou todas as árvores e derrubou todas as folhas. Ushikata que estava agarrado ao galho também foi derrubado com a terrível vibração e caiu sentado no chão.

Mais que depressa o vaqueiro se levantou e fugiu correndo de novo. Em cima de sua cabeça, vários urubus voavam em círculo como prenúncio de mau agouro. Na frente, atrás e por todos os lados do vaqueiro fugitivo havia lindos pés de momiji (acer ), pois aquele local era conhecido como Colina de Outono. Porém, apavorado que estava, os olhos do Ushikata não conseguiam ver a beleza da paisagem nem a calma dos urubus voando. Tropeçava nas raízes das árvores, caía a toda hora, e só sabia fugir levantando poeira.

Paralelamente, de colina em colina, um vento frio percorreu toda a montanha trazendo consigo o anoitecer. Sobre a montanha uma enorme lua começou a brilhar como holofotes e os insetos começaram seu show de cantorias.

-Oh, que sorte, uma cabana. Estou salvo!, pensou Ushikata correndo em direção da pequena habitação no meio do capinzal. O vaqueiro entrou correndo na casa sem mesmo pedir licença e gritou com o pouco de força que ainda lhe restava:

-Socorro, ajudem-me. Salvem-me, por favor!
Por mais que implorasse por ajuda, ninguém respondia. A casa estava vazia.

- Que casa estranha e de mal agouro. Acho que vou me esconder no teto até o amanhecer, pensou o vaqueiro. Mal se acomodou numa viga próxima do teto, ouviu passos entrando na casa. Era a Bruxa da Montanha que começou a falar sozinha:

- Hoje me cansei. Só lamento ter deixado meu jantar fugir.

Continua...

 
Adaptação livre de Claudio Seto
Lendas do Japão
Arquivo Nippo - Edição 286
A bela mulher do desenho
Arquivo Nippo - Edição 284
A lenda do Nobre Galo
Arquivo Nippo - Edição 282
O rei das trutas iwana
Arquivo Nippo - Edição 280
O gato assombrado de Nabeshima
Arquivo Nippo - Edição 278
Tanokyu e a serpente gigante
Arquivo Nippo - Edição 276
Anchin e Kiyohime
Arquivo Nippo - Edição 274
O legendário Hidesato
Arquivo Nippo - Edição 272
A princesa Peônia
- Parte Final
Arquivo Nippo - Edição 270
A princesa Peônia
- Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 268
A tennin e o pescador
Arquivo Nippo - Edição 266
Kitsune Tokoya
Arquivo Nippo - Edição 264
A Gata Encantada
Arquivo Nippo - Edição 262
Kinuhime, a deusa da seda
Arquivo Nippo - Edição 260
Os ratos sumotoris
Arquivo Nippo - Edição 258
A origem da estrela-do-mar
Arquivo Nippo - Edição 256
O leque mágico
Arquivo Nippo - Edição 254
Guengoro e o tambor encantado
Arquivo Nippo - Edição 252
O nascimento de Zenshi no Mikoto
Arquivo Nippo - Edição 250
Toguênkyo - Parte Final
Arquivo Nippo - Edição 248
Toguênkyo - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 246
Warashibe Choja - Parte 2
Arquivo Nippo - Edição 244
Warashibe Choja - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 242
O nome da gata
Arquivo Nippo - Edição 240
O Perfeito Macaco-Rei
Arquivo Nippo - Edição 238
Cesto cheio de água
Arquivo Nippo - Edição 236
O Macaco e a Água Viva - Parte Final
Arquivo Nippo - Edição 234
O Macaco e a Água Viva - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 232
O Mestre da Sabedoria
Arquivo Nippo - Edição 230
Zuiten
Arquivo Nippo - Edição 228
O Dia Seguinte
Arquivo Nippo - Edição 226
A Estátua e os Macacos
Arquivo Nippo - Edição 224
O fruto da cor de ouro
Arquivo Nippo - Edição 222
Espelho de Matsuyama - Parte 2
Arquivo Nippo - Edição 220
Espelho de Matsuyama - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 218
Shinguen e o Egoísmo
Arquivo Nippo - Edição 216
Ki o niguiru meiso
(Meditar com o bonsai)
Arquivo Nippo - Edição 214
O bambu e a correnteza
Arquivo Nippo - Edição 212
O trovão que caiu das nuvens - Parte Final
Arquivo Nippo - Edição 210
O trovão que caiu das nuvens - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 208
Tudo sob controle
Arquivo Nippo - Edição 206
O guetá encantado


A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippo.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2020 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados