Portal NippoBrasil - OnLine - 19 anos
Quinta-feira, 06 de agosto de 2020 - 10h09
  Empregos no Japão

  Busca
 

SEÇÕES
Comunidade
Opinião
Circuito
Notícias
Agenda
Dekassegui
Entrevistas
Especial
-
VARIEDADES
Aula de Japonês
Automóveis
Artesanato
Beleza
Bichos
Budô
Comidas do Japão
Cultura-Tradicional
Culinária
Haicai
História do Japão
Horóscopo
Lendas do Japão
Mangá
Pesca
Saúde
Turismo-Brasil
Turismo-Japão
-
ESPORTES
Copa 2014
-
ESPECIAIS
Imigração
Tratado Amizade
Bomba Hiroshima
Japan House
Festival do Japão
-
COLUNAS
Conversando RH
Mensagens
Shinyashiki
-
CLASSIFICADOS
Econômico
Empregos BR
Guia Profissionais
Imóveis
Oportunidades
Ponto de Encontro
-
INSTITUCIONAL
Redação
Quem somos
-
Arquivo NippoBrasil - Edição 082 - 7 a 13 de dezembro de 2000
 
A Lenda de Ajisai, a hortênsia

Adaptação livre de Claudio Seto
(Texto e desenhos: Claudio Seto)

Há muito e muito tempo, quando ainda o Japão era chamado de Ashi Hara no Mizuho no Kuni (País dos Juncos e dos Campos das Espigas de Arroz, vivia no monte Takachihô, na ilha de Kyushu, uma misteriosa ninfa chamada Kogyoku Hime (Princesa de Jade). Contam os relatos antigos que essa lendária criatura era “bela como a primeira nuvem da manhã. E como uma concha recoberta de algas, tinha apenas por veste a longa cabeleira esparsa”. Vivia à beira de um riacho tranqüilo, cantando lindas canções em homenagem à Konohana Sakuya Hime, a princesa Floração. Sua voz era mais suave que o canto da brisa nos yanagui-no-yu (salgueiros em flor) e encantava a todos os habitantes da floresta.

Um dia, dois oni (demônios) feios que só eles, resolveram conquistá-la à força, já que ela sequer olhava para eles.

Os dois foram até as margens do riacho e a surpreenderam cantando distraidamente. Um dos oni agarrou ela pela cintura e saiu carregando-a em direção de sua caverna. O outro então tentou puxá-la para si e os dois começaram a lutar disputando aquele belo troféu. Foi uma luta violenta e sanguinária. Durante horas os demônios agrediram-se mutuamente, sem chegar a um resultado, pois a força deles eram equilibradas. A briga só teve fim, quando depois de muito machucados, perceberam que a vítima já havia desaparecido enquanto se agrediam.

Resolveram então que cada um deveria agir sozinho. E dividiram o tempo para não dar tréguas a bela ninfa.

O primeiro oni esperou a hora em que o orvalho se cristaliza sobre a rosa, e saiu sorrateiramente em busca da princesa Kogyoku. Mas, em vez da ninfa encontrou um pequeno arbusto coberto de flores miúdas e rosadas. Era a hortênsia. Depois de esperar muito tempo, o demônio desistiu do seu intento e voltou para sua caverna.

Ao entardecer o outro oni tentou aproximar-se da ninfa. Foi até a beira do riacho e encontrou-a transformada num arbusto coberto de flores azuis. Como dizem que os demônios não gostam de flores, o oni desistiu de procurá-la. Kogyoku Hime tinha a “beleza misteriosa e sem defeitos”, por isso – narra a lenda - a hortênsia não tem defeitos nem espinhos e, apesar da falta de aroma, é uma flor encantadora. Aliás, a hortênsia é símbolo do encanto feérico.

 
Adaptação livre de Claudio Seto
Lendas do Japão
Arquivo Nippo - Edição 286
A bela mulher do desenho
Arquivo Nippo - Edição 284
A lenda do Nobre Galo
Arquivo Nippo - Edição 282
O rei das trutas iwana
Arquivo Nippo - Edição 280
O gato assombrado de Nabeshima
Arquivo Nippo - Edição 278
Tanokyu e a serpente gigante
Arquivo Nippo - Edição 276
Anchin e Kiyohime
Arquivo Nippo - Edição 274
O legendário Hidesato
Arquivo Nippo - Edição 272
A princesa Peônia
- Parte Final
Arquivo Nippo - Edição 270
A princesa Peônia
- Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 268
A tennin e o pescador
Arquivo Nippo - Edição 266
Kitsune Tokoya
Arquivo Nippo - Edição 264
A Gata Encantada
Arquivo Nippo - Edição 262
Kinuhime, a deusa da seda
Arquivo Nippo - Edição 260
Os ratos sumotoris
Arquivo Nippo - Edição 258
A origem da estrela-do-mar
Arquivo Nippo - Edição 256
O leque mágico
Arquivo Nippo - Edição 254
Guengoro e o tambor encantado
Arquivo Nippo - Edição 252
O nascimento de Zenshi no Mikoto
Arquivo Nippo - Edição 250
Toguênkyo - Parte Final
Arquivo Nippo - Edição 248
Toguênkyo - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 246
Warashibe Choja - Parte 2
Arquivo Nippo - Edição 244
Warashibe Choja - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 242
O nome da gata
Arquivo Nippo - Edição 240
O Perfeito Macaco-Rei
Arquivo Nippo - Edição 238
Cesto cheio de água
Arquivo Nippo - Edição 236
O Macaco e a Água Viva - Parte Final
Arquivo Nippo - Edição 234
O Macaco e a Água Viva - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 232
O Mestre da Sabedoria
Arquivo Nippo - Edição 230
Zuiten
Arquivo Nippo - Edição 228
O Dia Seguinte
Arquivo Nippo - Edição 226
A Estátua e os Macacos
Arquivo Nippo - Edição 224
O fruto da cor de ouro
Arquivo Nippo - Edição 222
Espelho de Matsuyama - Parte 2
Arquivo Nippo - Edição 220
Espelho de Matsuyama - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 218
Shinguen e o Egoísmo
Arquivo Nippo - Edição 216
Ki o niguiru meiso
(Meditar com o bonsai)
Arquivo Nippo - Edição 214
O bambu e a correnteza
Arquivo Nippo - Edição 212
O trovão que caiu das nuvens - Parte Final
Arquivo Nippo - Edição 210
O trovão que caiu das nuvens - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 208
Tudo sob controle
Arquivo Nippo - Edição 206
O guetá encantado


A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippo.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2020 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados