Portal NippoBrasil - OnLine - 19 anos
Domingo, 03 de julho de 2022 - 5h27
  Empregos no Japão

  Busca
 

SEÇÕES
Comunidade
Opinião
Circuito
Notícias
Agenda
Dekassegui
Entrevistas
Especial
-
VARIEDADES
Aula de Japonês
Automóveis
Artesanato
Beleza
Bichos
Budô
Comidas do Japão
Cultura-Tradicional
Culinária
Haicai
História do Japão
Horóscopo
Lendas do Japão
Mangá
Pesca
Saúde
Turismo-Brasil
Turismo-Japão
-
ESPECIAIS
Imigração
Tratado Amizade
Bomba Hiroshima
Japan House
Festival do Japão
-
COLUNAS
Conversando RH
Mensagens
Shinyashiki
-
CLASSIFICADOS
Econômico
Empregos BR
Guia Profissionais
Imóveis
Oportunidades
Ponto de Encontro
-
INSTITUCIONAL
Redação
Quem somos
-
Arquivo NippoBrasil - Edição 074 - 12 a 18 de outubro de 2000
 
Oeyama no Shutendoji

Adaptação livre de Claudio Seto
(
Texto e desenhos: Claudio Seto)

Certo dia do Período Heian (794 a 1192), uma bela donzela desapareceu nas proximidades de Heian Kyo (atualmente Kyoto) - que na época era capital do Japão e chamada popularmente de Kyo no Miyako. A garota em questão tinha 13 anos e era a linda filha de Ikeda no Chunagon, um alto funcionário do palácio imperial.

Depois de muita procura e sem conseguir uma pista sequer, chamaram En no Ubasoku, o mago do Monte En, para ajudar a encontrar a menina. Ubassoku fez uma revelação que deixou a população apavorada. Em estado de transe, o vidente contou que a menina havia sido raptada pelos onis, seres demoníacos, que haviam se instalados na localidade de Tanba, no monte Oe, perto da Capital. O mago disse também que, não só a filha de Ikeda, mas várias garotas bonitas, que desapareceram misteriosamente na região, foram raptadas pelos mesmos onis.
Por ser de uma família nobre e poderosa, Ikeda no Chunagon tinha acesso ao Imperador. Então pediu com veemência à Sua Majestade, que salvasse sua filha.

Atendendo ao pedido de um pai desesperado, o Imperador convocou Minamoto no Yorimitsu, também conhecido por Raiko, o mais valente tsuwamono (guerreiro) da época no Japão.
Assim Yorimitsu foi encarregado de dar um fim aos horríveis demônios que surgiram não se sabe de onde e que estavam aterrorizando a Terra do Sol Nascente.

Yorimitsu pensou numa estratégia para cumprir com sucesso sua missão e chegou a conclusão que se levasse um batalhão de guerreiros, a movimentação de tropas poderia chamar a atenção dos onis e estes fugiriam para outro esconderijo. Resolveu então, que levaria poucos homens, porém os mais valentes guerreiros do Japão. Para isso percorreu pessoalmente o País a procura de tsuwamono pois em Miyako só existiam cortesãos e pessoas refinadas que não sabiam lutar. Todos os convocados por Yorimitsu eram muito corajosos e alguns já tinham vivido algumas experiências, enfrentando os onis.

Assim foram chamados cinco famosos guerreiros da época: Sakata no Kintoki, Watanabe no Tsuna, Ussui no Sadamitsu, Urabe no Suetake e Fujiwara no Yassumasu, que, chefiados por Minamoto no Yorimitsu, formaram um grupo de elite a serviço do Imperador.

- Amanhã cedo partiremos para a honrosa missão que Sua Majestade nos conferiu. Mas, antes de partir para o onitaiji (caçada aos demônios), rezaremos para Yuwashi Mizu (Hashiman - Deus da Guerra) no templo shintô, pedindo que a divindade nos empreste forças para combater os inimigos do povo.

Na manhã seguinte, vestiram traje de yamabushi (monge da montanha) para que os onis não suspeitassem deles. Na mochila onde os yamabushis costumam carregar poções mágicas e apetrechos para exorcismo, os guerreiros guardaram suas armas e armaduras. Assim, depois de rezar para o Deus da Guerra, saíram em direção a Oeyama (monte Oe).

Subiram escarpas, escalaram altas rochas e caminharam por trechos íngremes até que encontram uma caverna onde haviam três eremitas.
- O que fazem aqui? Perguntou Yorimitsu.
- Por recomendação de Hachiman, o Deus da Guerra, estávamos a espera de vocês, para lhes indicar o caminho que deverão seguir a partir desse ponto.

Os guerreiros ganharam dos eremitas um litro de saquê (vinho de arroz) mágico chamado Ninben Kidoku-shi, que se ingerido por japoneses é um santo remédio, porém se ingerido pelos demônios, é um terrível veneno. Os eremitas deram também um magnífico kabuto (capacete de guerra) para o líder da missão. E acompanharam até uma das bifurcações da caverna que saía as margens de um rio.

- Siga rio acima que encontrarão uma bela garota e peça mais informações a ela. Dito isso os três eremitas desapareceram como por encanto. Assustados com a evaporação dos eremitas, os bravos guerreiros juntaram as mãos e rezaram agradecendo ao Hachima, por ter enviado três espíritos de luz para iluminar o caminho. Depois os guerreiros seguiram adiante. Após longa caminhada rio acima, já perto da nascente, havia algumas garotas lavando roupas como disseram os eremitas.

- Alguma de vocês é Yuri Hime, a filha de Ikeda no Tyunagon ? Perguntou Yorimitsu.
- Ela está na fortaleza foi raptada junto com outras amigas pelos onis. Eles maltratam e abusam de nós. São comandados pelo gigante Shutendoji.

- Um oni gigante! Espantaram os guerreiros.
- Todos os onis são grandalhões, mas Shutendoji, embora as vezes não pareça oni, é um verdadeiro gigante. Veja eles moram naquela fortaleza incrustada na rocha.

Quando os guerreiros disfarçados de yamabushi atravessaram o portão, começou a ventar, trovejar e relampejar, nisso surgiu Shutendoji com um enorme machado na mão. Ele era realmente um gigante, mas seu aspecto mais parecia de japonês jovem do que de oni. Apesar de seu físico avantajado não tinha chifres e seu cabelo era preto e não loiro como dos demônios.

 
Continua ...
Adaptação livre de Claudio Seto
Lendas do Japão
Arquivo Nippo - Edição 330
Uri sennin
Arquivo Nippo - Edição 328
A moça e o pinheiro
Arquivo Nippo - Edição 326
Takarabashi, a ponte do tesouro
Arquivo Nippo - Edição 324
O guardião do tesouro
Arquivo Nippo - Edição 322
O Buda de madeira
Arquivo Nippo - Edição 320
O Tengu Azul e o Tengu Vermelho
Arquivo Nippo - Edição 318
O cúmulo da cortesia
Arquivo Nippo - Edição 316
O desejo de visitar o Grande Santuário de Ise e morrer
Arquivo Nippo - Edição 314
Hachizuke, o deus Inari
Arquivo Nippo - Edição 312
Kin no kamikazari
Arquivo Nippo - Edição 310
Shizuka-gozen e Sato Tadanobu - Parte 2
Arquivo Nippo - Edição 308
Shizuka-gozen e Sato Tadanobu - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 306
O incêndio de furisode
Arquivo Nippo - Edição 304
Um lírio de 33 flores
Arquivo Nippo - Edição 302
Ôoka Tadasuke e o caso do cheiro roubado
Arquivo Nippo - Edição 300
Zashiki Warashi
Arquivo Nippo - Edição 298
A Tartaruga e a Garça (Kame-san to Tsuru-san)
Arquivo Nippo - Edição 296
O Kozo e a Yamanbá
(parte final)
Arquivo Nippo - Edição 294
O Kozo e a Yamanbá
(parte 1)
Arquivo Nippo - Edição 292
A história de Shiro (Parte final)
Arquivo Nippo - Edição 290
A história de Shiro (Parte 1)
Arquivo Nippo - Edição 288
A bela mulher do desenho
(Parte Final)
Arquivo Nippo - Edição 286
A bela mulher do desenho
(Parte 1)
Arquivo Nippo - Edição 284
A lenda do Nobre Galo
Arquivo Nippo - Edição 282
O rei das trutas iwana
Arquivo Nippo - Edição 280
O gato assombrado de Nabeshima
Arquivo Nippo - Edição 278
Tanokyu e a serpente gigante
Arquivo Nippo - Edição 276
Anchin e Kiyohime
Arquivo Nippo - Edição 274
O legendário Hidesato
Arquivo Nippo - Edição 272
A princesa Peônia
- Parte Final
Arquivo Nippo - Edição 270
A princesa Peônia
- Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 268
A tennin e o pescador
Arquivo Nippo - Edição 266
Kitsune Tokoya
Arquivo Nippo - Edição 264
A Gata Encantada
Arquivo Nippo - Edição 262
Kinuhime, a deusa da seda
Arquivo Nippo - Edição 260
Os ratos sumotoris


A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippo.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2022 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados