Portal NippoBrasil - OnLine - 19 anos
Segunda-feira, 04 de julho de 2022 - 19h11
  Empregos no Japão

  Busca
 

SEÇÕES
Comunidade
Opinião
Circuito
Notícias
Agenda
Dekassegui
Entrevistas
Especial
-
VARIEDADES
Aula de Japonês
Automóveis
Artesanato
Beleza
Bichos
Budô
Comidas do Japão
Cultura-Tradicional
Culinária
Haicai
História do Japão
Horóscopo
Lendas do Japão
Mangá
Pesca
Saúde
Turismo-Brasil
Turismo-Japão
-
ESPECIAIS
Imigração
Tratado Amizade
Bomba Hiroshima
Japan House
Festival do Japão
-
COLUNAS
Conversando RH
Mensagens
Shinyashiki
-
CLASSIFICADOS
Econômico
Empregos BR
Guia Profissionais
Imóveis
Oportunidades
Ponto de Encontro
-
INSTITUCIONAL
Redação
Quem somos
-
 
Chushingura
Enredo da obra tem como base incidentes ocorridos durante a Era Edo, cuja conclusão motivou a vingança de 47 samurais


CULTURA - Peça teatral encena importante fato histórico japonês ocorrido há 300 anos

 


SACRIFÍCIO - Por suas atitudes, Asano e os 47 samurais foram punidos com o seppuku

Fotos: Divulgação / Arquivo NB

No Japão, sempre no mês de dezembro, o tema Chushingura volta à cena nos teatros e na televisão. Esta obra, criada com base no fato histórico real ocorrido durante a Era Edo (1603–1867), foi amada e apoiada por muitas pessoas durante mais de 300 anos até hoje como sendo uma obra que representa o espírito e a visão de ética dos japoneses.

O que é Chushingura?
O enredo de Chushingura tem como base dois incidentes ocorridos entre 1701 e 1702. O estopim foi a ocorrência, em março de 1701, da investida de Asano Takuminokami Naganori contra Kira Kozukenosuke Yoshinaka, na tentativa de golpeá-lo a espada nas dependências do Castelo de Edo. Na época, havia o costume de se enviar mensageiros dos xoguns a Quioto para se dirigirem ao palácio governamental, a fim de levar os cumprimentos pelo ano-novo. Kira foi destacado como o mensageiro naquele ano, e Asano recebeu a missão de recepcionar os mensageiros vindos do palácio governamental. Há versões de que Kira teria praticado inúmeros atos de ofensa contra Asano com relação a esta missão, o que teria provocado o ódio que o levou a tal tentativa, mas não há nada que confirme o fato. Kira safou-se apenas com ferimentos leves, e Asano foi condenado à imediata prática de seppuku (matar-se cortando o próprio abdome). Com isso, Asano Takuminokami viu-se obrigado a dar cabo da própria vida com apenas 35 anos de idade, e o seu sentimento de inconformação ficou expresso no seguinte poema, que ele deixou antes de praticar o seppuku: “Se é uma pena ver as flores de cerejeira caírem ao vento; o que posso fazer com o ressentimento ainda maior que guardo ao meu peito”.

No dia seguinte ao seppuku de Asano Takuminokami, ficou decidido que o Castelo de Akô (província de Hyogo), que estava sob seu poder, seria tomado pelo governo feudal de Edo. Na sociedade da época, havia o costume de que, em casos de brigas, ambos os lados seriam castigados. Entretanto, no caso deste ocorrido, o único condenado foi Asano. Isto se explica pelo fato de que era proibido sacar a espada no interior do Castelo de Edo. Assim, Kira, por não ter tocado na espada, não foi condenado. As duras medidas tomadas pelo governo feudal, ou seja, seppuku do senhor, confisco da propriedade, com o agravante da injustiça de ter sido Asano unilateralmente punido, provocaram insatisfações por parte dos súditos de Asano, que mais tarde tomaram o rumo da vingança.

Oishi Kuranosuke, conselheiro titular de Asano Takuminokami, solicitou ao governo feudal a condenação de Kira e a restauração do feudo de Asano, o que foi indeferido. Muitos dos vassalos afastaram-se de Oishi, mas, juntamente com 46 dos súditos que continuaram a segui-lo por lealdade, Oishi decidiu invadir a residência de Kira. Em dezembro de 1702, um ano e 9 meses após a morte de Asano Takuminokami, os seus súditos, liderados por Oishi Kuranosuke, atacaram a residência de Kira, decapitando-o, e dessa forma, concretizando a vingança. Depois disso, os 47 ronin entregam-se ao xogun e, como haviam violado leis fundamentais do regime, poucos meses depois, receberam a ordem de praticar o seppuku, acatada por todos, sem hesitação.

O prestígio de Kanadehon Chushingura e O último samurai
Com base nestas duas ocorrências em Akô, foi criada a peça Kanadehon Chushingura no estilo ningyo joruri (teatro de bonecos com narração dramática cantada, acompanhada pelo shamisen, tradicional instrumento de cordas). Esta peça é muito apreciada pelos japoneses até hoje, tanto é que, todo ano, quando chega dezembro, mês em que os 47 súditos realizaram a ação, o drama volta à televisão. Qual a razão dessa obra ser tão amada pelos japoneses? Seu enredo não é exatamente igual à realidade histórica, mas o que atrai os japoneses são as formas de viver como “o orgulho de ser um bushi (guerreiro)”, “a lealdade a ponto de oferecer a vida” e “executar um objetivo em grupo, sob o comando de um exímio líder”, vistas nas atitudes dos 47 vassalos. Também o conteúdo apela para um sentimento peculiar dos japoneses, que é a “compaixão pelos mais fracos”. Esses sentimentos devem ter algo em comum com as emoções e as compaixões experimentadas por aqueles que assistiram ao filme O último samurai, que fez grande sucesso no início deste ano nos Estados Unidos e também no Brasil.


DEZEMBRO - Todos os anos, nesta época, o Chushingura ganha destaque no teatro e na TV


Arquivo NippoBrasil - Edição 283 - 24 a 30 de novembro de 2004
Busca
Cultura Tradicional
Arquivo Nippo - Edição 327
A história do ensino da língua japonesa no exterior
Arquivo Nippo - Edição 325
Cerimônias de casamento ontem e hoje
Arquivo Nippo - Edição 323
Pet shops
Arquivo Nippo - Edição 321
O monumento da “criança e a bomba atômica”
Arquivo Nippo - Edição 319
Bon-odori
Arquivo Nippo - Edição 317
As características das mulheres por província
Arquivo Nippo - Edição 315
Tanabata Matsuri – O Festival das Estrelas
Arquivo Nippo - Edição 313
Museu em Yokohama apresenta a história dos japoneses no exterior
Arquivo Nippo - Edição 311
Minamoto-no-Yoshitsune
Arquivo Nippo - Edição 309
O taikô japonês
Arquivo Nippo - Edição 307
Festejos e tradições de Tango no Sekku
Arquivo Nippo - Edição 305
A Golden Week e as viagens
Arquivo Nippo - Edição 301
A cerimônia de formatura e o uso do hakama como traje oficial
Arquivo Nippo - Edição 299
Abertura dos portos – um passo em direção à sociedade internacional
Arquivo Nippo - Edição 297
Hinamatsuri
Arquivo Nippo - Edição 295
Setsubun marca mudança de estação
Arquivo Nippo - Edição 293
Kagamibiraki
Arquivo Nippo - Edição 290
Joya-no-kane: O bater dos sinos na passagem do ano
Arquivo Nippo - Edição 287
As sete divindades da felicidade (Shichifukujin)
Arquivo Nippo - Edição 285
Dia do shogui
Arquivo Nippo - Edição 283
Chushingura
Arquivo Nippo - Edição 281
Dia Internacional Contra a Guerra
Arquivo Nippo - Edição 277
A pintura ocidental japonesa
Arquivo Nippo - Edição 275
Casamentos e pérolas
Arquivo Nippo - Edição 273
Dia da Prevenção contra Catástrofes
Arquivo Nippo - Edição 271
História e origem do banho de ofurô
Arquivo Nippo - Edição 269
Idades do azar: descubra quais são e como é possível livrar-se delas
Arquivo Nippo - Edição 267
Okoden e missas em memória de falecidos
Arquivo Nippo - Edição 265
Tanabata e tanzaku
Arquivo Nippo - Edição 263
Tatuagem – Irezumi
Arquivo Nippo - Edição 261
Dia de Prevenção da Cárie Dentária
Arquivo Nippo - Edição 259
Dia Mundial de Combate ao Fumo
Arquivo Nippo - Edição 257
Superstições
Arquivo Nippo - Edição 255
Bushido


A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippo.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2022 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados