Portal NippoBrasil - OnLine - 19 anos
Quinta-feira, 04 de março de 2021 - 12h37
  Empregos no Japão

  Busca
 

SEÇÕES
Comunidade
Opinião
Circuito
Notícias
Agenda
Dekassegui
Entrevistas
Especial
-
VARIEDADES
Aula de Japonês
Automóveis
Artesanato
Beleza
Bichos
Budô
Comidas do Japão
Cultura-Tradicional
Culinária
Haicai
História do Japão
Horóscopo
Lendas do Japão
Mangá
Pesca
Saúde
Turismo-Brasil
Turismo-Japão
-
ESPORTES
Copa 2014
-
ESPECIAIS
Imigração
Tratado Amizade
Bomba Hiroshima
Japan House
Festival do Japão
-
COLUNAS
Conversando RH
Mensagens
Shinyashiki
-
CLASSIFICADOS
Econômico
Empregos BR
Guia Profissionais
Imóveis
Oportunidades
Ponto de Encontro
-
INSTITUCIONAL
Redação
Quem somos
-
 
Oyatsu: O lanche da tarde japonês

As bolachas Sembei são apreciadas desde o período Edo
 
Fotos: Divulgação / Arquivo NB

Foi a partir do século 17 que o povo japonês pode ter as suas três refeições diárias regularmente, até mesmo a camada mais popular. Com maiores disponibilidades na vida cotidiana, surgem além das principais refeições, outras iguarias mais elaboradas nos lanches ao invés de uma simples batata cozida no vapor.

O lanche da tarde se chama “oyatsu” porque, pelo horário antigo, entre duas e três horas da tarde era dito yatsu (oito), sendo chamados de oyatsu também os doces servidos nesse horário, termo que é utilizado ainda hoje. O lanche pode também ser chamado de osanji (três horas).

Atualmente existe uma grande variedade de doces japoneses e ocidentais. Falaremos de alguns doces típicos e tradicionais do Japão, que hoje em dia são comprados prontos, que combinam com o chá japonês.

 
KUSHI DANGO


‘Espetinhos’ possuem uma grande variedade

Dango são bolinhos em formato redondo. Sua massa é feita de farinha de arroz misturada à água, sendo cozidos no vapor, colocando 3 ou 4 deles num espeto e servidos com caldas ou anko (pasta de feijão azuki cozido com açúcar). O mais procurado é o mitarashi dango que é levemente assado e servido com um molho doce preparado a base de shoyu (molho de soja). Fora este, há inúmeras variedades como dango com anko , enrolados em nori (folha de alga marinha) e shoyu ou molho doce de shoyu com gergelim preto, entre outros, com preços variando em torno de 100 ienes (cerca de R$ 2,65).

SEMBEI
Sembei são bolachas feitas com uma mistura de farinha de arroz e água, que após ser bem amassada é aberta e cortada em formas circulares ou quadradas e assadas em grelhas ou chapas de ferro, ou ainda fritos. No Período Edo era mais comum temperá-los com sal ou shoyu. Aos poucos foram surgindo os sembei de sabor gergelim, nori, gengibre, camarão ou amendoim. São muito procurados como produtos representativos de cada região e para levar de presente ao retornar de viagens. É muito bom comê-los apreciando o som crocante.

TAIYAKI
Este doce consiste numa massa assada em formas com formato de tai (pargo) com recheio. O mais gostoso é saboreá-lo ainda quente, assoprando-o. É o doce mais procurado no inverno. Custa 150 ienes (R$ 4) cada. O taiyaki exportado do Japão para a Coréia é chamado de Bun´oban, e dizem que, em épocas de crise, aumenta o número de vendedores de taiyaki. Dizem que ainda hoje é um doce muito apreciado.

Em São Paulo, é mais conhecido o dorayaki (formato de dora, ou seja, gongo).

OHAGI
Cozinha-se o arroz comum misturado com mochigome (arroz para se fazer mochi), socando-o para obter a massa e fazendo-o no formato redondo, e cobrindo-os em seguida com uma camada de anko, kinako (farinha de soja açucarada) ou gergelim. É também uma iguaria servida no equinócio de primavera e outono em que se cultua a alma dos falecidos. Isto porque acreditava-se que o feijão azuki utilizado na cobertura possuia poderes para expulsar os maus espíritos. O nome de “ohagi” se deve ao fato de os grãos da cobertura lembrarem as flores de hagi , que florescem em outono. O ohagi é também chamado de botamochi por ser parecido com as flores de botan (peônia) que florescem na primavera.

KASHIWAMOCHI


Bolinho é coberto por folha de carvalho

As folhas de carvalho são tidas como auspiciosas porque as mais velhas não caem antes que brotem as mais tenras, e por isso são tidas como símbolo da continuidade da família. Os mais antigos utilizavam-nas como guarnição para os alimentos oferendados a Deus. Kashiwamochi consiste no bolinho feito de pasta de farinha de arroz comum com formato de meia-lua, recheado de anko e coberto com folha de carvalho. Tanto na aparência como no paladar, pode-se apreciar o sabor da natureza. Substituindo a folha pela de cerejeira e dando uma cor rosada à massa, o doce passa a se chamar sakuramochi.

Bolos e chocolates
Com a ocidentalização do modo de vida, os doces servidos também tendem para bolos, chocolates e cremes, mas para se saborear acompanhados do chá japonês, o melhor mesmo são os doces tradicionais do Japão. Experimente, com certeza, irá gostar !


Arquivo NippoBrasil - Edição 245 - 18 a 24 de fevereiro de 2004
Busca
Cultura Tradicional
Arquivo Nippo - Edição 273
Dia da Prevenção contra Catástrofes
Arquivo Nippo - Edição 271
História e origem do banho de ofurô
Arquivo Nippo - Edição 269
Idades do azar: descubra quais são e como é possível livrar-se delas
Arquivo Nippo - Edição 267
Okoden e missas em memória de falecidos
Arquivo Nippo - Edição 265
Tanabata e tanzaku
Arquivo Nippo - Edição 263
Tatuagem – Irezumi
Arquivo Nippo - Edição 261
Dia de Prevenção da Cárie Dentária
Arquivo Nippo - Edição 259
Dia Mundial de Combate ao Fumo
Arquivo Nippo - Edição 257
Superstições
Arquivo Nippo - Edição 255
Bushido
Arquivo Nippo - Edição 253
Orange Day
Arquivo Nippo - Edição 251
O Aniversário de Buda
Arquivo Nippo - Edição 249
Dia da proteção aos animais
Arquivo Nippo - Edição 247
Hina Ningyoo (Bonecos do Dia das Meninas)
Arquivo Nippo - Edição 245
Oyatsu: O lanche da tarde japonês
Arquivo Nippo - Edição 243
Setsubun - Omen
Arquivo Nippo - Edição 241
Otoshidama
Arquivo Nippo - Edição 239
Hatsuyume
Arquivo Nippo - Edição 237
Omamori
Arquivo Nippo - Edição 235
Susuharai e Ooharae (Limpeza geral e purificação)
Arquivo Nippo - Edição 233
Provas garantem bom empregos desde o período Edo
Arquivo Nippo - Edição 231
História dos dicionários japonês-português
Arquivo Nippo - Edição 229
Tokonoma
Arquivo Nippo - Edição 227
Cataratas no Japão
Arquivo Nippo - Edição 225
Osekihan nas festividades
Arquivo Nippo - Edição 223
A Festa do Crisântemo
Arquivo Nippo - Edição 221
O Missô na alimentação japonesa
Arquivo Nippo - Edição 219
Miyamoto Musashi
Arquivo Nippo - Edição 217
Yukata
Arquivo Nippo - Edição 215
Gionmatsuri
Arquivo Nippo - Edição 213
Onsen (termas)
Arquivo Nippo - Edição 211
Kyuudoo, a arte do arco e flecha
Arquivo Nippo - Edição 209
Hoogaku: Música tradicional japonesa
Arquivo Nippo - Edição 207
Hinagata
Arquivo Nippo - Edição 205
Karesansui - O Jardim Japonês sem Água
Arquivo Nippo - Edição 203
Rakan, a imagem do Iluminado
Arquivo Nippo - Edição 201
Três grandes personalidades marcantes da era Meiji
Arquivo Nippo - Edição 199
Kiriko (Vidros laminados)
Arquivo Nippo - Edição 197
Sekisho, os Postos de Fiscalização
Arquivo Nippo - Edição 195
Hinamatsuri
Arquivo Nippo - Edição 193
Hanafuda


A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippo.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2021 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados