Portal NippoBrasil - OnLine - 19 anos
Sábado, 18 de setembro de 2021 - 19h53
  Empregos no Japão

  Busca
 

SEÇÕES
Comunidade
Opinião
Circuito
Notícias
Agenda
Dekassegui
Entrevistas
Especial
-
VARIEDADES
Aula de Japonês
Automóveis
Artesanato
Beleza
Bichos
Budô
Comidas do Japão
Cultura-Tradicional
Culinária
Haicai
História do Japão
Horóscopo
Lendas do Japão
Mangá
Pesca
Saúde
Turismo-Brasil
Turismo-Japão
-
ESPORTES
Copa 2014
-
ESPECIAIS
Imigração
Tratado Amizade
Bomba Hiroshima
Japan House
Festival do Japão
-
COLUNAS
Conversando RH
Mensagens
Shinyashiki
-
CLASSIFICADOS
Econômico
Empregos BR
Guia Profissionais
Imóveis
Oportunidades
Ponto de Encontro
-
INSTITUCIONAL
Redação
Quem somos
-
 
Omamori

Pequenos amuletos que servem para tudo, desde proteger
a casa até arranjar um bom casamento

Fotos: Divulgação / Arquivo NB

Os japoneses possuem o costume de visitar o santuário xintoísta próximo às suas residências no ano novo e oram para o bem da família, dos parentes, da nação e do mundo. Esse ano, com certeza, devem orar para que o 2004 seja, ao menos, um pouco melhor que o ano turbulento que se passou, com atividades terroristas e guerras. Nos santuários são vendidos amuletos e talismãs que foram purificados. Levamos os amuletos para casa e o conservamos com zelo.

PROTEÇÃO DIVINA
”Omamori” são amuletos em tamanho reduzido, colocados em saquinhos, contendo nomes de divindades e palavras de oração para proteger dos maus espíritos e catástrofes. Os benefícios mais comuns são: proteção no trânsito, aprovação no exame vestibular, sucesso nos negócios, bom parto, proteção contra doenças e azares. Os mais estranhos ficam por conta de talismãs denominados “tama no koshi” para quem deseja se casar com uma pessoa rica, “kyugi tokon omamori” para os que querem se sair bem em esportes que utilizam bola, amuletos de panda para os que desejam se tornar famosos, entre outros. Dizem que até os jogadores profissionais de futebol os possuem. Quanto aos formatos, são muito variados, tendo amuletos no formato até de alças portáteis, selos e de personagens famosos. O gosto dos japoneses pelos talismãs é surpreendente.

ORIGEM EM QUIOTO
Antigamente os talismãs não eram colocados em saquinhos; eram folhas de papel com dizeres como : “proteção no lar”, “cuidado com fogos”, “sucesso nos empreendimentos”, etc, que eram afixados nos compartimentos da casa como santuários, cozinhas, banheiros. Não era algo para carregar junto de si. Era também usual escrever o desejo numa fina tábua de madeira que ao quebrar, protegia a pessoa dos danos.

O Japão tinha o Xintoísmo como religião oficial do país na época da guerra, porisso, quando os soldados se apresentavam para ir à guerra, os santuários ofereciam a eles os talismãs de “sorte na batalha e regresso a salvo”. Os familiares costuravam o talismã nas fardas dos soldados e oravam para que retornassem sãos e salvos da guerra. No pós guerra, os comerciantes de Nishijin, Quioto, tiveram a idéia de confeccionar talismãs colocados em saquinhos de belos tecidos Nishijin, vendendo-os aos templos e santuários de todo o país. O resultado foi um sucesso. As encomendas alcançam o pico entre novembro e janeiro. A história dos tecidos Nishijin é antiga, datando de século 7. O bicho-da-seda e as técnicas de tecer seda foram trazidos por viajantes vindos do continente, que presentearam o imperador e os nobres com suntuosos tecidos de primeira qualidade. O Período Muromachi é marcado por designs inovadores, destacando-se as vestimentas do teatro Nô. No século 19 passa ao declínio, mas a partir da Revolução Meiji (1868) a tecelagem Nishijin foi reativada com a introdução de novas técnicas trazidas do ocidente. Os suntuosos quimonos de seda são objetos caros, fora do alcance da população, mas a sua beleza pode ser apreciada em talismãs que utilizam pequenos retalhos do tecido. Podem ser encontrados com brasões de cada santuário ou templo e em variadas estampas.

VARIAM CONFORME A ÉPOCA
Com a chegada do período de grande crescimento e a difusão do automóvel, os talismãs para automóveis cresceram em número. Em seguida, chegou a era dos bebês do pós-guerra que provocou uma grande procura pelos talismãs para bom parto e, com o crescimento das crianças, a procura direcionou-se para os talismãs para aprovação nos exames, obtenção de um bom emprego e casamento. Dizem que atualmente há talismãs até para telefones celulares eletrônicos.

Até para os japoneses que andam na vanguarda da alta tecnologia, parece que existe afinidade com o desejo de receber proteção divina e o gosto pelas miniaturas próprio dos japoneses.

 

Arquivo NippoBrasil - Edição 237 - 17 a 23 de dezembro de 2003
Busca
Cultura Tradicional
Arquivo Nippo - Edição 301
A cerimônia de formatura e o uso do hakama como traje oficial
Arquivo Nippo - Edição 299
Abertura dos portos – um passo em direção à sociedade internacional
Arquivo Nippo - Edição 297
Hinamatsuri
Arquivo Nippo - Edição 295
Setsubun marca mudança de estação
Arquivo Nippo - Edição 293
Kagamibiraki
Arquivo Nippo - Edição 290
Joya-no-kane: O bater dos sinos na passagem do ano
Arquivo Nippo - Edição 287
As sete divindades da felicidade (Shichifukujin)
Arquivo Nippo - Edição 285
Dia do shogui
Arquivo Nippo - Edição 283
Chushingura
Arquivo Nippo - Edição 281
Dia Internacional Contra a Guerra
Arquivo Nippo - Edição 277
A pintura ocidental japonesa
Arquivo Nippo - Edição 275
Casamentos e pérolas
Arquivo Nippo - Edição 273
Dia da Prevenção contra Catástrofes
Arquivo Nippo - Edição 271
História e origem do banho de ofurô
Arquivo Nippo - Edição 269
Idades do azar: descubra quais são e como é possível livrar-se delas
Arquivo Nippo - Edição 267
Okoden e missas em memória de falecidos
Arquivo Nippo - Edição 265
Tanabata e tanzaku
Arquivo Nippo - Edição 263
Tatuagem – Irezumi
Arquivo Nippo - Edição 261
Dia de Prevenção da Cárie Dentária
Arquivo Nippo - Edição 259
Dia Mundial de Combate ao Fumo
Arquivo Nippo - Edição 257
Superstições
Arquivo Nippo - Edição 255
Bushido
Arquivo Nippo - Edição 253
Orange Day
Arquivo Nippo - Edição 251
O Aniversário de Buda
Arquivo Nippo - Edição 249
Dia da proteção aos animais
Arquivo Nippo - Edição 247
Hina Ningyoo (Bonecos do Dia das Meninas)
Arquivo Nippo - Edição 245
Oyatsu: O lanche da tarde japonês
Arquivo Nippo - Edição 243
Setsubun - Omen
Arquivo Nippo - Edição 241
Otoshidama
Arquivo Nippo - Edição 239
Hatsuyume
Arquivo Nippo - Edição 237
Omamori
Arquivo Nippo - Edição 235
Susuharai e Ooharae (Limpeza geral e purificação)
Arquivo Nippo - Edição 233
Provas garantem bom empregos desde o período Edo
Arquivo Nippo - Edição 231
História dos dicionários japonês-português
Arquivo Nippo - Edição 229
Tokonoma
Arquivo Nippo - Edição 227
Cataratas no Japão


A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippo.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2021 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados