Portal NippoBrasil - OnLine - 19 anos
Terça-feira, 26 de maio de 2020 - 1h44
  Empregos no Japão

  Busca
 

SEÇÕES
Comunidade
Opinião
Circuito
Notícias
Agenda
Dekassegui
Entrevistas
Especial
-
VARIEDADES
Aula de Japonês
Automóveis
Artesanato
Beleza
Bichos
Budô
Comidas do Japão
Cultura-Tradicional
Culinária
Haicai
História do Japão
Horóscopo
Lendas do Japão
Mangá
Pesca
Saúde
Turismo-Brasil
Turismo-Japão
-
ESPORTES
Copa 2014
-
ESPECIAIS
Imigração
Tratado Amizade
Bomba Hiroshima
Japan House
Festival do Japão
-
COLUNAS
Conversando RH
Mensagens
Shinyashiki
-
CLASSIFICADOS
Econômico
Empregos BR
Guia Profissionais
Imóveis
Oportunidades
Ponto de Encontro
-
INSTITUCIONAL
Redação
Quem somos
-
 
A Festa do Crisântemo

Dia 9 de setembro é considerado um dia de sorte na tradição japonesa


O crisântemo recebe bons fluidos e emite boas influências em todas direções

Fotos: Divulgação / Arquivo NB

Neste dia comemora-se a festa sazonal do crisântemo ou de choyo (palavra que na China significa a repetição do número nove). Na antiga China, era costume subir as montanhas para fazer oferendas a Deus pedindo fartura na colheita dos cereais e proteção contra os maus espíritos. Choyo também provém do princípio dos polos positivo e negativo, sendo considerados ing os números ímpares e yang os números pares. O dia em que se repete o maior número ímpar, que é o nove do mês nove, é tido como um dia especialmente bom.

Este costume foi transmitido também ao Japão na segunda metade do século 7, onde se comemorava a data no palácio imperial colocando flores de crisântemo no saquê ou compondo versos. Na Idade Média, os guerreiros também enviavam flores de crisântemo aos xoguns. No século 17, já no Período Edo, com a intensificação do cultivo da flor, passou-se a tomar saquê com crisântemo e confeccionar e apreciar kikuningyoo (bonecos de personalidades históricas ou paisagens feitos com armações cobertas de crisântemo). Na época diziam também que limpar o rosto com o algodão deixado sobre flores de crisântemo, na véspera da data, traria maior longevidade e livraria a pessoa de doenças e desgraças.

Dentre a população, o termo okunichi (dia 9) passou a ser dito okunchi, e passou a ser usado para a festa da colheita de outubro e novembro. A mais famosa é a comemoração de okunchi de Nagasaki.

 

EFEITOS MEDICINAIS
O crisântemo é originário da China e nas antigas escrituras sobre ervas medicinais consta que é eficaz no combate às tonturas, dores de cabeça, gripes, circulação e envelhecimento. Dizem que Jido, um personagem lendário da China, viveu durante 800 anos. Ele tomava diariamente saquê com crisântemo. Antigos registros sobre ervas medicinais europeu também mostram que o crisântemo combate a tontura, a depressão e a afasia. Na culinária japonesa, o crisântemo é colocado junto ao sashimi para eliminar toxicidade.

LINGUAGEM DAS FLORES
Dizem que o crisântemo é uma flor que recebe bons fluidos de todas as direções e emite boas influências para todas as direções. O crisântemo branco significa nobreza e sinceridade, o amarelo representa poder financeiro e coração refinado, o rosa harmonia e o laranja entusiasmo. O brasão da família imperial também é um crisântemo. As flores de corte mais vendidos no Japão são: a rosa, o cravo-de-amor, a campânula turca, o lírio e o crisântemo. Mesmo no Brasil onde até há algum tempo a rosa era a tendência absoluta, hoje graças aos produtores descendentes de japoneses, temos no mercado uma ampla variedade de crisântemos.

SAQUE DE CRISÂNTEMO
Quer relaxar como faziam os nobres do Período Heian há mais de mil anos? Eles costumavam tomar saquê de crisântemo apreciando além do sabor, o aroma da bebida. A receita é simples. Primeiro é embrulhe 100g de crisântemo desidratado em gaze e deixe submerso em 1,8 litros de licor branco. Depois é só guardar em local escuro e fresco por um a dois meses e está pronto. As pessoas que não apreciam o sabor amargo podem acrescentar um pouco de mel ou diluir em água quente ou água gaseificada. Tomar uma dose desta bebida, apreciando o aroma de crisântemo não seria um momento de descontração nos atribulados dias de hoje?


Arquivo NippoBrasil - Edição 223 - 10 a 16 de setembro de 2003
Busca
Cultura Tradicional
Arquivo Nippo - Edição 239
Hatsuyume
Arquivo Nippo - Edição 237
Omamori
Arquivo Nippo - Edição 235
Susuharai e Ooharae (Limpeza geral e purificação)
Arquivo Nippo - Edição 233
Provas garantem bom empregos desde o período Edo
Arquivo Nippo - Edição 231
História dos dicionários japonês-português
Arquivo Nippo - Edição 229
Tokonoma
Arquivo Nippo - Edição 227
Cataratas no Japão
Arquivo Nippo - Edição 225
Osekihan nas festividades
Arquivo Nippo - Edição 223
A Festa do Crisântemo
Arquivo Nippo - Edição 221
O Missô na alimentação japonesa
Arquivo Nippo - Edição 219
Miyamoto Musashi
Arquivo Nippo - Edição 217
Yukata
Arquivo Nippo - Edição 215
Gionmatsuri
Arquivo Nippo - Edição 213
Onsen (termas)
Arquivo Nippo - Edição 211
Kyuudoo, a arte do arco e flecha
Arquivo Nippo - Edição 209
Hoogaku: Música tradicional japonesa
Arquivo Nippo - Edição 207
Hinagata
Arquivo Nippo - Edição 205
Karesansui - O Jardim Japonês sem Água
Arquivo Nippo - Edição 203
Rakan, a imagem do Iluminado
Arquivo Nippo - Edição 201
Três grandes personalidades marcantes da era Meiji
Arquivo Nippo - Edição 199
Kiriko (Vidros laminados)
Arquivo Nippo - Edição 197
Sekisho, os Postos de Fiscalização
Arquivo Nippo - Edição 195
Hinamatsuri
Arquivo Nippo - Edição 193
Hanafuda
Arquivo Nippo - Edição 191
Setsubun - Mamemaki
Arquivo Nippo - Edição 189
Gojuu no Too - A torre de cinco andares
Arquivo Nippo - Edição 187
ZEAMI, o criador do Nô
Arquivo Nippo - Edição 185
Feira de Hagoita
Arquivo Nippo - Edição 183
Livros editados pelos cristãos
Arquivo Nippo - Edição 181
Quimono
Arquivo Nippo - Edição 179
Kingyo
Arquivo Nippo - Edição 177
História do Daruma
Arquivo Nippo - Edição 175
Koromogae, trocando de estação e de roupa
Arquivo Nippo - Edição 173
Crisântemo, a flor do Japão
Arquivo Nippo - Edição 171
A história dos estudos japoneses no Brasil
Arquivo Nippo - Edição 169
Higuchi Ichiyo será a primeira figura feminina estampada em cédula japonesa
Arquivo Nippo - Edição 165
O grande Festival de Osorezan


A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippo.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2020 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados