Portal NippoBrasil - OnLine - 19 anos
Sábado, 24 de fevereiro de 2024 - 3h37
  Empregos no Japão

  Busca
 

SEÇÕES
Comunidade
Opinião
Circuito
Notícias
Agenda
Dekassegui
Entrevistas
Especial
-
VARIEDADES
Aula de Japonês
Automóveis
Artesanato
Beleza
Bichos
Budô
Comidas do Japão
Cultura-Tradicional
Culinária
Haicai
História do Japão
Horóscopo
Lendas do Japão
Mangá
Pesca
Saúde
Turismo-Brasil
Turismo-Japão
-
ESPECIAIS
Imigração
Tratado Amizade
Bomba Hiroshima
Japan House
Festival do Japão
-
COLUNAS
Conversando RH
Mensagens
Shinyashiki
-
CLASSIFICADOS
Econômico
Empregos BR
Guia Profissionais
Imóveis
Oportunidades
Ponto de Encontro
-
INSTITUCIONAL
Redação
Quem somos
-
 
O grande Festival de Osorezan

Monte Osore é um dos grandes locais sagrados do Japão
 

Fotos: Divulgação / Arquivo NB

No Monte Osore, localizado no município de Mutsu, província de Aomori (Península de Shimokita), é realizado anualmente, entre 20 e 24 de julho, um festival para cultuar as almas dos mortos, reunindo mais de 30 mil pessoas entre turistas e peregrinos de todo o país. Explica-se que, orando a jizo (santo protetor) durante esse período, os mortos serão salvos do sofrimento.

A origem do Monte Osore

O Monte Osore é um dos três grandes locais sagrados do Japão, juntamente com o Monte Hiei, em Quioto, e Monte Takano, em Wakayama, tendo sido desbravado pelo grande monge Jikaku no ano 862. Durante sua ascese em Tang, o monge Jikaku recebeu uma mensagem divina que dizia: “Volte ao seu país e procure uma montanha sagrada a distância de 30 dias de jornada na direção leste. Esculpa aí uma imagem de jizo e divulgue os ensinamentos do budismo nessa terra”. O monge Jikaku voltou, então, ao Japão e procurou por várias regiões até que encontrou um local exatamente como havia sido revelado no seu sonho. Era o Monte Osore.

O motivo pelo qual o monte passou a ter esse nome temos duas versões: a de que durante sua ascese nas montanhas próximas o monge Jikaku foi orientado por um pato d’água que o conduziu até o lago, o qual o monge chamou de Lago Usori. Assim, o monte passou a ser chamado de monte Usori, sendo com o tempo modificado para monte Osore. Outra versão é a de que fora adotado o nome usshoro (baía) ou ainda usatsuoronoburi (monte onde chovem cinzas), ambos do dialeto ainu.

Apesar de se chamar Monte Osore, não se trata exatamente de uma montanha, mas de um lago formado na cratera de um antigo vulcão e cercado por enormes montes que o circundam. É um local que até parece cenário de inferno, envolto em cheiro de gás de ácido sulfuroso como ocorre em Beppu e Izu. Sua aparência é a de um outro mundo, isolado e medonho, onde não cresce uma vegetação sequer. As pessoas devem ter imaginado nesse local o temido inferno.

As imagens de jizo estão espalhadas em todo o Monte Osore. Jizo é um importante santo que orientou e conduziu a humanidade neste mundo terreno desde a morte do Sakyamuni (Buda) até o surgimento de Mirokubosatsu (bodhisattva Maitreya). É especialmente tido como o santo protetor das crianças neste mundo terreno e no mundo pós-morte.


Imagens de Jizo, o santo protetor, ficam espalhadas pelo Monte Osore

Vozes do além

Assim como no Brasil existem os espíritas que conduzem a este mundo os espíritos dos falecidos, há no Japão as chamadas de Itako na região nordeste e Kuchiyose na região Kanto. Dizem também ter relação com Yuta de Okinawa. Estas mulheres, deficientes visuais, entoam frases com poderes de evocar o espírito divino, entram em transe, aguardam a incorporação pelo espírito divino, baixam o espírito da pessoa morta, conversam com ele e comunicam-nos o estado em que se encontram os espíritos das pessoas falecidas. Normalmente viviam pelo interior da província de Aomori, mas a partir da década de 60, nesta época e no festival de outono reúnem-se no local. A idade média delas é de 60 anos e quase não há sucessoras, tendo atualmente cerca de 16 pessoas apenas. Além delas, dentre as kuchiyose há as que evocam espíritos prejudiciais dos vivos e as que recebem do espírito divino a indicação sobre a sorte da pessoa.


Arquivo NippoBrasil - Edição 165 - 24 a 30 de julho de 2002
Busca
Cultura Tradicional
Arquivo Nippo - Edição 329
O suicídio antes e depois da internet
Arquivo Nippo - Edição 327
A história do ensino da língua japonesa no exterior
Arquivo Nippo - Edição 325
Cerimônias de casamento ontem e hoje
Arquivo Nippo - Edição 323
Pet shops
Arquivo Nippo - Edição 321
O monumento da “criança e a bomba atômica”
Arquivo Nippo - Edição 319
Bon-odori
Arquivo Nippo - Edição 317
As características das mulheres por província
Arquivo Nippo - Edição 315
Tanabata Matsuri – O Festival das Estrelas
Arquivo Nippo - Edição 313
Museu em Yokohama apresenta a história dos japoneses no exterior
Arquivo Nippo - Edição 311
Minamoto-no-Yoshitsune
Arquivo Nippo - Edição 309
O taikô japonês
Arquivo Nippo - Edição 307
Festejos e tradições de Tango no Sekku
Arquivo Nippo - Edição 305
A Golden Week e as viagens
Arquivo Nippo - Edição 301
A cerimônia de formatura e o uso do hakama como traje oficial
Arquivo Nippo - Edição 299
Abertura dos portos – um passo em direção à sociedade internacional
Arquivo Nippo - Edição 297
Hinamatsuri
Arquivo Nippo - Edição 295
Setsubun marca mudança de estação
Arquivo Nippo - Edição 293
Kagamibiraki
Arquivo Nippo - Edição 290
Joya-no-kane: O bater dos sinos na passagem do ano
Arquivo Nippo - Edição 287
As sete divindades da felicidade (Shichifukujin)
Arquivo Nippo - Edição 285
Dia do shogui
Arquivo Nippo - Edição 283
Chushingura
Arquivo Nippo - Edição 281
Dia Internacional Contra a Guerra
Arquivo Nippo - Edição 277
A pintura ocidental japonesa
Arquivo Nippo - Edição 275
Casamentos e pérolas
Arquivo Nippo - Edição 273
Dia da Prevenção contra Catástrofes
Arquivo Nippo - Edição 271
História e origem do banho de ofurô
Arquivo Nippo - Edição 269
Idades do azar: descubra quais são e como é possível livrar-se delas
Arquivo Nippo - Edição 267
Okoden e missas em memória de falecidos
Arquivo Nippo - Edição 265
Tanabata e tanzaku
Arquivo Nippo - Edição 263
Tatuagem – Irezumi


A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippo.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2022 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados