Portal NippoBrasil - OnLine - 19 anos
Sábado, 24 de fevereiro de 2024 - 3h49
  Empregos no Japão

  Busca
 

SEÇÕES
Comunidade
Opinião
Circuito
Notícias
Agenda
Dekassegui
Entrevistas
Especial
-
VARIEDADES
Aula de Japonês
Automóveis
Artesanato
Beleza
Bichos
Budô
Comidas do Japão
Cultura-Tradicional
Culinária
Haicai
História do Japão
Horóscopo
Lendas do Japão
Mangá
Pesca
Saúde
Turismo-Brasil
Turismo-Japão
-
ESPECIAIS
Imigração
Tratado Amizade
Bomba Hiroshima
Japan House
Festival do Japão
-
COLUNAS
Conversando RH
Mensagens
Shinyashiki
-
CLASSIFICADOS
Econômico
Empregos BR
Guia Profissionais
Imóveis
Oportunidades
Ponto de Encontro
-
INSTITUCIONAL
Redação
Quem somos
-
Arquivo NippoBrasil - Edição 137 - 9 a 22 de janeiro de 2002
 
Seijinshiki, a Cerimônia da Maioridade

Fotos: Divulgação / Arquivo NB


Em 1980, o príncipe Naruhito comemorou a maioridade em cerimônia especial e foi coroado pela primeira vez
No Japão, o dia 15 de janeiro é feriado nacional, chamado seijinshiki (cerimônia da maioridade). É uma atividade peculiar dos japoneses. Nenhum outro país, inclusive o Brasil, possui uma data específica para comemorar a maioridade dos jovens.

Direitos e deveres ao se completar 20 anos de idade

Nessa data, as repartições das províncias, assim como as de cada cidade, município e vila, reúnem em edifícios públicos os jovens que acabaram de completar 20 anos para melhor conscientizá-los do seu papel como adultos. Há os direitos, como a liberdade de casamento e o voto, mas também obrigações, como impostos, e responsabilidades sociais. Neste dia também faz-se uma visita ao templo xintoísta de cada região para agradecer e comunicar o fato de ter se chegado a essa idade sem nenhum problema.

História

Desde a Antigüidade, havia atividade equivalente à seijinshiki. A idade de 20 anos como sendo a maioridade ficou assim definida desde o Período Meiji, a partir do alistamento ao serviço militar.


Mulheres vestem furisode, quimono com mangas longas, usado somente por solteiras

Entre os nobres da Antigüidade, havia uma cerimônia chamada uikooburi no gi ou kakan no gi (ver foto da comemoração da maioridade do príncipe Hironomiya Naruhito, em 1980) na qual a pessoa era coroada pela primeira vez. Entre os samurais havia a cerimônia de genpukushiki, em que se tirava a franja e passava, então, a se vestir como adulto, com montsuki hakama. Também era usual realizar o nakaê ,ou seja, a troca de nome infantil por um nome de adulto. Por exemplo, o patriarca do governo feudal de Tokugawa chamava-se Takechiyo na infância e posteriormente passou a chamar-se Motoyasu.

Ao completar a maioridade, as mulheres também cortavam a franja e passavam a usar o penteado com os cabelos puxados para cima como uma mulher adulta. Essas cerimônias eram geralmente realizadas com jovens entre 14 e 18 anos. Os agricultores e comerciantes também passavam a usar roupas de trabalho próprios de adultos, usar fundoshi (espécie de roupa íntima) e tinham a permissão de carregar porta-cigarros. As mulheres passavam a usar koshimaki (roupa íntima) vermelha, participavam do plantio de arroz, tingiam os dentes de preto, entre outras coisas. Segundo dizem, para ser considerado um adulto teria que carregar 60 quilos de lenha nas costas e andar 12 quilômetros, após o que deveria vender toda essa lenha antes de retornar. Para a mulher a carga da lenha era a metade disso.

Para a festa da maioridade, muitas mulheres confeccionam um novo quimono. Chama-se furisode, um tipo de quimono cujas mangas são especialmente longas e que era usado somente por mulheres solteiras. Balançar a manga do furisode era um meio de declarar amor ao homem amado.

Antigamente casava-se cedo. Segundo “Database da população da família Tokugawa”, uma pesquisa realizada pela equipe do professor Sakomizu Tooru, as idades para casamento eram, na região nordeste, entre 19 e 20 anos para os homens e 14 e 15 anos para as mulheres; e na região oeste, entre 27 e 30 anos para homens e 21 e 24 anos para as mulheres. A percentagem de casados também era grande e um relevante número de casais separava-se nos 3 ou 5 anos iniciais do casamento, partindo para um segundo matrimônio, sendo comparável aos atuais Estados Unidos. Tem-se também a imagem de que tinham muitos filhos, mas o índice de mortalidade era grande e em média somente 2 filhos por cada casal atingiam a maioridade, o que aproxima das estatísticas atuais.

Os jovens de hoje


Momento de festa e de conscientização dos jovens de seu papel como adultos

Em qualquer época, os adultos sempre reclamaram que “os jovens de hoje não sabem se portar com educação”, o que invariavelmente tem acontecido. Cabelos tingidos e telefones celulares para todos os cantos, conversas paralelas em situações que exigem silêncio são exemplos. De qualquer forma, quem irá sustentar o futuro e a cultura mundial são os jovens. Tenhamos boas expectativas nos atos e idéias inovadoras que eles possuem.

Busca
Cultura Tradicional
Arquivo Nippo - Edição 329
O suicídio antes e depois da internet
Arquivo Nippo - Edição 327
A história do ensino da língua japonesa no exterior
Arquivo Nippo - Edição 325
Cerimônias de casamento ontem e hoje
Arquivo Nippo - Edição 323
Pet shops
Arquivo Nippo - Edição 321
O monumento da “criança e a bomba atômica”
Arquivo Nippo - Edição 319
Bon-odori
Arquivo Nippo - Edição 317
As características das mulheres por província
Arquivo Nippo - Edição 315
Tanabata Matsuri – O Festival das Estrelas
Arquivo Nippo - Edição 313
Museu em Yokohama apresenta a história dos japoneses no exterior
Arquivo Nippo - Edição 311
Minamoto-no-Yoshitsune
Arquivo Nippo - Edição 309
O taikô japonês
Arquivo Nippo - Edição 307
Festejos e tradições de Tango no Sekku
Arquivo Nippo - Edição 305
A Golden Week e as viagens
Arquivo Nippo - Edição 301
A cerimônia de formatura e o uso do hakama como traje oficial
Arquivo Nippo - Edição 299
Abertura dos portos – um passo em direção à sociedade internacional
Arquivo Nippo - Edição 297
Hinamatsuri
Arquivo Nippo - Edição 295
Setsubun marca mudança de estação
Arquivo Nippo - Edição 293
Kagamibiraki
Arquivo Nippo - Edição 290
Joya-no-kane: O bater dos sinos na passagem do ano
Arquivo Nippo - Edição 287
As sete divindades da felicidade (Shichifukujin)
Arquivo Nippo - Edição 285
Dia do shogui
Arquivo Nippo - Edição 283
Chushingura
Arquivo Nippo - Edição 281
Dia Internacional Contra a Guerra
Arquivo Nippo - Edição 277
A pintura ocidental japonesa
Arquivo Nippo - Edição 275
Casamentos e pérolas
Arquivo Nippo - Edição 273
Dia da Prevenção contra Catástrofes
Arquivo Nippo - Edição 271
História e origem do banho de ofurô
Arquivo Nippo - Edição 269
Idades do azar: descubra quais são e como é possível livrar-se delas
Arquivo Nippo - Edição 267
Okoden e missas em memória de falecidos
Arquivo Nippo - Edição 265
Tanabata e tanzaku
Arquivo Nippo - Edição 263
Tatuagem – Irezumi


A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippo.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2022 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados