Portal NippoBrasil - OnLine - 19 anos
Quinta-feira, 22 de fevereiro de 2024 - 19h01
  Empregos no Japão

  Busca
 

SEÇÕES
Comunidade
Opinião
Circuito
Notícias
Agenda
Dekassegui
Entrevistas
Especial
-
VARIEDADES
Aula de Japonês
Automóveis
Artesanato
Beleza
Bichos
Budô
Comidas do Japão
Cultura-Tradicional
Culinária
Haicai
História do Japão
Horóscopo
Lendas do Japão
Mangá
Pesca
Saúde
Turismo-Brasil
Turismo-Japão
-
ESPECIAIS
Imigração
Tratado Amizade
Bomba Hiroshima
Japan House
Festival do Japão
-
COLUNAS
Conversando RH
Mensagens
Shinyashiki
-
CLASSIFICADOS
Econômico
Empregos BR
Guia Profissionais
Imóveis
Oportunidades
Ponto de Encontro
-
INSTITUCIONAL
Redação
Quem somos
-
Arquivo NippoBrasil - Edição 105 - 24 a 30 de maio de 2001
 
Ukai: uma boa pescaria
 

(Fotos: Fundação Japão / Divulgação)

No dia 1º de junho começa a temporada de pesca do ayu. Durante o verão é permitida a pesca desse peixe. No Japão, país cercado pelos quatro oceanos, comer peixe é fato desde os primórdios da história. Há mais de 3.700 espécies de peixe em água nipônicas. Foram descobertas anzóis de pesca da Idade da Pedra, mais de 8000 anos atrás. Também foram encontrados anzóis de ossos de animais, de peixes e de madeira. Na mitologia japonesa há também a história de Kawahiko e Yamahiko (dois personagens míticos), em escrituras mais antigas há episódios onde o Imperador pesca robalos ou pargos. Na era da aristocracia foi feita uma construção em cima da água do lago e que era chamada de Tsuridono. A pesca popularizou-se na Era Edo especialmente durante o período Genroku. Foi nessa época que foi inventada a bóia. Desde entãoé possível ver os pescadores em mares e rios. Estima-se que há mais de 10 milhões de adeptos desse esporte. Existem várias publicações sobre o assunto. Os apetrechos para pescaria sofisticaram-se e para a prática do esporte gasta-se uma quantia considerável.

Voltando ao Japão antigo, havia uma espécie de pescaria chamada de ukai, oriunda da China. Ainda hoje pode-se ver esse tipo de pesca no rio Nagara, Gifu, que é uma das atrações turísticas. Há referências sobre o ukai no “Nihon Shoki”, datado de 720. Uma ave, o cormorão, é utilizado para a pesca. Esse tipo de pescador é chamado de usho. A ave é amarrada com uma linha e então solta para que pesquem o ayu. O cormorão é trazido de volta para o barco onde acaba soltando os peixes. Dependendo da habilidade do mestre pesqueiro, chega-se a manipular até 12 aves simultaneamente. À noite, as tochas no navio e os peixes recolhidos formam uma linda paisagem. As vestimentas também são de época. Os pescadores usam o mino (vestimenta de palha) na cintura para proteger-se da água e na cabeça amarram uma toalha em formato de chapéu para proteger o cabelo da tocha.

O cormorão é difícil de ser treinado e disciplinado mas feito isso, a ave mostra-se muito eficiente na pesca. Esse estilo de pesca de mais de 1.300 anos e que já foi muito apreciado pelas famílias imperiais e por senhores feudais, hoje é meramente uma atração turística, e está à beira de extinguir-se. Esses mestres pesqueiros são mantidos hoje como funcionários da Agência Imperial.

O ayu é um peixe de água doce e cujo sabor é bastante apreciado pelos japoneses. É degustado assado, como sashimi (peixe cru) e ayuzushi. Infelizmente não é encontrado no Brasil.

 
Kanji

*Esta página foi elaborada pelos professores da Aliança Cultural Brasil-Japão,
especialmente para o NIPPO-BRASIL.
Busca
Cultura Tradicional
Arquivo Nippo - Edição 329
O suicídio antes e depois da internet
Arquivo Nippo - Edição 327
A história do ensino da língua japonesa no exterior
Arquivo Nippo - Edição 325
Cerimônias de casamento ontem e hoje
Arquivo Nippo - Edição 323
Pet shops
Arquivo Nippo - Edição 321
O monumento da “criança e a bomba atômica”
Arquivo Nippo - Edição 319
Bon-odori
Arquivo Nippo - Edição 317
As características das mulheres por província
Arquivo Nippo - Edição 315
Tanabata Matsuri – O Festival das Estrelas
Arquivo Nippo - Edição 313
Museu em Yokohama apresenta a história dos japoneses no exterior
Arquivo Nippo - Edição 311
Minamoto-no-Yoshitsune
Arquivo Nippo - Edição 309
O taikô japonês
Arquivo Nippo - Edição 307
Festejos e tradições de Tango no Sekku
Arquivo Nippo - Edição 305
A Golden Week e as viagens
Arquivo Nippo - Edição 301
A cerimônia de formatura e o uso do hakama como traje oficial
Arquivo Nippo - Edição 299
Abertura dos portos – um passo em direção à sociedade internacional
Arquivo Nippo - Edição 297
Hinamatsuri
Arquivo Nippo - Edição 295
Setsubun marca mudança de estação
Arquivo Nippo - Edição 293
Kagamibiraki
Arquivo Nippo - Edição 290
Joya-no-kane: O bater dos sinos na passagem do ano
Arquivo Nippo - Edição 287
As sete divindades da felicidade (Shichifukujin)
Arquivo Nippo - Edição 285
Dia do shogui
Arquivo Nippo - Edição 283
Chushingura
Arquivo Nippo - Edição 281
Dia Internacional Contra a Guerra
Arquivo Nippo - Edição 277
A pintura ocidental japonesa
Arquivo Nippo - Edição 275
Casamentos e pérolas
Arquivo Nippo - Edição 273
Dia da Prevenção contra Catástrofes
Arquivo Nippo - Edição 271
História e origem do banho de ofurô
Arquivo Nippo - Edição 269
Idades do azar: descubra quais são e como é possível livrar-se delas
Arquivo Nippo - Edição 267
Okoden e missas em memória de falecidos
Arquivo Nippo - Edição 265
Tanabata e tanzaku
Arquivo Nippo - Edição 263
Tatuagem – Irezumi


A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippo.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2022 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados