Portal NippoBrasil - OnLine - 19 anos
Sábado, 24 de fevereiro de 2024 - 2h28
  Empregos no Japão

  Busca
 

SEÇÕES
Comunidade
Opinião
Circuito
Notícias
Agenda
Dekassegui
Entrevistas
Especial
-
VARIEDADES
Aula de Japonês
Automóveis
Artesanato
Beleza
Bichos
Budô
Comidas do Japão
Cultura-Tradicional
Culinária
Haicai
História do Japão
Horóscopo
Lendas do Japão
Mangá
Pesca
Saúde
Turismo-Brasil
Turismo-Japão
-
ESPECIAIS
Imigração
Tratado Amizade
Bomba Hiroshima
Japan House
Festival do Japão
-
COLUNAS
Conversando RH
Mensagens
Shinyashiki
-
CLASSIFICADOS
Econômico
Empregos BR
Guia Profissionais
Imóveis
Oportunidades
Ponto de Encontro
-
INSTITUCIONAL
Redação
Quem somos
-
Arquivo NippoBrasil - Edição 096 - 22 a 28 de março de 2001
 
História do quimono - Parte 2

Bordados: uma das belezas do quimono
 

O quimono que hoje conhecemos vem do Período Heian

(Fotos: Reprodução / Divulgação)

Durante o Período Meiji (1868- 1912), o Japão estava sofrendo uma forte influência da cultura ocidental. O governo encorajava as pessoas a adotarem as vestimentas ocidentais, bem como os costumes. A lei exigia que as autoridades governamentais e militares se vestissem como os ocidentais para as funções oficiais (essa lei não está mais em vigor hoje em dia). Exigia-se também o uso do quimono bem decorado para o resto da população. Em ocasiões formais era necessário usá-lo com o emblema da família, que os identificavam como membros dela.

Hoje, os japoneses raramente usam quimono em seu dia-a-dia, reservando-o para ocasiões especiais, como casamentos, funerais, cerimônias do chá e outros eventos importantes como os festivais de verão.

O quimono tem um método único para ser feito. Uma peça de 12 ou 13 metros de comprimento e 36 a 40 cm de largura é cortado em oito partes. Essas são, então, costuradas novamente para se criar a forma básica do quimono. Todo o tecido é usado, nada é desperdiçado.

Na maioria das vezes, a seda é o tecido mais usado, mas o yukata (quimono de verão bem informal) é de algodão. O uso das oito partes de tecido separados facilita a reforma do quimono quando é preciso substituir ou restaurar partes do tecido danificadas.

Os quimonos adquirem suas cores de duas formas: ou o tecido é feito com vários fios de tonalidades diferentes ou é tingido. Um exemplo de tecido colorido é o oshima-tsumugi, feito na ilha de Amami- Oshima, sul de Kyushu. Ele é forte e tem brilho. Outro exemplo é yuki-tsumugi, feito na ilha de Yuki, Ibaraki.

Essa típica roupa japonesa começou com tecido branco, em que era possível encontrar desenhos ou bordados discretos. Essa técnica deu vida aos tecidos coloridos. Um exemplo de tecido é o kyo-yuzen, que é feito em Kioto e caracterizado por ser elaborado, com belas cores e formas. Outro exemplo é o kaga-zuken, feito na cidade de Kanazawa. O kaga-yuzen é caracterizado pelas imagens realistas da natureza (a palavra yuzen é o nome dado à técnica de tingimento e ao tecido que é criado).

O quimono pode ser sem forro (hitoe), forrado (awase) ou forrado com algodão (wataire). O primeiro é usado de junho a setembro para passeios e ocasiões informais. Nesse caso, o yukata é o ideal, colorido e feito de algodão.

Para ocasiões mais formais, tecidos como seda fina ou linho são os mais usados. O quimono usado de outubro a maio é, principalmente, feito de seda ou lã. Hoje, materiais sintéticos são usados freqüentemente e camadas de tecidos de algodão são usadas no inverno.

A vantagem dos tecidos de fios coloridos é que eles preenchem todo o quimono. Então, se a parte de fora desbotar, é possível usá-lo do lado avesso em que a cor permanece viva. A vantagem do tecido tingido é que se desbotar, é fácil tingi-lo com uma outra cor.

 

O quimono tem um único método para ser feito

Uma peça de 12 ou 13 metros de comprimento e 36 a 40 cm de largura é cortado em oito partes. Essas são, então, costuradas novamente para se criar a forma básica do quimono.

Busca
Cultura Tradicional
Arquivo Nippo - Edição 329
O suicídio antes e depois da internet
Arquivo Nippo - Edição 327
A história do ensino da língua japonesa no exterior
Arquivo Nippo - Edição 325
Cerimônias de casamento ontem e hoje
Arquivo Nippo - Edição 323
Pet shops
Arquivo Nippo - Edição 321
O monumento da “criança e a bomba atômica”
Arquivo Nippo - Edição 319
Bon-odori
Arquivo Nippo - Edição 317
As características das mulheres por província
Arquivo Nippo - Edição 315
Tanabata Matsuri – O Festival das Estrelas
Arquivo Nippo - Edição 313
Museu em Yokohama apresenta a história dos japoneses no exterior
Arquivo Nippo - Edição 311
Minamoto-no-Yoshitsune
Arquivo Nippo - Edição 309
O taikô japonês
Arquivo Nippo - Edição 307
Festejos e tradições de Tango no Sekku
Arquivo Nippo - Edição 305
A Golden Week e as viagens
Arquivo Nippo - Edição 301
A cerimônia de formatura e o uso do hakama como traje oficial
Arquivo Nippo - Edição 299
Abertura dos portos – um passo em direção à sociedade internacional
Arquivo Nippo - Edição 297
Hinamatsuri
Arquivo Nippo - Edição 295
Setsubun marca mudança de estação
Arquivo Nippo - Edição 293
Kagamibiraki
Arquivo Nippo - Edição 290
Joya-no-kane: O bater dos sinos na passagem do ano
Arquivo Nippo - Edição 287
As sete divindades da felicidade (Shichifukujin)
Arquivo Nippo - Edição 285
Dia do shogui
Arquivo Nippo - Edição 283
Chushingura
Arquivo Nippo - Edição 281
Dia Internacional Contra a Guerra
Arquivo Nippo - Edição 277
A pintura ocidental japonesa
Arquivo Nippo - Edição 275
Casamentos e pérolas
Arquivo Nippo - Edição 273
Dia da Prevenção contra Catástrofes
Arquivo Nippo - Edição 271
História e origem do banho de ofurô
Arquivo Nippo - Edição 269
Idades do azar: descubra quais são e como é possível livrar-se delas
Arquivo Nippo - Edição 267
Okoden e missas em memória de falecidos
Arquivo Nippo - Edição 265
Tanabata e tanzaku
Arquivo Nippo - Edição 263
Tatuagem – Irezumi


A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippo.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2022 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados