Portal NippoBrasil - OnLine - 19 anos
Sábado, 24 de fevereiro de 2024 - 3h16
  Empregos no Japão

  Busca
 

SEÇÕES
Comunidade
Opinião
Circuito
Notícias
Agenda
Dekassegui
Entrevistas
Especial
-
VARIEDADES
Aula de Japonês
Automóveis
Artesanato
Beleza
Bichos
Budô
Comidas do Japão
Cultura-Tradicional
Culinária
Haicai
História do Japão
Horóscopo
Lendas do Japão
Mangá
Pesca
Saúde
Turismo-Brasil
Turismo-Japão
-
ESPECIAIS
Imigração
Tratado Amizade
Bomba Hiroshima
Japan House
Festival do Japão
-
COLUNAS
Conversando RH
Mensagens
Shinyashiki
-
CLASSIFICADOS
Econômico
Empregos BR
Guia Profissionais
Imóveis
Oportunidades
Ponto de Encontro
-
INSTITUCIONAL
Redação
Quem somos
-
Arquivo NippoBrasil - Edição 071 - 21 a 27 de setembro de 2000
 
Touki (Cerâmica)

(Fotos: Reprodução / Divulgação)

As cerâmicas apareceram nos primeiros estágios da história da humanidade. Tinham como objetivo conservar a água e os alimentos, essenciais à vida humana. Também hoje, as belas cerâmicas são bons acompanhantes para destacar as comidas japonesas. Quaisquer cerâmicas, sejam as utilizadas na vida cotidiana das pessoas, sejam as consideradas como artesanato, funcionam como um relaxante para as pessoas contra o estresse.

Aproximadamente até o século 5, no Japão, as cerâmicas eram queimadas a temperaturas de 500 ou 600 graus. No século 6, chega da Coréia um método de produção com temperatura mais alta. Nele, as cerâmicas são queimadas com lenha durante muito tempo numa caverna. A temperatura interior chega a mais de 1300 graus e ocorre o chamado fenômeno Shizenyû, a cristalização do feldspato e quartzo que compõem a argila. Isso faz com que a superfície das cerâmicas se torne mais refinada.

A partir do século 8, esse método de produção propaga-se às várias regiões do Japão. Destaque para as cerâmicas Bizen de Okayama, Echizen de Fukui, Tanba de Quioto, Shiragaki de Shiga e Seto e Tokoname de Aichi.

Yûyaku é um produto vitrificado que cobre a cerâmica e previne a absorção da água pela mesma. Essa espécie, originária do Egito, foi introduzida na China na época de Kan e posteriormente no Japão. Graças a esse produto, surge, no século 8, em Nara, a Narasansai, uma bela cerâmica com três cores.

No século 13, na era Kamakura ( 1185~1333), os japoneses começam a aprender, com a cerâmica chinesa, a técnica de produção mais avançada. A partir dela se estabeleceu na região Seto de Aichi a famosa cerâmica Koseto. Quando da chegada da era Azuchi-Momoyama (1573~1598), essa linhagem transfere o seu palco principal para região Mino (atual sul de Gifu), originando-se daí as cerâmicas japonesas típicas como Kiseto, Shino e Oribe.

No final da mesma era, o general Hideyoshi Toyotomi envia tropas para a Coréia. Isso ajudou a melhoria da qualidade da cerâmica japonesa. Afinal, bons artesãos passaram a morar em regiões de Kyushu e produzir os fornos de grande escala. Finalmente eles se tornam criadores das famosas cerâmicas como Hagi-yaki de Yamaguchi, Karatsu-yaki de Saga e Satsuma-yaki de Kagoshima.

Sanbê Kanegae, que se mudou para cidade Karatsu de Saga, descobriu uma jazida de porcelana branca. Utilizando esse produto, ele conseguiu produzir as porcelanas tingidas.

Entre os meados dos séculos 17 e 18, durante 100 anos, as porcelanas com desenhos coloridos que foram exportados do porto Imari para Europa e Ásia chegaram a aproximadamente dois milhões de unidades. Elas foram transportadas pelo navio da companhia de índias ocidentais e passaram pelas mãos dos reis e da classe nobre desses países.

 

*Esta página foi elaborada pelos professores da Aliança Cultural Brasil-Japão,
especialmente para o NIPPO-BRASIL.
Busca
Cultura Tradicional
Arquivo Nippo - Edição 329
O suicídio antes e depois da internet
Arquivo Nippo - Edição 327
A história do ensino da língua japonesa no exterior
Arquivo Nippo - Edição 325
Cerimônias de casamento ontem e hoje
Arquivo Nippo - Edição 323
Pet shops
Arquivo Nippo - Edição 321
O monumento da “criança e a bomba atômica”
Arquivo Nippo - Edição 319
Bon-odori
Arquivo Nippo - Edição 317
As características das mulheres por província
Arquivo Nippo - Edição 315
Tanabata Matsuri – O Festival das Estrelas
Arquivo Nippo - Edição 313
Museu em Yokohama apresenta a história dos japoneses no exterior
Arquivo Nippo - Edição 311
Minamoto-no-Yoshitsune
Arquivo Nippo - Edição 309
O taikô japonês
Arquivo Nippo - Edição 307
Festejos e tradições de Tango no Sekku
Arquivo Nippo - Edição 305
A Golden Week e as viagens
Arquivo Nippo - Edição 301
A cerimônia de formatura e o uso do hakama como traje oficial
Arquivo Nippo - Edição 299
Abertura dos portos – um passo em direção à sociedade internacional
Arquivo Nippo - Edição 297
Hinamatsuri
Arquivo Nippo - Edição 295
Setsubun marca mudança de estação
Arquivo Nippo - Edição 293
Kagamibiraki
Arquivo Nippo - Edição 290
Joya-no-kane: O bater dos sinos na passagem do ano
Arquivo Nippo - Edição 287
As sete divindades da felicidade (Shichifukujin)
Arquivo Nippo - Edição 285
Dia do shogui
Arquivo Nippo - Edição 283
Chushingura
Arquivo Nippo - Edição 281
Dia Internacional Contra a Guerra
Arquivo Nippo - Edição 277
A pintura ocidental japonesa
Arquivo Nippo - Edição 275
Casamentos e pérolas
Arquivo Nippo - Edição 273
Dia da Prevenção contra Catástrofes
Arquivo Nippo - Edição 271
História e origem do banho de ofurô
Arquivo Nippo - Edição 269
Idades do azar: descubra quais são e como é possível livrar-se delas
Arquivo Nippo - Edição 267
Okoden e missas em memória de falecidos
Arquivo Nippo - Edição 265
Tanabata e tanzaku
Arquivo Nippo - Edição 263
Tatuagem – Irezumi


A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippo.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2022 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados