Portal NippoBrasil - OnLine - 19 anos
Quinta-feira, 22 de fevereiro de 2024 - 19h03
  Empregos no Japão

  Busca
 

SEÇÕES
Comunidade
Opinião
Circuito
Notícias
Agenda
Dekassegui
Entrevistas
Especial
-
VARIEDADES
Aula de Japonês
Automóveis
Artesanato
Beleza
Bichos
Budô
Comidas do Japão
Cultura-Tradicional
Culinária
Haicai
História do Japão
Horóscopo
Lendas do Japão
Mangá
Pesca
Saúde
Turismo-Brasil
Turismo-Japão
-
ESPECIAIS
Imigração
Tratado Amizade
Bomba Hiroshima
Japan House
Festival do Japão
-
COLUNAS
Conversando RH
Mensagens
Shinyashiki
-
CLASSIFICADOS
Econômico
Empregos BR
Guia Profissionais
Imóveis
Oportunidades
Ponto de Encontro
-
INSTITUCIONAL
Redação
Quem somos
-
Arquivo NippoBrasil - Edição 049 - 20 a 26 de abril de 2000
 
Washi
 

(Fotos: Reprodução / Divulgação)

Com a difusão do uso do computador, imaginava-se que o consumo de papel sofreria uma queda. Mas ao contrário do que pensávamos, a procura por esse produto continua crescendo progressivamente. O papel é tão importante no cotidiano das pessoas que ninguém pode imaginar a vida sem esse artigo.

O papel foi desenvolvido a partir de uma necessidade que remonta a era In e Shû na China, quando foram inventandos os primeiros caracteres. Nessa época, as pessoas escreviam em ossos de animais, metais, madeira e seda. Mas conforme as informações iam aumentando, foi preciso buscar um material mais compacto, leve e barato. O papel surgiu nesse contexto para atender essa finalidade.

Há uma versão de que o papel foi inventado pelo chefe da oficina de arte do palácio Chinês em 105. Mas acredita-se que, de fato, esse material tenha surgido durante o período de 140 a 87.

A técnica de produção de papel inventada na China, chamada de Tamesuki, foi introduzida no Japão, via Coréia, no século 6. Esse método também foi adotado por países europeus. Os japoneses, no entanto, aperfeiçoaram-na e criaram uma nova técnica denominada Nagashisuki.

Nessa nova forma de produção, os nipônicos utilizavam como matéria-prima principal o Kouzo misturada com outro tipo de material, exclusivamente usado pelos japoneses, chamado Ganpi. Aí residia a grande diferença com a técnica chinesa, que fazia do linho a principal matéria básica.

Isso possibilitou aos japoneses produzirem fibras mais compridas, permitindo um entrelaçamento mais forte. Conseqüentemente, o papel japonês, chamado de washi, tornou-se mais bonito e resistente.

Após a revolução da era Meiji, a técnica da impressão tipográfica e os papéis ocidentais feitos a partir de polpa tornaram-se indispensáveis para o desenvolvimento do país. Precisava-se, por exemplo, de grande quantidade de papel para emitir notas de dinheiro. Diante desse novo panorama, a utilização de washi perdeu espaço. Apesar disso, o jornal Nikkan, publicado desde o ano 3 da era Meiji (1870), ainda continuava a ser impresso em papel japonês.

Antigamente o washi também era utilizado para outros fins. Os mais pobres misturavam-no com o bagaço de arroz para fazer moti (bolinho de arroz). Também usavam o papel para dormir como se fosse um futon (edredon).

O papel japonês foi utilizado também na produção de shôji (biombos), fusumá (portas corrediças), andon (lamparinas), chouchin (lanternas), etc.

Ultimamente vem sendo confirmada a tese de que a substância que compõe o papel de parede atualmente utilizado no Japão produz um gás venenoso. Com o washi não há essa preocupação.

Além disso, por causa de sua característica resistente, o papel japonês era utilizado também para fazer o emakimono, uma pintura feita sob uma espécie de pergaminho.

Há pouco tempo atrás, existiam em todo o Japão casas especializadas para produzir o papel japonês. Atualmente, apenas cerca de 400 permanecem em atividade nas províncias de Kochi, Gifu, Fukui e Ehime, evidenciando um inevitável declínio nesse tipo de produção de papel.

 
 

*Esta página foi elaborada pelos professores da Aliança Cultural Brasil-Japão,
especialmente para o NIPPO-BRASIL.
Busca
Cultura Tradicional
Arquivo Nippo - Edição 329
O suicídio antes e depois da internet
Arquivo Nippo - Edição 327
A história do ensino da língua japonesa no exterior
Arquivo Nippo - Edição 325
Cerimônias de casamento ontem e hoje
Arquivo Nippo - Edição 323
Pet shops
Arquivo Nippo - Edição 321
O monumento da “criança e a bomba atômica”
Arquivo Nippo - Edição 319
Bon-odori
Arquivo Nippo - Edição 317
As características das mulheres por província
Arquivo Nippo - Edição 315
Tanabata Matsuri – O Festival das Estrelas
Arquivo Nippo - Edição 313
Museu em Yokohama apresenta a história dos japoneses no exterior
Arquivo Nippo - Edição 311
Minamoto-no-Yoshitsune
Arquivo Nippo - Edição 309
O taikô japonês
Arquivo Nippo - Edição 307
Festejos e tradições de Tango no Sekku
Arquivo Nippo - Edição 305
A Golden Week e as viagens
Arquivo Nippo - Edição 301
A cerimônia de formatura e o uso do hakama como traje oficial
Arquivo Nippo - Edição 299
Abertura dos portos – um passo em direção à sociedade internacional
Arquivo Nippo - Edição 297
Hinamatsuri
Arquivo Nippo - Edição 295
Setsubun marca mudança de estação
Arquivo Nippo - Edição 293
Kagamibiraki
Arquivo Nippo - Edição 290
Joya-no-kane: O bater dos sinos na passagem do ano
Arquivo Nippo - Edição 287
As sete divindades da felicidade (Shichifukujin)
Arquivo Nippo - Edição 285
Dia do shogui
Arquivo Nippo - Edição 283
Chushingura
Arquivo Nippo - Edição 281
Dia Internacional Contra a Guerra
Arquivo Nippo - Edição 277
A pintura ocidental japonesa
Arquivo Nippo - Edição 275
Casamentos e pérolas
Arquivo Nippo - Edição 273
Dia da Prevenção contra Catástrofes
Arquivo Nippo - Edição 271
História e origem do banho de ofurô
Arquivo Nippo - Edição 269
Idades do azar: descubra quais são e como é possível livrar-se delas
Arquivo Nippo - Edição 267
Okoden e missas em memória de falecidos
Arquivo Nippo - Edição 265
Tanabata e tanzaku
Arquivo Nippo - Edição 263
Tatuagem – Irezumi


A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippo.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2022 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados