Portal NippoBrasil - OnLine - 19 anos
Quinta-feira, 22 de fevereiro de 2024 - 17h01
  Empregos no Japão

  Busca
 

SEÇÕES
Comunidade
Opinião
Circuito
Notícias
Agenda
Dekassegui
Entrevistas
Especial
-
VARIEDADES
Aula de Japonês
Automóveis
Artesanato
Beleza
Bichos
Budô
Comidas do Japão
Cultura-Tradicional
Culinária
Haicai
História do Japão
Horóscopo
Lendas do Japão
Mangá
Pesca
Saúde
Turismo-Brasil
Turismo-Japão
-
ESPECIAIS
Imigração
Tratado Amizade
Bomba Hiroshima
Japan House
Festival do Japão
-
COLUNAS
Conversando RH
Mensagens
Shinyashiki
-
CLASSIFICADOS
Econômico
Empregos BR
Guia Profissionais
Imóveis
Oportunidades
Ponto de Encontro
-
INSTITUCIONAL
Redação
Quem somos
-
Arquivo NippoBrasil - Edição 009 - 9 a 15 de julho de 1999
 
A evolução das câmeras fotográficas japonesas
Desde as primeiras imitações dos aparelhos ocidentais, muita coisa mudou. A atual tecnologia de ponta aposta cada vez mais em praticidade, mecanismos sofisticados, sem contar o design arrojado
 

(Fotos: Divulgação)

Foi por volta de 1903 que os japoneses iniciaram a fabricação das primeiras máquinas fotográficas na tentativa de suprir as necessidades de um público amador. Naquela época, no entanto, lentes e disparadores precisavam ser importados e acabavam encarecendo o preço final do produto.

A primeira câmera produzida comercialmente no Japão foi batizada de Cherry e colocada à venda pela Konishi Honten (precursora da Konica Corporation). No início, empregava-se basicamente a tecnologia pioneira dos europeus e norte-americanos. Lentamente, o mercado de câmeras fotográficas japonesas foi evoluindo nas décadas seguintes, mas, somente em 1930 chegou-se a uma produção total de 36.700 unidades.

O boom da indústria de máquinas de fotografia aconteceu depois da Segunda Guerra Mundial. Empresas como Nikon e Canon estabeleceram-se no mercado durante o período pós-guerra e, aos poucos, o aumento da demanda doméstica preencheu a produção que atingiu a marca de 1 milhão de unidades em 1955.

Por volta de 1962, os japoneses tomaram lugar dos alemães, até então considerados líderes mundiais no setor, tendo produzido 2,9 milhões de unidades. Já na década de 70, com a inovação óptica e eletrônica, deu-se um salto quantitativo na performance das câmeras. Daí, a primeira delas com sistema de foco automático surgiu em 1977.

Em meados de 1990, a produção de câmeras domésticas alcançou mais de 16,9 milhões de unidades. O total da produção das subsidiárias em todo o mundo é de cerca de 30 milhões de unidades.

Atualmente, o Japão é reconhecido mundialmente por sua alta tecnologia empregada na confecção dos aparelhos fotográficos e não pára de sofisticá-los. Cor, peso, tamanho, multifunções, além de muita praticidade são alguns dos itens que o faz líder no ramo. Em levantamentos já realizados, o país já chegou a tomar conta de 80% da produção global das câmeras snapshot, automáticas, utilizadas principalmente pelos turistas.

 
Algumas câmeras que marcaram época

• 1925: Leica A
• 1929: Rolleiflex Original
• 1932: Ikonta 520 / Contax I
• 1937: Auto Semi Minolta
• 1948: Nikon I
• 1952: Ricohflex VI/ Asahiflex I
• 1957: Olympus Wide E.
• 1959: Olympus Pen/ Nikon F.
• 1963: Kodak Instamatic 100
• 1976: Canon AE-1
• 1981: Pentax ME-F
• 1986: Pentax Zoom 70
• 1991: Canon Autoboy Jet
• 1999: Nikon professional digital SLR “D1”
• 2012: Canon EOS 5D Mark III

Busca
Cultura Tradicional
Arquivo Nippo - Edição 329
O suicídio antes e depois da internet
Arquivo Nippo - Edição 327
A história do ensino da língua japonesa no exterior
Arquivo Nippo - Edição 325
Cerimônias de casamento ontem e hoje
Arquivo Nippo - Edição 323
Pet shops
Arquivo Nippo - Edição 321
O monumento da “criança e a bomba atômica”
Arquivo Nippo - Edição 319
Bon-odori
Arquivo Nippo - Edição 317
As características das mulheres por província
Arquivo Nippo - Edição 315
Tanabata Matsuri – O Festival das Estrelas
Arquivo Nippo - Edição 313
Museu em Yokohama apresenta a história dos japoneses no exterior
Arquivo Nippo - Edição 311
Minamoto-no-Yoshitsune
Arquivo Nippo - Edição 309
O taikô japonês
Arquivo Nippo - Edição 307
Festejos e tradições de Tango no Sekku
Arquivo Nippo - Edição 305
A Golden Week e as viagens
Arquivo Nippo - Edição 301
A cerimônia de formatura e o uso do hakama como traje oficial
Arquivo Nippo - Edição 299
Abertura dos portos – um passo em direção à sociedade internacional
Arquivo Nippo - Edição 297
Hinamatsuri
Arquivo Nippo - Edição 295
Setsubun marca mudança de estação
Arquivo Nippo - Edição 293
Kagamibiraki
Arquivo Nippo - Edição 290
Joya-no-kane: O bater dos sinos na passagem do ano
Arquivo Nippo - Edição 287
As sete divindades da felicidade (Shichifukujin)
Arquivo Nippo - Edição 285
Dia do shogui
Arquivo Nippo - Edição 283
Chushingura
Arquivo Nippo - Edição 281
Dia Internacional Contra a Guerra
Arquivo Nippo - Edição 277
A pintura ocidental japonesa
Arquivo Nippo - Edição 275
Casamentos e pérolas
Arquivo Nippo - Edição 273
Dia da Prevenção contra Catástrofes
Arquivo Nippo - Edição 271
História e origem do banho de ofurô
Arquivo Nippo - Edição 269
Idades do azar: descubra quais são e como é possível livrar-se delas
Arquivo Nippo - Edição 267
Okoden e missas em memória de falecidos
Arquivo Nippo - Edição 265
Tanabata e tanzaku
Arquivo Nippo - Edição 263
Tatuagem – Irezumi


A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippo.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2022 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados