Portal NippoBrasil - OnLine - 19 anos
Quinta-feira, 22 de fevereiro de 2024 - 18h02
  Empregos no Japão

  Busca
 

SEÇÕES
Comunidade
Opinião
Circuito
Notícias
Agenda
Dekassegui
Entrevistas
Especial
-
VARIEDADES
Aula de Japonês
Automóveis
Artesanato
Beleza
Bichos
Budô
Comidas do Japão
Cultura-Tradicional
Culinária
Haicai
História do Japão
Horóscopo
Lendas do Japão
Mangá
Pesca
Saúde
Turismo-Brasil
Turismo-Japão
-
ESPECIAIS
Imigração
Tratado Amizade
Bomba Hiroshima
Japan House
Festival do Japão
-
COLUNAS
Conversando RH
Mensagens
Shinyashiki
-
CLASSIFICADOS
Econômico
Empregos BR
Guia Profissionais
Imóveis
Oportunidades
Ponto de Encontro
-
INSTITUCIONAL
Redação
Quem somos
-
Arquivo NippoBrasil - Edição 010 - 16 a 22 de julho de 1999
 
Dooyoo - as canções infantis japonesas
transmitidas há várias gerações
As primeiras delas surgiram no Período Taisho (1912-1926)
e são repercutidas até os dias hoje.
 

Para muitos japoneses, as canções infantis retrataram parte de sua infância. Assim como em diversas culturas, elas marcaram uma época de suas vidas e continuam a atravessar gerações. Além de serem ensinadas pelos pais e avós, algumas das músicas infantis japonesas são divulgadas até hoje nas escolas, acompanhadas de coreografia.

Dooyoo é uma das três categorias da música tradicional japonesa para crianças, conhecida por ter sido escrita por poetas e músicos. Quando surgiu, no Período Taisho, havia um movimento que incentivava a composição de canções infantis de alta qualidade artística.

Nesta época, muitos trabalhos foram criados a partir de uma parceria. Kitahara Hakushu, Saijo Yaso e Noguchi Ujo, colaboraram com suas poesias ao trabalhar com compositores como Yamada Kosaku, Nakayama Shimpei, Hirota Ryutaro (1892-1952), e Motoori Nagayo (1885-1945). Graças à contribuição desses artistas, o movimento a favor dessa cultura literária-musical, que acabou tornando-se parte do folclore japonês, continuou forte por vários anos e só veio a enfraquecer no final da década de 30.

Com o estabelecimento da educação universal no país, em 1872, a categoria shooka tornou-se parte do currículo escolar do primário. A composição das canções deste estilo era feita especificamente para ser utilizada em sala de aula. Dessa forma, as palavras escolhidas tinham uma tendência didática e séria, enfatizando principalmente a lealdade ao imperador. As letras das músicas ainda procuravam retratar a beleza da natureza e o espírito do povo japonês.

Por sua vez, a terceira categoria de canção japonesa possui características opostas ao shooka, e também é diferente do dooyoo. Denominada warabe uta, ela inclui paródias e letras um pouco mais ousadas, como se fossem brincadeiras, e num tom mais divertido.

 
Você se lembra dessas canções?
 

Kutsu Ga Naru

Otete tsunaide, nomiti o ikeba
Minna, kawai, kotori ni natte
Uta o utaeba, kutsu ga naru,
Hareta osora ni, kutsu ga naru

Hana o tsunde wa, otsumu ni saseba
Minna, kawai, usagui ni natte
Hanete odoreba kutsu ga naru
Hareta osora ni kutsu ga naru


Yuyake Koyake

Yuyake koyake de ni hi ga kurete
Yama no otera no kane ga naru
Otete tsunaide mina kaero
Karasu to isho ni kaerimasho

Kodomo ga kaetta ato kara wa
Marui okina otsukisan
Kotori ga yume o miru koro wa
Soro ni wa kira kira kin no hoshi

Busca
Cultura Tradicional
Arquivo Nippo - Edição 329
O suicídio antes e depois da internet
Arquivo Nippo - Edição 327
A história do ensino da língua japonesa no exterior
Arquivo Nippo - Edição 325
Cerimônias de casamento ontem e hoje
Arquivo Nippo - Edição 323
Pet shops
Arquivo Nippo - Edição 321
O monumento da “criança e a bomba atômica”
Arquivo Nippo - Edição 319
Bon-odori
Arquivo Nippo - Edição 317
As características das mulheres por província
Arquivo Nippo - Edição 315
Tanabata Matsuri – O Festival das Estrelas
Arquivo Nippo - Edição 313
Museu em Yokohama apresenta a história dos japoneses no exterior
Arquivo Nippo - Edição 311
Minamoto-no-Yoshitsune
Arquivo Nippo - Edição 309
O taikô japonês
Arquivo Nippo - Edição 307
Festejos e tradições de Tango no Sekku
Arquivo Nippo - Edição 305
A Golden Week e as viagens
Arquivo Nippo - Edição 301
A cerimônia de formatura e o uso do hakama como traje oficial
Arquivo Nippo - Edição 299
Abertura dos portos – um passo em direção à sociedade internacional
Arquivo Nippo - Edição 297
Hinamatsuri
Arquivo Nippo - Edição 295
Setsubun marca mudança de estação
Arquivo Nippo - Edição 293
Kagamibiraki
Arquivo Nippo - Edição 290
Joya-no-kane: O bater dos sinos na passagem do ano
Arquivo Nippo - Edição 287
As sete divindades da felicidade (Shichifukujin)
Arquivo Nippo - Edição 285
Dia do shogui
Arquivo Nippo - Edição 283
Chushingura
Arquivo Nippo - Edição 281
Dia Internacional Contra a Guerra
Arquivo Nippo - Edição 277
A pintura ocidental japonesa
Arquivo Nippo - Edição 275
Casamentos e pérolas
Arquivo Nippo - Edição 273
Dia da Prevenção contra Catástrofes
Arquivo Nippo - Edição 271
História e origem do banho de ofurô
Arquivo Nippo - Edição 269
Idades do azar: descubra quais são e como é possível livrar-se delas
Arquivo Nippo - Edição 267
Okoden e missas em memória de falecidos
Arquivo Nippo - Edição 265
Tanabata e tanzaku
Arquivo Nippo - Edição 263
Tatuagem – Irezumi


A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippo.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2022 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados