Portal NippoBrasil - OnLine - 19 anos
Quinta-feira, 13 de agosto de 2020 - 21h27
Arquivo Edição 212 - 25 de junho a 1 de julho de 2003 - Especial - Portal NippoBrasil
 

Terapias Alternativas

Conheça um pouco mais sobre essas técnicas que, segundo especialistas, deveriam ser complementar à medicina tradicional

(Arquivo NippoBrasil)

É normal ouvirmos falar dessas terapias, que estão cada vez mais em evidência, mas afinal o que diferencia a medicina alternativa, ou melhor, complementar (veja o quadro no final da matéria) da convencional? De maneira geral, elas enxergam o indivíduo como um todo, ao invés de segmentado como estamos acostumados na medicina moderna. Essas terapias também pregam, direta ou indiretamente, os conceitos milenares nascidos na China onde o ser deve estar em harmonia para que possa gozar de saúde plena, e para tanto, é preciso que se descubra o por quê de uma certa doença estar se manisfestando e acabar não somente com ela, mas também o agente causador do mal.

A chegada do novo milênio marcou o notório crescimento dessas terapias, como ajuda ao tratamento de doenças e melhoria na qualidade de vida. O redescobrimento dessas técnicas por parte do Ocidente, deve-se em parte pela procura por tratamentos menos ofensivos ao organismo.

No Brasil, as conquistas da medicina complementar ainda são muito recentes - somente há oito anos a acupuntura foi reconhecida como especialidade médica - e os profissionais ainda têm um longo caminho a percorrer e muitos estudos a apresentar para que suas técnicas sejam aprovadas pelo Conselho Federal de Medicina.

Além da maioria das atividades não serem reconhecidos pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), um outro fator dificulta o trabalho dos profissionais idôneos, o mercado de números promissores - que globalmente cresce cerca de 20% ao ano e movimenta US$ 500 milhões anuais no Brasil -, atrai charlatões e aventureiros. Uma vez que não são regulamentadas, é difícil controlar a entrada de pessoas que denigrem a imagem das práticas, prometendo curas milagrosas para todo tipo de enfermidade.

Independente de qual seja a nossa escolha, devemos ter a consciência que, tanto o tratamento complementar quanto o convencional, não são capazes de curar todo e qualquer tipo de doença e podem apresentar resultados diferentes de um indvíduo para o outro. Pois, partindo do príncipio de que em qualquer ciência existem diferentes áreas que tratam de diferentes assuntos, é muito improvável que somente um método possa abranger todo o espectro e apresentar a cura para todos os males.

Então, se você está pensando em procurar algum tratamento complementar, para não cair no conto do vigário, procure obter informações sobre o terapeuta e a terapia através de instituições sérias, como a Associação Brasileira de Medicina Complementar (veja no final da matéria). O NB relacionou algumas das terapias mais procuradas pelos nikkeis:

 
 

• Acupuntura


Na Moxaterapia ao invés de agulhas são queimadas ervas sobre a pele

Originária da China, a ciência vem sendo praticada há mais de 3 mil anos como parte da Medicina Tradicional Chinesa. Reconhecida pela Conselho Federal de Medicina (CFM), a acupuntura trabalha com o estímulo de terminações nervosas específicas encontradas na pele. Quando estimuladas estas mandam sinais para o cérebro, assim interagindo e provocando as mudanças desejadas. Indicado para o tratamento e prevenção, entre outras, de ansiedade, depressão, dor pélvica crônica e tendinites. A acupuntura subdivide-se em diversas ramificações, por exemplo, a Moxaterapia, que também utiliza pontos do corpo, mas em vez de agulhas, utiliza folhas secas da erva medicinal “Artemísia vulgaris”. Pode-se optar pela aplicação direta, onde a moxa acesa (do tamanho de um grão de arroz) é colocada diretamente sobre a pele; ou indireta, onde um bastão de folhas de artemísia é aceso e a aplicação é feita colocando-se uma fatia de gengibre com furos sobre o ponto e então a moxa acesa sobre a fatia.

obs.: vale a pena lembrar que o uso de agulhas esterelizadas ou descartáveis é necessário.


• Aromaterapia
Vem sendo usada desde a Antiguidade, mas foi só em 1935 que o químico René Gattefosséno começou a desenvolver estudos sobre a técnica. A Aromaterapia utiliza substâncias provenientes das plantas, como folhas, flores e cascas, para extrair os chamados óleos essenciais utilizados nos tratamentos. No Brasil, a terapia ainda está muito atrelada a massagem, tratamentos estéticos e relaxamento. Mas segundo os especialistas do setor, a terapia, tem poderes curativos que podem ser ministrados através da inalação, gargarejo ou ingestão (não praticada no País). Indicado para distúrbios digestivos, doença de pele e desequilíbrio emocionais.

obs.: mantenha distância dos óleos artificiais, que não contém as mesmas propriedades


• Florais de Bach
Criada por Edward Bach na década de 30, o método utiliza 38 essências florais que são diluídas em água e conhaque compondo as diversas fómulas, que podem ter no máximo até seis essências diferentes. O medicamento é ingerido em pequenas doses (gotas) por via oral. A terapia visa o tratamento da pessoa e não da doença, pois, a partir do equilíbrio emocional do indivíduo, este pode alcançar a cura.


• Fitoterapia
Outra técnica que data dos primórdios da humanidade, faz uso de ervas, raízes e plantas, ingeridos na forma de chás ou extratos. Amplamente difundida tanto no ocidente como no oriente nos séculos passados, a prática perdeu força com a massificação de remédios sintéticos processados em laboratório. Hoje, as pessoas vem retomando a procura pela técnica por considerá-la menos agressiva (e mais barata) ao organismo que os tratamentos alopáticos.

obs.: é equivocado achar que só porque são plantas essas não possuem efeitos colaterais e que podem ser ingeridas sem controle.


• Reiki


O tratamento é feito com a imposição das mãos

Desenvolvida por Mikao Usui, há aproximadamente 150 anos, o significado literal da terapia é energia vital universal. Segundo os reikianos, o tratamento consiste na captação de energia pelo profissional que repassa esta ao paciente através da imposição de suas mãos sobre o receptor. Em sessões de cerca de uma hora, o reikiano funciona apenas como uma ponte e não pode inteferir no tratamento. Os terapeutas ressaltam que não se trata de um tipo de massagem, pois as mãos deles não entram em contato com o paciente, trocando de posição a cada cinco minutos. Indicada, por exemplo, para a cura de doenças físicas, desordens emocionais ou mentais.


• Homeopatia
surgiu no final do século XVIII baseada nos princípios de Samuel Hahnemann, ao lado da acupuntura e fitoterapia, são as únicas terapias com plementares reconhecidas pelo CFM. O tratamento homeopático consiste na administração de pequenas doses de medicamentos dinamizados - diluídos e agitados sucessivamente - feitos a partir de substâncias vegetais, animais e minerais. De acordo com terapeutas, o indivíduo é tratado em relação a suas características físicas e emocionais e para cada paciente existe uma receita específica.

obs.: a auto medicação pode ser prejucidicial e atrapalha a cura.

 

Descubra mais sobre as algumas terapias

Segundo o presidente da Associação de Medicina Complementar do Brasil, José Fellipe Júnior, “as terapias ditas ‘alternativas’, na verdade deveriam ser chamadas de complementares, pois o intuito não é concorrer ou substituir a medicina convencional, mas somar conhecimentos para o alcance da cura”. E dentro da própria medicina complementar, a soma dos conhecimentos ajuda no diagnóstico e tratamento de doenças, por exemplo, a acupunturista e aromaterapeuta Emília Kiyohara, “a somatória das técnicas facilita o tratamento e o meu trabalho”.

Os Números

• São mais 800 tipos de terapias pelo mundo que crescem cerca de 20% ao ano

• 50 mil terapeutas no Brasil movimentam US$ 500 milhões anuais

 Busca
 Especial
Especial - Nippo-Brasil - 23/12/2019
• Pavetones de pote deixam o Fim de Ano mais bonito e gostoso
Especial - Nippo-Brasil - 02/03/2019
• A partir de 1º de maio de 2019 começa a era REIWA no Japão
Especial - Nippo-Brasil - 14/05/2018
• Escola OEN, fiel à filosofia japonesa desde a sua origem
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 311
• Gairaigo: as palavras estrangeiras na língua japonesa
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 304
• Provérbios do Japão:
sabedoria através dos tempos
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 302
• Hanami, uma bela tradição japonesa
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 301
• Simbologia japonesa: os animais
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 300
• Simbologia japonesa:
as flores e as árvores
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 281
• Você sabe o que significa seu sobrenome?
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 279
• Oriente-se para fazer ginástica!
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 271
• Bonsai, a natureza em miniatura
Especial - Nippo-Brasil - Arquivo Edição 253
• Desvendando os
seres da mitologia japonesa
Especial - Nippo-Brasil 230
• Naomi Munakata: Uma regente em “estado de alfa”
Especial - Nippo-Brasil 229
• Relíquias com histórias pra contar
Especial - Nippo-Brasil 227
• Brinquedos tradicionais japoneses
Especial - Nippo-Brasil 226
• Hashi: o talher oriental
Especial - Nippo-Brasil 225
• Michie Akama
Especial - Nippo-Brasil 223
• Butô
Especial - Nippo-Brasil 222
• As formas e cores de Ruy Ohtake
Especial - Nippo-Brasil 215
• Kataná: a preciosa lâmina samurai
Especial - Nippo-Brasil 213
• Noborigama
Especial - Nippo-Brasil 212
• Terapias Alternativas
Especial - Nippo-Brasil 211
• Sakura
Especial - Nippo-Brasil 208
• Viagem pela fé
Especial - Nippo-Brasil 199
• Longe da poluição e do estresse da cidade grande
Especial - Nippo-Brasil 198
• Idades marcantes da cultura japonesa
Especial - Nippo-Brasil 194
• Por dentro das datas comemorativas no Japão
Especial - Nippo-Brasil 192
• Compradores compulsivos
Especial - Nippo-Brasil 187
• Rituais de Ano Novo Japonês
Especial - Nippo-Brasil 186
• Bonenkai - Fechar o ano com chave de ouro
Especial - Nippo-Brasil 180
• Danças Japonesas
Especial - Nippo-Brasil 177
• Viciados em Jogos
Especial - Nippo-Brasil 171
• Jardim Japonês: Um cantinho para meditar
Especial - Nippo-Brasil 170
• Alimentos: eles curam?
Especial - Nippo-Brasil 169
• Wadaiko: o estilo japonês de tocar taiko
Especial - Nippo-Brasil 168
• Saque: A bebida milenar japonesa
Especial - Nippo-Brasil 167
• Que bicho é seu pai no Horóscopo Oriental?
Especial - Nippo-Brasil 163
• Watsu uma terapia de lavar a alma
Especial - Nippo-Brasil 161
• Kumon, o método japonês de ensino individualizado: lições para a vida toda
Especial - Nippo-Brasil 155
• Banho de Ofurô: cores e sabores de um ritual milenar
Especial - Nippo-Brasil 154
• Agrade à sua mãe
Especial - Nippo-Brasil 150
• Jogos Japoneses: Shogui e Gô
Especial - Nippo-Brasil
• + 10 Provérbios Japoneses
Especial - Nippo-Brasil
• Kaburimono (literalmente, aquilo que se põe na cabeça)
Especial - Nippo-Brasil
• Conheça alguns amuletos e preces orientais
Especial - Nippo-Brasil
• Shichifukujin, as sete divindades
Especial - Nippo-Brasil
• Daruma: sinônimo de sucesso
Especial - Nippo-Brasil
• A história da Hello Kitty
Especial - Nippo-Brasil
• A história e a tradição do Maneki Nekô no Japão


A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippo.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2020 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados