Portal NippoBrasil - OnLine - 17 anos
Sábado, 24 de agosto de 2019 - 13h41
  Empregos no Japão

  Busca
 

SEÇÕES
Comunidade
Opinião
Circuito
Notícias
Agenda
Dekassegui
Entrevistas
Especial
-
VARIEDADES
Aula de Japonês
Automóveis
Artesanato
Beleza
Bichos
Budô
Comidas do Japão
Cultura-Tradicional
Culinária
Haicai
História do Japão
Horóscopo
Lendas do Japão
Mangá
Pesca
Saúde
Turismo-Brasil
Turismo-Japão
-
ESPORTES
Copa 2014
-
ESPECIAIS
Imigração
Tratado Amizade
Bomba Hiroshima
Japan House
Festival do Japão
-
COLUNAS
Conversando RH
Mensagens
Shinyashiki
-
CLASSIFICADOS
Econômico
Empregos BR
Guia Profissionais
Imóveis
Oportunidades
Ponto de Encontro
-
INSTITUCIONAL
Redação
Quem somos
-
Arquivo NippoBrasil - Edição 071 - 21 a 27 de setembro de 2000
 
Naguinata: arte marcial japonesa
criada na idade média

O Naguinata pode ser praticado por pessoas de todas as idades, independente de sexo.
 

História
O naguinata é uma arte marcial originada nas forças de guerra da era medieval e é muito próxima do kendô, tanto em suas origens como em sua prática. Existem, seguramente, mais pontos em comum entre as duas do que diferenças fundamentais. A armadura de proteção do praticante do naguinata é a mesma do kendoka, apenas com uma proteção a mais, na tíbia, o sunê, e a luva (kotê) é dividida: o indicador é separado para melhor manejo da arma. Entretanto, é a arma que diferencia o naguinata do kendô. A arma utilizada no estilo naguinata é uma espada em forma de foice com cerca de 2,25m de comprimento e leva o nome dessa arte, ou seja, naguinata.

Os monges guerreiros, os Yama-Bushi, foram os primeiros a utilizar essa arma no Japão a fim de assegurar a proteção aos santuários contra os bandidos. O célebre monge Musashibo Benkei, companheiro do herói mais popular da história japonesa, Yoshitsune, entrou para a lenda com seu naguinata na mão, tendo vencido mais de mil adversários. Um outro monge, do século XII, Tajima “O cortador de flechas”, atravessou, são e salvo, uma ponte varrida por flechas voadoras, ceifando-as com sua naguinata.

Até o século XVI, a infantaria utilizava o naguinata para cortar as pernas dos cavalos e a cavalaria, para cortar o inimigo, de longe. Com o aparecimento das armas de fogo, o naguinata deixou de ser utilizado em combates, mas manteve seu lugar de honra nas casas aristocráticas, onde era usado por esposas e filhas dos samurais na defesa de seus lares.

Entre 1603 e 1867 (Período Edo), o naguinata foi praticado também como um método de treinamento moral. Durante a Era Meiji (1868-1912), o naguinata foi praticado com caráter de desenvolvimento pessoal-Budô, ou militar-Bujutsu.

Em 1953 foi instituída a Zen Nippon Naginata Renmei (Confederação Japonesa de Naguinata), que regulamentou o estilo oficial dessa arte, reunindo as técnicas dos diversos estilos existentes. Em 1990, criou-se a International Naginata Federation (I.N.F), que congrega vários países e está dividida em três seções: uma para o Japão, outra para a Europa e a terceira para as Américas.

Princípios
• Treinar corretamente dentro dos princípios do Naguinata
• Respeitar a disciplina
• Respeitar a etiqueta e cooperar com os outros
• Aprender a preservar a cultura tradicional japonesa
• Cultivar a mente
• Desenvolver o espírito e o corpo
• Promover a paz e a prosperidade entre as pessoas

Competições
Há 2 tipos de competições de naguinata: as de kata e as de luta.
Nas de kata (Shikake-Ooji Waza), os praticantes fazem demonstrações, tentando alcançar o mais perfeito nível técnico. Nas lutas (shiai), dois praticantes lutam entre si. Devem acertar seus golpes em pontos pré-determinados e cada luta valerá três pontos. Os combates são regulamentados pela lei do Sambom Shobu, melhor de três. A área da competição mede 12x12m.

Oficialização e História no Brasil
A prática dessa arte marcial foi introduzida no País pela professora Hatsue Takahashi, categoria Hanshi, do Japão, em 1987, quando fez demonstrações em São Paulo e foi formado o primeiro grupo de praticantes. A mesma professora Takahashi esteve no Brasil por mais três vezes, sendo que em 1993, além dos treinamentos ministrados realizou demonstrações em Londrina, Paraná , e Itapetininga, em São Paulo. A sua última visita foi em 97, convalescente de uma cirurgia, mas mesmo assim ministrou treinamentos. Takahashi morreu em 1998.

Quando da realização do 3º Torneio Internacional da Amizade, em Los Angeles, EUA, uma das condições para a participação no evento era que o praticante fosse membro de federação de país filiado à Federação Internacional. Diante dessa exigência, foi criada em 31 de julho de 93, a Associação de Naguinata do Brasil - ANB, cuja filiação à INF foi aprovada na reunião de sua diretoria em setembro de 93, como 8º membro.


Ataque e defesa no alto da cabeça (shô-men)
Budô
Arquivo Nippo - Edição 88
Boxe - Parte 2
Arquivo Nippo - Edição 87
Boxe - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 86
Kenpo Havaiano
Arquivo Nippo - Edição 85
Capoeira
Arquivo Nippo - Edição 84
Muay Thai: boxe tailandês
Arquivo Nippo - Edição 83
Shao Lin do Norte
Arquivo Nippo - Edição 82
Garra de Águia: um dos mais temidos estilos do Kung Fu
Arquivo Nippo - Edição 81
Louva-a-Deus do Norte: Sistema Tradicional de Kung Fu Chinês
Arquivo Nippo - Edição 80
Seiwakai: Karatê de Combate
Arquivo Nippo - Edição 79
Hung Gar: O sistema marcial da Família Hung
Arquivo Nippo - Edição 78
Kung Fu: Artes marciais chinesas do Templo Shao Lin
Arquivo Nippo - Edição 77
Krav Maga: defesa pessoal israelense
Arquivo Nippo - Edição 76
Ninjutsu: arte marcial dos ninjas
Arquivo Nippo - Edição 75
Savate: boxe francês
Arquivo Nippo - Edição 74
Jojutsu: técnica japonesa de luta com bastão
Arquivo Nippo - Edição 73
Kombato: arte militar de defesa pessoal
Arquivo Nippo - Edição 72
Qwan Ki Do: arte marcial vietnamita
Arquivo Nippo - Edição 71
Naguinata: arte marcial japonesa criada na idade média
Arquivo Nippo - Edição 70
Hapkidô: arte marcial coreana especializada em defesa pessoal
Arquivo Nippo - Edição 69
Tai Chi Chuan - Arte Marcial da Longevidade
Arquivo Nippo - Edição 68
Karatê - Seido Juku
Arquivo Nippo - Edição 67
Karatê - Shorin-Ryu
Arquivo Nippo - Edição 66
Karatê - Kyokushin
Arquivo Nippo - Edição 65
Karatê - Goju Ryu
Arquivo Nippo - Edição 64
Karatê - Shotokan
Arquivo Nippo - Edição 63
Karatê - Shito Ryu
Arquivo Nippo - Edição 62
Karatê - Wadô-Kai
Arquivo Nippo - Edição 60
Jiu-Jitsu
O estilo da família Gracie
Arquivo Nippo - Edição 59
Sumô
Arquivo Nippo - Edição 58
Ving Tsun
Arquivo Nippo - Edição 57
Iaido
Arquivo Nippo - Edição 56
Taekwondo
Arquivo Nippo - Edição 55
Judô
Arquivo Nippo - Edição 54
Aikido
Arquivo Nippo - Edição 53
Kendô

A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippobrasil.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2019 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados

163 usuários online