Portal NippoBrasil - OnLine - 17 anos
Sexta-feira, 21 de julho de 2017 - 13h45
  Empregos no Japão

  Busca
 
  Seções NippoBrasil
   Comunidade
   Opinião
   Circuito
   Notícias
   Agenda
   Dekassegui
   Entrevistas
   Especial
-
  Variedades
   Aula de Japonês
   Automóveis
   Artesanato
   Beleza
   Bichos
   Budô
   Cultura-Tradicional
   Culinária
   Haicai
   História do Japão
   Horóscopo
   Lendas do Japão
   Mangá
   Pesca
   Saúde
   Turismo-Brasil
   Turismo-Japão
-
  Esportes
   Copa do Mundo 2014
   Copa das
 Confederações 2013
-
  Especiais
   Imigração Japonesa
   120 anos de Amizade  Japão-Brasil
   Bomba de Hiroshima
   Japan House
   Festival do Japão 2016
-
 Colunas
   Conversando de RH
   Mensagens
     Roberto Shinyashiki
-
 Veja mais  Classificados
   Econômico
   Empregos no Brasil
   Guia Profissionais
   Imóveis
   Oportunidades
   Ponto de Encontro
-
  Interatividade
   Fale com a Redação
-
  Institucional
   Quem somos


Arquivo NippoBrasil - Edição 059 - 29 de junho a 5 de julho de 2000
 
Sumô

História
O sumô, esporte nacional do Japão, tem uma história de mais de dois mil anos. Acredita-se que o arquipélago tinha suas ilhas habitadas por diferentes povos e cada uma delas possuía seu próprios deuses. Por volta do século 5, decidiu-se que o soberano de todas elas seria definido através de uma luta de sumô. De confrontos em confrontos, apareceu Takemikazuchi, um deus de força monstruosa, que reinou absoluto por vários séculos. Assim, essas ilhas e tribos rivais acabaram se fundindo num povo único.

Ainda segundo a lenda, o Japão teria sido criado pela deusa Amaterasu. Assim, até hoje, o imperador japonês - considerado descendente direto da deusa - mantém a tradição comparecendo à abertura dos torneios de sumô, sendo a Taça do Imperador o prêmio máximo para o lutador campeão. As características específicas do sumô japonês desenvolveram com o passar do tempo em harmonia com o clima e ambientes naturais do Japão juntamente com as características culturais e espirituais dos japoneses.

No início, o sumô era uma luta selvagem, transformando-se, após a implantação de regras e o desenvolvimento de técnica, em luta marcial. No século 8, as lutas eram realizadas durante os banquetes anuais da Corte Imperial. Aliás, até a Era Kamakura (1185 d.C.), o sumô era restrito ao Imperador, shoguns e daimyôs (senhores feudais), que organizavam competições entre seus lutadores e apresentações em festas religiosas para homenagear deuses xintoístas.

Com o desenvolvimento do feudalismo depois do século 10 e o predomínio do poder da classe dos guerreiros, o sumô veio a ser amplamente praticado como uma técnica de luta entre eles (1192-1580).

No governo Tokugawa (1603-1868), a modalidade desenvolveu-se com academias financiadas pelos daimyôs. Os lutadores tornaram-se, assim, profissionais. Em 1868 foi fundada a Associação Japonesa de Sumô, que até hoje é a entidade máxima da modalidade.

No Brasil
O primeiro campeonato de sumô no Brasil foi registrado no ano de 1912, na cidade de Guatapará, na região de Ribeirão Preto, interior de São Paulo. Imigrantes movidos pela saudade da terra natal e pela falta de opções de lazer, começaram a treinar nos cafezais. Em 1962 foi realizado a primeira competição oficial, em Mogi das Cruzes. No ano seguinte surgiu a Federação Paulista de Sumô, que até o princípio deste ano estava subordinada a Confederação Brasileira de Pugilismo. Desde janeiro, Yoichi Okamoto preside a Confederação Brasileira de Sumô, que conta com as federações de São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul e Pará.

O Brasil é apontado como uma das principais potências da modalidade. O País chegou a ter, inclusive, dez lutadores tentando a profissionalização no Japão. Hoje, são apenas três. Dois deles, Yoshinobu Kuroda e Vander Ramos, estão muito próximos de conseguir chegar ao jyuryô, o primeiro estágio entre os profissionais (o brasileiro Gô Ikemori já esteve nessa categoria).

Princípios
O sumô chegou às escolas, exército e às empresas japonesas, baseado na crença de que a luta fortalece o espírito e melhora o controle mental. O sumô atualmente segue as tradições e regras estabelecidas há séculos. Por isso, continua homenageando os deuses, pedindo proteção e rezando para uma boa colheita, como se fazia antigamente.

O caminho dos profissionais
Jonokuchi – estreante (primeiro estágio no ranking – 400º lugar)
Jonidan – nível acima com cerca de 200 lutadores
Sandan-me – terceiro nível, com cerca de 100 lutadores
Makushita – quarto nível (50 lutadores)
Jyuryô – quinto nível (15 lutadores – é o primeiro estágio entre os profissionais)
Maegashira – primeira divisão
Komosubi – aspirante a campeão
Sekiwake – campeão júnior
Ozaki – campeão
Yokozuna – campeão máximo (campeão dos campeões)


Os principais golpes
Budô
Arquivo Nippo - Edição 88
Boxe - Parte 2
Arquivo Nippo - Edição 87
Boxe - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 86
Kenpo Havaiano
Arquivo Nippo - Edição 85
Capoeira
Arquivo Nippo - Edição 84
Muay Thai: boxe tailandês
Arquivo Nippo - Edição 83
Shao Lin do Norte
Arquivo Nippo - Edição 82
Garra de Águia: um dos mais temidos estilos do Kung Fu
Arquivo Nippo - Edição 81
Louva-a-Deus do Norte: Sistema Tradicional de Kung Fu Chinês
Arquivo Nippo - Edição 80
Seiwakai: Karatê de Combate
Arquivo Nippo - Edição 79
Hung Gar: O sistema marcial da Família Hung
Arquivo Nippo - Edição 78
Kung Fu: Artes marciais chinesas do Templo Shao Lin
Arquivo Nippo - Edição 77
Krav Maga: defesa pessoal israelense
Arquivo Nippo - Edição 76
Ninjutsu: arte marcial dos ninjas
Arquivo Nippo - Edição 75
Savate: boxe francês
Arquivo Nippo - Edição 74
Jojutsu: técnica japonesa de luta com bastão
Arquivo Nippo - Edição 73
Kombato: arte militar de defesa pessoal
Arquivo Nippo - Edição 72
Qwan Ki Do: arte marcial vietnamita
Arquivo Nippo - Edição 71
Naguinata: arte marcial japonesa criada na idade média
Arquivo Nippo - Edição 70
Hapkidô: arte marcial coreana especializada em defesa pessoal
Arquivo Nippo - Edição 69
Tai Chi Chuan - Arte Marcial da Longevidade
Arquivo Nippo - Edição 68
Karatê - Seido Juku
Arquivo Nippo - Edição 67
Karatê - Shorin-Ryu
Arquivo Nippo - Edição 66
Karatê - Kyokushin
Arquivo Nippo - Edição 65
Karatê - Goju Ryu
Arquivo Nippo - Edição 64
Karatê - Shotokan
Arquivo Nippo - Edição 63
Karatê - Shito Ryu
Arquivo Nippo - Edição 62
Karatê - Wadô-Kai
Arquivo Nippo - Edição 60
Jiu-Jitsu
O estilo da família Gracie
Arquivo Nippo - Edição 59
Sumô
Arquivo Nippo - Edição 58
Ving Tsun
Arquivo Nippo - Edição 57
Iaido
Arquivo Nippo - Edição 56
Taekwondo
Arquivo Nippo - Edição 55
Judô
Arquivo Nippo - Edição 54
Aikido

A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippobrasil.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2017 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados - www.nippo.com.br

137 usuários online


Redação: editor@nippo.com.br

Diretoria: diretoria@nippo.com.br

Vendas: anuncie@nippo.com.br

Tel: (11) 9 5371 4019 (TIM)

Mais contatos e envio de releases