PORTAL NIPPOBRASIL ONLINE - 19 ANOS
-
Fale conosco: adm@nippo.com.br   
Segunda-feira, 27 de junho de 2022 - 20h16
DESTAQUES:
  Empregos no Japão

  Busca
 

SEÇÕES
Comunidade
Opinião
Circuito
Notícias
Agenda
Dekassegui
Entrevistas
Especial
-
VARIEDADES
Aula de Japonês
Automóveis
Artesanato
Beleza
Bichos
Budô
Comidas do Japão
Cultura-Tradicional
Culinária
Haicai
História do Japão
Horóscopo
Lendas do Japão
Mangá
Pesca
Saúde
Turismo-Brasil
Turismo-Japão
-
ESPECIAIS
Imigração
Tratado Amizade
Bomba Hiroshima
Japan House
Festival do Japão
-
COLUNAS
Conversando RH
Mensagens
Shinyashiki
-
CLASSIFICADOS
Econômico
Empregos BR
Guia Profissionais
Imóveis
Oportunidades
Ponto de Encontro
-
INSTITUCIONAL
Redação
Quem somos
-
Caderno Pesca

Mulheres na pesca - Sorte ou azar?
Margareth Buzo acompanhava
o pai nas pescarias

(Texto: Ilton T. Nomura /Fotos: Divulgação)

Embora o título possa parecer um tanto machista, a verdade é uma só: nunca tantas mulheres participaram de pescarias como atualmente. Habituado a formar grupos de pesca, observei que cada vez mais, a presença de mulheres e crianças era maior e que o preconceito contra a presença “delas” diminuia.

Acabando com o mito que mulher em pescaria dá azar, elas não são só mais caprichosas no seu arsenal, como desenvolvem outras habilidades inerentes à elas e enfeitam o redor dos lagos e a paisagem encarando os pescadores palmo a palmo no tamanho dos peixes e no conhecimento do equipamento.

Dando apelidos às isquinhas, enfeitando as caixas de pesca e colocando a mão na massa, cada vez mais bonés cor de rosa, tiaras, fitas, batons, espelhinhos e outras bugigangas são comuns nos barcos de pesca e a delicadeza ao segurar os peixes, num misto de alegria, encanto, emoção e medo são a marca registrada de muitas pescarias.

Ah, se demoram para arrumaremse? De jeito nenhum! Na pescaria, acordam cedo e se arrumam rapidamente. A pesca propicia às mulheres uma praticidade e rapidez incríveis na montagem do figurino e na maquiagem, composto de short, bermuda ou calça esportiva, camisa ou camiseta e um biquini ou maiô por baixo. Simples, não? Muitas vezes elas se rivalizam com os parceiros na busca do maior peixe e se orgulham dos seus troféus conquistados em meio ao ambiente machista que, às vezes as cercam, contando suas proezas e se vangloriando das lutas memoráveis com os peixes.

Lilian Lurico é uma dessas fortes adeptas da pesca esportiva. Médica, praticante do fly fishing, tem na pesca uma verdadeira paixão. Não se incomoda em misturar-se com os homens, nem que seja a única mulher presente. Participa de grupos de pesca e até começou a confeccionar as suas próprias iscas. Se encanta com os lugares e é detalhista ao extremo, conhecendo nomes e marcas de materiais na ponta da língua.

 

Lilian Sano (primeira), Dalva Leite (segunda.) e Tatiane Soster (Terceira)
exibem suas conquistas
 

Dalva Leite, empresária de Brasília, após separar-se de seu marido e com dois filhos que a acompanhavam nas pescarias já crescidos, vivencia uma nova experiência: a de aderir a novos grupos de pesca e não se intimida com a presença dos machões. Ela arruma a sua tralha e coloca o pé na estrada para o seu encontro com os peixes. Já foi rejeitada em grupos do “Bolinha”, mas convicta, procura o seu espaço e fica feliz só com o ambiente de pesca e o convívio com a natureza.

Andréa Barbosa, jornalista, viu na pesca a emoção de se aventurar por locais selvagens, curtir um pouco o sol sem ficar parada à toa, arremessando suas iscas artificiais e conhecer locais novos.

Tatiana Soster, gaúcha, analista de sistemas, encontrou a graça na pesca através de seu namorado André. Embora não tenha se encantado ainda com o hobby que enfeitiça o namorado, se esforça para poder estar presente nos seus momentos de alegria. Esforçada, não desanima mes-mo nas situações mais difíceis.

Margareth Buzo, por sua vez, foi quem iniciou um jovem amigo a fazer suas primeiras pescarias. Do interior de Sorocaba, acompanhava seu pai nas incursões e hoje rivaliza com o seu discípulo na pesca do maior exemplar. “Ele ainda chega lá”, gaba-se Margareth referindo- se às constantes vitórias por parte dela na pesca. Brigas? Não, no final, tudo acaba numa cervejinha bem gelada.

Enfim, para as mulheres que praticam hoje a pesca esportiva e querem encontrar grupos familiares receptivos, os organizados pela Tucuna Travel são muito bons, com pessoal de altíssimo nível e passeios elaborados com segurança e conforto. Você pode preparar a sua tralha sem medo.

Sorte ou azar?? Sorte delas conhecer a pesca e azar do pescador que não tem uma mulher que goste também do esporte...


Serviço: Tucuna Travel
Tel: (11) 5012-5477 Site: www.tucuna.com.br
 Arquivo - Pesca
Edição 288
Dicas para uma pesca tranqüila
Edição 286
Conheça alguns dos paraísos dos pescadores espalhados pelo Brasil
Edição 285
Variedade de iscas vivas sempre ajuda
Edição 281
Isca araçatubinha: original é feita em madeira
Edição 275
Emater divulga produção de tilápia
Edição 271
Rio Aguapeí: pescaria com muita beleza
Edição 269
Piscicultores precisam melhorar a qualidade do peixe para evitar prejuízos
Edição 263
Ainda há peixes nobres no Rio Paraná
Edição 261
Brasileiros mantêm pesca como hobby no Japão
Edição 259
Carpas coloridas criadas em Mogi das Cruzes
Edição 258
Pesca subaquática no interior de SP
Edição 257
Mexilhão dourado: espécie pode causar danos à piscicultura no MS
Edição 256
Equipe Tucunaguisa em busca de tucunarés entre São Paulo e Mato Grosso do Sul
Edição 254
Corvina: uma pesca muito especial
Edição 253
Desprezadas, piranhas superlotam o Tietê
Edição 252
Descoberta nova espécie de peixe no MS
Edição 250
O tão amado e tão odiado Black Bass...
Edição 249
Tucunaré, peixe de qualquer época nos lagos hidrelétricos do interior de SP
De encontro aos peixes gigantes...
Pesca e stress
Sinta a esportividade do Tucunaré em Panorama
Numa pescaria, o que vale é a AMIZADE...
Marlin-azul tem a primeira marcação eletrônica do Brasil
Conheça os peixes Apapá e o Pampo
Tucunaré, problema ou solução?
Dicas de Pescador
História de pescador
Mulheres na pesca - Sorte ou azar?
As estrelas do inverno
Mulheres nos pesque-pagues
Tambacus, brigadores indiscutíveis
Pescarias nos pesque-pague
Em busca dos tucunarés gigantes
Alto-mar: uma pescaria fascinante
Confira alguns nós mais utilizados nas pescarias
Embarcar numa excursão de pesca vale a pena?

© Copyright 1992 - 2016 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados - www.nippo.com.br

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante.
Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

Sobre o Portal NippoBrasil | Fale com o Nippo