PORTAL NIPPOBRASIL ONLINE - 19 ANOS
-
Fale conosco: adm@nippo.com.br   
Segunda-feira, 04 de julho de 2022 - 17h34
DESTAQUES:
  Empregos no Japão

  Busca
 

SEÇÕES
Comunidade
Opinião
Circuito
Notícias
Agenda
Dekassegui
Entrevistas
Especial
-
VARIEDADES
Aula de Japonês
Automóveis
Artesanato
Beleza
Bichos
Budô
Comidas do Japão
Cultura-Tradicional
Culinária
Haicai
História do Japão
Horóscopo
Lendas do Japão
Mangá
Pesca
Saúde
Turismo-Brasil
Turismo-Japão
-
ESPECIAIS
Imigração
Tratado Amizade
Bomba Hiroshima
Japan House
Festival do Japão
-
COLUNAS
Conversando RH
Mensagens
Shinyashiki
-
CLASSIFICADOS
Econômico
Empregos BR
Guia Profissionais
Imóveis
Oportunidades
Ponto de Encontro
-
INSTITUCIONAL
Redação
Quem somos
-
Caderno Pesca

Embarcar numa excursão de pesca vale a pena?
Diversão, descanso e a oportunidade de fazer
novos amigos são alguns dos atrativos

Ilton e um tucunaré: pescadores experientes dão toda a assessoria aos iniciantes

(Texto e Fotos: Ilton Toshio Nomura*)

A cada final de semana, milhares de pessoas se aventuram em uma pescaria. Além da possibilidade de fisgar um belo espécime e se divertir, relaxar, descansar a cabeça e obter alimento fresco são algumas das opções que levam os pescadores a entrar nessa onda. Porém, muitos locais próximos às grandes cidades já estão batidos e não oferecem mais as mesmas possibilidades de diversão, descanso ou alimento. Por isso, cada vez é preciso se deslocar mais para encontrar o refúgio ideal para realizar uma boa pescaria. Isso significa mais horas de viagem, mas também a possibilidade de encontro com locais paradisíacos e piscosos, com muito menos pescadores e barcos.

Viajar longas distâncias de carro tendo somente o final de semana para fazer isso é muito cansativo, e ficar no trânsito parado para curtir um feriado também é desgastante. O cansaço de uma noite maldormida, do dia inteiro de pesca sob o sol acabam desestimulando essas viagens mais longas. Pensando nisso, surgiram as excursões de pesca. Elas normalmente são feitas em confortável ônibus leito, com duração de 2 dias (final de semana), 3 ou 4 dias (feriados prolongados), ou mesmo de uma semana inteira, e vão para destinos com distâncias que variam de 500 a 750 km dos grandes centros urbanos, como Tupaciguara, Panorama, Presidente Epitácio, Pereira Barreto, Garuva, Pantanal e outras localidades, e as turmas são de 20 a 30 pescadores.

Sem preocupação

A grande vantagem é que você não precisa se preocupar com nada. Transporte, reservas, lanches, barcos, acomodações e até um parceiro de pesca, se você precisar! Além disso, você recebe a orientação técnica de pescadores experientes que assessoram na compra e na utilização do equipamento, além da lista de tudo o que precisa ser levado, dicas das melhores épocas e dos melhores piloteiros, e ainda pode ir tomando uma cervejinha, ou mesmo dormindo.

Ambiente familiar

Outro aspecto interessante é que, nessas viagens de pesca, você tem a possibilidade de fazer novas e duradouras amizades. O ambiente costuma ser familiar e você pode levar a esposa e os filhos também em condições especiais. A descontração de uma aventura em grupo é muito grande e, em muitas excursões, há sorteio de brindes, bingos e torneios de pesca entre os participantes, sendo uma verdadeira festa de confraternização entre pescadores.

Os organizadores promovem eventos, como churrascos, para que os participantes se conheçam antes da pescaria, e rodas de pescadores, para dar as dicas mais quentes do que está efetivamente funcionando naquela época para a localidade desejada. Esse aspecto facilita o entrosamento dos companheiros de viagem e aumenta as chances de sucesso de cada um.

* Ilton Toshio Nomura é pescador esportivo, atua no ramo da pesca há 11 anos e dá assessoria técnica para pescadores iniciantes. E-mail: ilton@tucuna.com.br


Serviço:
• TUCUNA TRAVEL - Tel.: (11) 5012-5477
 Arquivo - Pesca
Edição 288
Dicas para uma pesca tranqüila
Edição 286
Conheça alguns dos paraísos dos pescadores espalhados pelo Brasil
Edição 285
Variedade de iscas vivas sempre ajuda
Edição 281
Isca araçatubinha: original é feita em madeira
Edição 275
Emater divulga produção de tilápia
Edição 271
Rio Aguapeí: pescaria com muita beleza
Edição 269
Piscicultores precisam melhorar a qualidade do peixe para evitar prejuízos
Edição 263
Ainda há peixes nobres no Rio Paraná
Edição 261
Brasileiros mantêm pesca como hobby no Japão
Edição 259
Carpas coloridas criadas em Mogi das Cruzes
Edição 258
Pesca subaquática no interior de SP
Edição 257
Mexilhão dourado: espécie pode causar danos à piscicultura no MS
Edição 256
Equipe Tucunaguisa em busca de tucunarés entre São Paulo e Mato Grosso do Sul
Edição 254
Corvina: uma pesca muito especial
Edição 253
Desprezadas, piranhas superlotam o Tietê
Edição 252
Descoberta nova espécie de peixe no MS
Edição 250
O tão amado e tão odiado Black Bass...
Edição 249
Tucunaré, peixe de qualquer época nos lagos hidrelétricos do interior de SP
De encontro aos peixes gigantes...
Pesca e stress
Sinta a esportividade do Tucunaré em Panorama
Numa pescaria, o que vale é a AMIZADE...
Marlin-azul tem a primeira marcação eletrônica do Brasil
Conheça os peixes Apapá e o Pampo
Tucunaré, problema ou solução?
Dicas de Pescador
História de pescador
Mulheres na pesca - Sorte ou azar?
As estrelas do inverno
Mulheres nos pesque-pagues
Tambacus, brigadores indiscutíveis
Pescarias nos pesque-pague
Em busca dos tucunarés gigantes
Alto-mar: uma pescaria fascinante
Confira alguns nós mais utilizados nas pescarias
Embarcar numa excursão de pesca vale a pena?

© Copyright 1992 - 2016 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados - www.nippo.com.br

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante.
Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

Sobre o Portal NippoBrasil | Fale com o Nippo