Portal NippoBrasil - OnLine - 17 anos
Segunda-feira, 20 de novembro de 2017 - 23h06
  Empregos no Japão

  Busca
 
  Seções NippoBrasil
   Comunidade
   Opinião
   Circuito
   Notícias
   Agenda
   Dekassegui
   Entrevistas
   Especial
-
  Variedades
   Aula de Japonês
   Automóveis
   Artesanato
   Beleza
   Bichos
   Budô
   Comidas do Japão
   Cultura-Tradicional
   Culinária
   Haicai
   História do Japão
   Horóscopo
   Lendas do Japão
   Mangá
   Pesca
   Saúde
   Turismo-Brasil
   Turismo-Japão
-
  Esportes
   Copa do Mundo 2014
   Copa das
 Confederações 2013
-
  Especiais
   Imigração Japonesa
   120 anos de Amizade  Japão-Brasil
   Bomba de Hiroshima
   Japan House
   Festival do Japão 2016
-
 Colunas
   Conversando de RH
   Mensagens
     Roberto Shinyashiki
-
 Veja mais  Classificados
   Econômico
   Empregos no Brasil
   Guia Profissionais
   Imóveis
   Oportunidades
   Ponto de Encontro
-
  Interatividade
   Fale com a Redação
-
  Institucional
   Quem somos


 
O trov„o que caiu das nuvens - Parte 1
 

Adaptação livre de Claudio Seto
(Texto e desenhos: Claudio Seto)

 

No folclore japonês Kaminari (trovão) é personificado por um ser demoníaco, de cor verde, que carrega um arco de tambores ou um saco de vento e gosta de correr fazendo muito barulho sobre as nuvens, onde habita. Diziam as mães japonesas da Antigüidade que, esses seres costumavam comer o umbigo dos seres humanos, portanto, em dia de chuva, era comum ouvir as mães prevenir aos filhos para se vestirem senão o trovão viria pegar seus umbigos.

Conta uma lenda nipônica que numa tarde de verão, há muitos e muitos anos atrás, o céu escureceu repentinamente, e das nuvens negras que tomaram conta do infinito, muitos relâmpagos, raios e trovoadas assustaram um povoado de Owari no Kuni (País de Owari, atual província de Aichi). Na ocasião, um jovem lavrador que trabalhava em sua roça, para se se proteger da chuva torrencial que começou a desabar, correu para baixo de uma árvore. Nisso um raio acompanhado de um barulho ensurdecedor caiu nas proximidades, pregando um grande susto no jovem, que se atirou ao chão tremendo de medo.

Passado a chuva de verão, o lavrador levantou-se cautelosamente e notou que por perto havia algo brilhante tentando se movimentar. Ao se aproximar, deparou com uma criatura estranha, feia, que de certo modo lembra o oni (demônio), porém diferenciava pela sua pele de cor verde.

O lavrador então lembrou que aquela criatura só podia ser um trovão, criatura barulhenta que habita sobre as nuvens. A cena era inacreditável, um trovão havia caído das nuvens e se contorcia de dor mesmo desmaiado. O lavrador então correu até a mata próxima e trazendo ervas medicinais, esfregou na pele dura do trovão, principalmente no lado em que havia esborrachado no chão. A erva agiu como um bálsamo e pouco tempo depois, o trovão abriu os olhos e levantou-se com grande esforço. Vendo o jovem lavrador, o trovão curvou-se agradecendo o tratamento recebido.

-Muito obrigado, a erva que esfregaste em mim aliviou minha dor. Eu estava correndo animadamente nas nuvens e não percebi que havia um vão maior que meu passo. Então despenquei por puro descuido.

-Fico satisfeito que tenha se recuperado e curioso para saber como conseguirá voltar às nuvens.

-Vou precisar mais uma vez de sua ajuda. Preciso que construa um barco com a madeira da canforeira, depois encha de água e cubra com galhos e folhas de bambu.

O trovão ficou hospedado na casa do lavrador enquanto esse construía o barco. Alguns dias depois o serviço estava quase concluído.

-Puxa! Está pronto! Que barco bem feito. Enquanto eu descansava para recuperar minhas forças, você fez um belo trabalho. Gostaria de agradecer realizando algum desejo para você. Peça o que quiser, sem cerimônia.

-Bem, nesse caso, gostaria de ter um filho, pois minha mulher e eu estamos casados a alguns anos e ainda não temos filho.

-Não se preocupe, seu desejo será realizado com certeza. Dizendo isso o trovão apanhou o galho de bambu cheio de folhas e começou a mexer na água que o lavrador havia colocado no barco de cânfora. Do movimento circular que ele fazia, começou a sair uma densa neblina e foi subindo em direção do céu. Nisso o trovão subiu na neblina e foi levado até desaparecer no meio das nuvens.

Continua...

 
Adaptação livre de Claudio Seto

Arquivo NippoBrasil - Edição 210 - 11 a 17 de junho de 2003
Lendas do Japão
Arquivo Nippo - Edição 216
Ki o niguiru meiso
(Meditar com o bonsai)
Arquivo Nippo - Edição 214
O bambu e a correnteza
Arquivo Nippo - Edição 212
O trovão que caiu das nuvens - Parte Final
Arquivo Nippo - Edição 210
O trovão que caiu das nuvens - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 208
Tudo sob controle
Arquivo Nippo - Edição 206
O guetá encantado
Arquivo Nippo - Edição 204
A mão e a ira - Parte Final
Arquivo Nippo - Edição 202
A mão e a ira - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 200
Kobutori Jiji
Arquivo Nippo - Edição 198
O tesouro das camélias
Arquivo Nippo - Edição 196
A origem da cigarra Chibahime
Arquivo Nippo - Edição 194
Oyakoko zaru
Arquivo Nippo - Edição 192
O Mestre da Sabedoria
Arquivo Nippo - Edição 190
Kassajizo
Arquivo Nippo - Edição 188
O coelho da lua
Arquivo Nippo - Edição 184
O samurai e o cachorro guardião
Arquivo Nippo - Edição 182
Zenchi-Bonsai – O amor ao próximo
Arquivo Nippo - Edição 180
A tigela de madeira
Arquivo Nippo - Edição 178
Um Nome Comprido
Arquivo Nippo - Edição 176
A Borboleta Branca
Arquivo Nippo - Edição 174
Ubazakurá
Arquivo Nippo - Edição 172
Lenda da origem
do Bon Odori
Arquivo Nippo - Edição 170
Sô dessu ká?
Arquivo Nippo - Edição 170
Nada tenho
Arquivo Nippo - Edição 168
A moeda de Nobunaga
Arquivo Nippo - Edição 168
Acreditar em sonhos
Arquivo Nippo - Edição 166
Bunbuku Chagama: A chaleira encantada - Parte 2
Arquivo Nippo - Edição 164
Bunbuku Chagama: A chaleira encantada - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 153
Lenda da origem do Bon Odori
Arquivo Nippo - Edição 151
A esposa abandonada
Arquivo Nippo - Edição 149
A nora da fortuna
Arquivo Nippo - Edição 147
O Fantasma do Poço
Arquivo Nippo - Edição 145
Apreciando as cerejeiras
Arquivo Nippo - Edição 143
Carro de Boi
Arquivo Nippo - Edição 141
O Mestre
Arquivo Nippo - Edição 139
Você é sua prisão
Arquivo Nippo - Edição 137
O céu e o inferno
Arquivo Nippo - Edição 135
Desejando Deus

A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippobrasil.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2017 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados - www.nippo.com.br

163 usuários online


Redação: editor@nippo.com.br

Diretoria: diretoria@nippo.com.br

Vendas: anuncie@nippo.com.br

Tel: (11) 9 5371 4019 (TIM)

Mais contatos e envio de releases