Portal NippoBrasil - OnLine - 19 anos
Quarta-feira, 02 de dezembro de 2020 - 12h41
  Empregos no Japão

  Busca
 

SEÇÕES
Comunidade
Opinião
Circuito
Notícias
Agenda
Dekassegui
Entrevistas
Especial
-
VARIEDADES
Aula de Japonês
Automóveis
Artesanato
Beleza
Bichos
Budô
Comidas do Japão
Cultura-Tradicional
Culinária
Haicai
História do Japão
Horóscopo
Lendas do Japão
Mangá
Pesca
Saúde
Turismo-Brasil
Turismo-Japão
-
ESPORTES
Copa 2014
-
ESPECIAIS
Imigração
Tratado Amizade
Bomba Hiroshima
Japan House
Festival do Japão
-
COLUNAS
Conversando RH
Mensagens
Shinyashiki
-
CLASSIFICADOS
Econômico
Empregos BR
Guia Profissionais
Imóveis
Oportunidades
Ponto de Encontro
-
INSTITUCIONAL
Redação
Quem somos
-
 

Perda auditiva: como prevenir
 

Pesquisas mostram que aproximadamente 25 milhões de brasileiros sofrem de perda auditiva, ou seja, diminuição da capacidade de captar as informações sonoras por meio da audição.

Segundo Renata Cantisani Di Francesco, coordenadora da Liga de Prevenção à Surdez, ambulatório para diagnóstico, prevenção e orientação ligado ao Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC/FMUSP), a dificuldade de ouvir pode ter causas congênitas (carregadas pelo indivíduo desde a nascença), que podem ser prevenidas ou diagnosticadas precocemente na avaliação pré-natal. A vacinação da mulher contra a rubéola antes da gestação é uma importante forma de prevenção à surdez.

Existem ainda as causas adquiridas, relacionadas a processos infecciosos que podem ser prevenidos tratando-se adequadamente as otites (inflamações de ouvido) ou os problemas respiratórios a elas relacionadas, como a rinite alérgica e obstrução nasal.

A maioria das pessoas com perda auditiva (em torno de 90%) pode ser ajudada por meio de tratamento médico, cirúrgico ou de aparelhos de audição.

O que realmente pode ser evitado, de acordo com Di Francesco, são os casos de perda auditiva induzida ao ruído, conhecida como Pair ou trauma acústico. A primeira está relacionada com a exposição contínua a sons agradáveis (música, por exemplo) ou desagradáveis (ruído em uma fábrica) de forma contínua e freqüente em intensidade e tempo lesivos ao ouvido, ou seja, mais de 80 dB (decibéis) durante mais de 8 horas ao dia.

Essa relação é exponencial de forma que sons de mais de 100 dB podem ocasionar lesão auditiva após 15 minutos de exposição. Só para se ter uma idéia, um walkman no volume máximo e o som de decolagem de um jato podem chegar a 120 dB. “A lesão auditiva pode ser menor se houver intervalos de silêncio intercalados à exposição sonora. Uma prevenção é expor-se por pouco tempo a sons de alta intensidade”, explica.

Já o trauma acústico é uma lesão de um som em alta intensidade em uma única exposição, como por exemplo, fogos de artifício, rojões, etc. É recomendável evitar ficar próximo a estas fontes sonoras.

A surdez ou perda auditiva ocorrem em qualquer idade. Porém, é comum que o indivíduo na Terceira Idade tenha uma perda auditiva natural do processo de envelhecimento. A presbiacusia, como é chamada, pode fazer com que o idoso perca o interesse em participar de atividades sociais, podendo levar ao isolamento e contribuir para a depressão.

 

Sintomas

Fique atento aos indícios de perda auditiva:

• achar que as pessoas não estão falando de forma clara.

• não entender mulheres e crianças falando (a voz é mais aguda e a perda auditiva geralmente inicia para freqüências sonoras agudas)

• pedir para as pessoas repetirem o que se fala

• dificuldades em seguir uma conversa com mais de duas pessoas ou em ambiente ruidoso

• necessidade de aumentar o som da TV

• quando os familiares e amigos começam a achar que a pessoa não está ouvindo bem

 
 

Arquivo NippoBrasil - Edição 181 - 13 a 19 de novembro de 2002
 Coluna
 Arquivo - Saúde
• Avalie o seu grau de estresse
• Ervas medicinais: natural sim, mas com limites
• Síndrome do Coração Partido: quando as emoções afetam nossa saúde física
• Porque controlar o Tabagismo?
• Esclerose múltipla: sintomas diversos podem confundir diagnóstico
• Como evitar o câncer
• Cuidados básicos na manipulação de alimentos
• Viciados no trabalho
• Hábitos alimentares influenciam no desenvolvimento de doenças
• 75% das mulheres sofrem com a TPM
• Saiba como prevenir a conjuntivite
• Prazeres e cuidados com um banho de ofurô
• Você sabe como escolher um filtro solar?
• Verão, perigo para quem sofre de enxaqueca
• Cuidado com as micoses
• Automedicação: o barato que sai caro e pode ser perigoso
• Cuidado com a otite externa
• Acupuntura para combater a asma
• Café reduz risco de câncer de cólon
• Combatendo o câncer de mama
• Campos magnéticos aumentam os poderes da água
• Tabaco é principal motivo para o desenvolvimento doença pulmonar crônica
• Nova técnica para a plástica das pálpebras
• Zumbido: um problema que tem tratamento
• Câncer ginecológico: prevenção é o melhor remédio
• Vacinas podem prevenir doenças do verão
• Como se livrar das estrias
• Convivendo com as varizes no verão
• Calor intenso aumenta risco de conjuntivites
• Câncer de estômago é mais comum entre orientais
• Perda auditiva: como prevenir
• Prevenir é o melhor remédio
• Tomar chá verde pode amenizar alergias
• Cuidado com o leite que você compra!
• O que fazer para evitar a Trombose
• Como ajudar alguém em crise epiléptica
• Pare de fumar agora!
• Como agir em caso de queimaduras
• Reposição Hormonal: fazer ou não?


A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippo.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2020 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados