Portal NippoBrasil - OnLine - 17 anos
Domingo, 22 de setembro de 2019 - 8h18
  Empregos no Japão

  Busca
 

SEÇÕES
Comunidade
Opinião
Circuito
Notícias
Agenda
Dekassegui
Entrevistas
Especial
-
VARIEDADES
Aula de Japonês
Automóveis
Artesanato
Beleza
Bichos
Budô
Comidas do Japão
Cultura-Tradicional
Culinária
Haicai
História do Japão
Horóscopo
Lendas do Japão
Mangá
Pesca
Saúde
Turismo-Brasil
Turismo-Japão
-
ESPORTES
Copa 2014
-
ESPECIAIS
Imigração
Tratado Amizade
Bomba Hiroshima
Japan House
Festival do Japão
-
COLUNAS
Conversando RH
Mensagens
Shinyashiki
-
CLASSIFICADOS
Econômico
Empregos BR
Guia Profissionais
Imóveis
Oportunidades
Ponto de Encontro
-
INSTITUCIONAL
Redação
Quem somos
-
Arquivo NippoBrasil - Edição 106 - 31 de maio a 6 de junho de 2001
 
Jinmu Tenno - O Primeiro Imperador do Japão - Parte 2

(Por Claudio Seto)

O príncipe passou dez dias fechado em sua tenda procurando encontrar uma maneira de vencer a astúcia do inimigo. Na madrugada do décimo primeiro dia, encontrou a solução. Ele inventou um aparelho que indicava sempre o sul, ao qual deu o nome de shinansha. Dessa forma poderia orientar-se no meio da mais densa neblina que o mago adversário fizesse cair sobre seu exército. Naquela época, a bússola ainda não existia.

Waka Mikenu pôs o shinansha, que era carregado por quatro homens na frente do exército, e foi de encontro ao inimigo que estava acampado nas proximidades. Essa nova batalha foi tão sangrenta quanto a anterior, os guerreiros combateram corajosamente até o sol se pôr. Novamente para proteger a retirada de seus homens, o mago fez baixar uma densa neblina sobre a planície. Mas, desta vez, os homens do príncipe não se preocuparam, pois sabiam que seguindo a direção indicada pelo aparelho encontrariam o rastro dos inimigos.

Na manhã seguinte quando Waka Mikenu saiu no encalço do adversário, deparou com novo obstáculo. Durante a noite havia chovido muito na montanha e um rio transbordou na planície, impedindo a passagem de seu exército.

O príncipe começou a caminhar nervoso pelas margens do rio, pois se esperasse até a água abaixar, que poderia levar de dois a três dias, o inimigo ganharia uma boa dianteira, tornando impossível alcançá-lo depois. De repente, viu uma rã flutuando na enchente sobre um pedaço de galho. Essa cena deu uma grande idéia ao príncipe. Ordenou seus soldados que abatessem árvores da floresta e pusessem troncos para boiar. E sobre jangadas improvisadas o exército navegou em direção à outra margem.

O exército inimigo que a tudo assistia da margem oposta cavou trincheiras e preparou os arqueiros com afiadas flechas apontadas em direção à margem. Quando o exército de Waka Mikenu desembarcou e iniciou a marcha para o combate final, o mago fez baixar a mais forte de todas as neblinas e a planície chegou a escurecer. As flechas choveram em direção dos guerreiros de Waka Mikenu, que não conseguiam ver os inimigos, tal a densidade da neblina. O combate estava totalmente desfavorável para o exército do príncipe,que tombava atingido pelas flechas vindas não se sabe de onde. A situação era calamitosa, pois nem recuar podiam, pois havia um rio cheio e não era mais possível de ver as toras de madeiras que os levaram até lá. Nesse momento de desespero houve um milagre: como um raio de luz, uma águia desceu das alturas e pousou sobre o arco do bravo príncipe. Os raios de luz emanados pela ave sagrada não só clarearam toda planície mostrando onde estavam entrincheirados os inimigos como tiraram a visão do exército adversário, tal era a intensidade da luz. Por isso, a imagem da “Águia Sagrada” foi muito usada para representar a Nação, assim como o crisântemo simboliza a família imperial.

O exército do mago foi finalmente derrotado. Após longo período de batalhas, Waka Mikenu conquistou todo o território de Yamato. Essa região corresponde atualmente à província de Nara. O príncipe Waka Mikenu ergueu o palácio de Kashi Hara, e aí subiu ao trono como primeiro Imperador de Yamato (hoje Japão) no dia 11 de fevereiro de 660 a.C., assumindo o nome de Kamu Yamato Iwarehiko no Sumera Mikoto. Casou-se com a princesa Hime Tamo Isuzu Hime no Mikoto (bisneta de Suzano-o no Mikoto – o Deus Tempestade; neta de Ookuninushi no Mikoto – Divindade Grande Protetor do País, filha de Kotoshiro Nushi no Mikoto e Tamagushi Hime) e passou para a história com o nome de Jinmu Tenno.

A lenda conta que Jinmu Tenno governou com sabedoria e justiça. Um belo dia, já muito velho, com barba e cabelos brancos, o Imperador passeava no bosque ao redor do palácio apoiado em grande cajado. De repente, surgiu no horizonte uma águia brilhante como ouro, que se aproximava rapidamente. Ao chegar perto do palácio, ela começou a descer lentamente, com amplos giros, e foi parar aos pés do Imperador.

Mensageiro da Augusta Deusa Sol veio me buscar para ir morar em Takama no Hara (Alta Planície Celeste)?, indagou o velho Imperador.

A águia balançou a cabeça afirmativamente. Então o nobre Imperador despediu-se de todos os seus súditos que se ajoelharam em reverência e, chorando, abraçaram seus pés e joelhos. Jinmu Tenno subiu na garupa da águia que, abrindo suas imensas asas, levantou vôo e lançou-se em direção ao céu. Foi-se distanciando até virar um pontinho no firmamento e desaparecer entre os raios do sol.

Quem o substituiu no trono foi seu filho Suizei Tenno, o segundo imperador do Japão.

Fim ...

 
História do Japão
Arquivo Nippo - Edição 264
Príncipe Shôtoku
Arquivo Nippo - Edição 262
Era Asuka
Arquivo Nippo - Edição 260
Era Kofun - Tumbas: símbolos de poder
Arquivo Nippo - Edição 258
Rainha Himiko
A lendária rainha de Yamatai
Arquivo Nippo - Edição 256
Era Yayoi - Desenvolvimento japonês
Arquivo Nippo - Edição 254
A criação do mundo segundo a mitologia japonesa
Arquivo Nippo - Edição 252
O Alvorecer do Japão
Arquivo Nippo - Edição 250
Cronologia: As eras no Japão
Mitologia
Arquivo Nippo - Edição 106
Jinmu Tenno - O Primeiro Imperador do Japão - Parte 2
Arquivo Nippo - Edição 105
Jinmu Tenno - O Primeiro Imperador do Japão - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 96
Caminhar sobre as águas
Arquivo Nippo - Edição 95
Verão: Ode à Hototoguissu
Parte Final
Arquivo Nippo - Edição 94
Verão: Ode à Hototoguissu
Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 96
Haruyama e Akiyama
Parte Final
Arquivo Nippo - Edição 95
Haruyama e Akiyama
Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 94
Haruyama e Akiyama
Prólogo
Arquivo Nippo - Edição 93
O chapéu ouvidor
Arquivo Nippo - Edição 92
A flor da honestidade
Parte 2
Arquivo Nippo - Edição 91
A flor da honestidade
Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 90
Tarai Kaburi Hime: A Princesa Cabeça de Tina - Parte 2
Arquivo Nippo - Edição 89
Tarai Kaburi Hime: A Princesa Cabeça de Tina - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 88
Jingû Kogo. A imperatriz guerreira
Arquivo Nippo - Edição 88
Yamato Takeru no Mikoto: O Príncipe Valente - Parte 2
Arquivo Nippo - Edição 87
Yamato Takeru no Mikoto. O Príncipe Valente
Arquivo Nippo - Edição 87
As pedras de Ryoanji
Arquivo Nippo - Edição 86
Kaguya Hime - Parte 3
Arquivo Nippo - Edição 85
Kaguya Hime - Parte 2
Arquivo Nippo - Edição 84
Kaguya Hime - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 83
Mino no Mamushi: A Cobra Venenosa de Mino
Arquivo Nippo - Edição 78
Pré-história do Japão - 8
Parte 2:
Ukemochi no Mikoto
Arquivo Nippo - Edição 77
Pré-história do Japão - 8:
Ukemochi no Mikoto
Arquivo Nippo - Edição 74
Pré-história do Japão - 7:
Ukemochi No Mikoto: A Deusa da Alimentação

A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippobrasil.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2019 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados

154 usuários online