Portal NippoBrasil - OnLine - 17 anos
Quinta-feira, 21 de setembro de 2017 - 5h53
  Empregos no Japão

  Busca
 
  Seções NippoBrasil
   Comunidade
   Opinião
   Circuito
   Notícias
   Agenda
   Dekassegui
   Entrevistas
   Especial
-
  Variedades
   Aula de Japonês
   Automóveis
   Artesanato
   Beleza
   Bichos
   Budô
   Cultura-Tradicional
   Culinária
   Haicai
   História do Japão
   Horóscopo
   Lendas do Japão
   Mangá
   Pesca
   Saúde
   Turismo-Brasil
   Turismo-Japão
-
  Esportes
   Copa do Mundo 2014
   Copa das
 Confederações 2013
-
  Especiais
   Imigração Japonesa
   120 anos de Amizade  Japão-Brasil
   Bomba de Hiroshima
   Japan House
   Festival do Japão 2016
-
 Colunas
   Conversando de RH
   Mensagens
     Roberto Shinyashiki
-
 Veja mais  Classificados
   Econômico
   Empregos no Brasil
   Guia Profissionais
   Imóveis
   Oportunidades
   Ponto de Encontro
-
  Interatividade
   Fale com a Redação
-
  Institucional
   Quem somos


Arquivo NippoBrasil - Edição 095 - 15 a 21 de março de 2001
 
Haruyama e Akiyama - Parte 1
O mito de Haruyama e Akiyama

(Por Claudio Seto)

No tempo em que o Japão era chamado de Ashi Hara no Mizuho no Kuni (País dos Campos Juncos e das Espigas de Arroz) havia dois deuses que representavam as forças da natureza. Haruyama no Kasumi no Mikoto (Príncipe da Névoa da Montanha da Primavera) e Akiyama no Shitabi no Mikoto (Príncipe da Montanha Rubra de Outono). O primeiro era agitado e impetuoso, voava sobre as nuvens, cavalgando nas costa de dragões e provocava brigas por onde passava. Já havia enfrentado o deus Trovão e desentendido com Shiyozuchi no Kami, o deus do Mar. O segundo era calmo, bondoso e gostava muito de música. Seu maior prazer era tocar flauta na montanha e a sua melodia deixava as folhas de ácer (momiji) rubras de emoção. Os dois apesar de irmãos raramente se encontravam, pois moravam relativamente distantes um do outro.

Naquela época vivia na região nordeste do País, onde hoje está localizada a província de Akita, uma bela princesa (Hime), as margens do lago Towada. Por isso era chamada também de Donzela do Lago Towada. Ela adorava tomar sol e cantar, por isso, enquanto trabalhava em seu tear ao ar livre, soltava a voz que penetrava nas matas, atravessava rios e ecoava nas longínquas serras.

AKIYAMA, DEUS FOLHAS DE OUTONO

Certa ocasião quando o calor começou a diminuir, Akiyama, que tocava flauta na beira do mar, foi surpreendido por uma brisa que carregava uma voz melodiosa. O príncipe da Montanha de Outono, tirou a flauta da boca e apurou os ouvidos. Descobriu então, que o vento que descia da montanha era quem trazia até ele, a bela e envolvente voz feminina. Guiado por um inexplicável entusiasmo, correu até o topo da montanha na tentativa de descobrir a origem da bela voz. Do alto, Akiyama pôde avistar além da cadeia de montanhas, um lago brilhante que refletia a luz do sol, tendo nas proximidades uma floresta de altas árvores. Imediatamente ele caminhou para aquela direção, pois deduziu que a voz vinha daquela região.

Ao aproximar-se do lago, Akiyama viu Hime, a bela princesa cantando enquanto trabalhava em seu tear. Ele imediatamente se apaixonou pela bela donzela. Foi um amor a primeira vista. A partir de então, Akiyama escalava a montanha, atravessava o vale, os campos, as florestas tocando flauta e visitava diariamente a Princesa que morava na beira do lago. No seu percurso, as folhas verdes se emocionavam e ficavam avermelhadas por serem testemunhas de um grande amor. Os dois formavam um belo casal, enquanto ela cantava no tear, ele a acompanhava tocando uma flauta. Tudo era muito lindo e harmonioso.

HARUYAMA, DEUS NÉVOA DA PRIMAVERA

Numa ocasião, quando as neves das montanhas começaram a derreter aumentando o volume de águas do rio Oirasse em prenúncio à primavera, Haruyama no Kasumi no Mikoto (Príncipe da Névoa da Montanha da Primavera), que andava mal humorado e provocando tempestades com muitas ventanias foi correndo para o monte Hakoda e chutou o topo quebrando um pedaço (Por isso até hoje o monte tem o formato de um planalto no topo). Haruyama pretendia chutar mais montes e provocar mais fenômenos atmosféricos, porém, ouviu uma canção cuja voz era bonita demais.

A música serenou seu acesso de fúria e Haruyama sentiu uma agradável sensação de paz e tranqüilidade jamais experimentada. Deixando-se levar em direção a voz, atravessou vales, escalou montanhas e transpôs matas nativas, chegando as margens do lago Towada. Quando viu a dona da voz cantando enquanto trabalhava no tear, ficou paralisado de emoção. Ela era tão linda quanto sua voz.

O jovem deus Haruyama foi tomado por uma grande paixão. Ficou perdidamente apaixonado e tudo na vida. Só tinha sentido se fosse em referência a ela. Quando colhia frutas levava para ela em grande quantidade, quando caçava javali carregava nas costas e dava de presente à sua amada, Haruyama era um tanto exagerado e até baleia foi caçar, trazendo o enorme mamífero para o lago Towada. Sua visita à Donzela do Lago cavalgando em dragões tornou-se freqüente.

Haruyama e a Donzela do Lago batiam longos papos onde ele narrava suas loucas aventuras, desafiando o mar revolto em dias de tempestade ou sobrevoando o céu acima das nuvens. A cada encontro o jovem ficava mais apaixonado e estava certo de que sem ela não conseguiria mais viver.

Continua...

História do Japão
Arquivo Nippo - Edição 106
Jinmu Tenno - O Primeiro Imperador do Japão - Parte 2
Arquivo Nippo - Edição 105
Jinmu Tenno - O Primeiro Imperador do Japão - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 96
Caminhar sobre as águas
Arquivo Nippo - Edição 95
Verão: Ode à Hototoguissu
Parte Final
Arquivo Nippo - Edição 94
Verão: Ode à Hototoguissu
Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 96
Haruyama e Akiyama
Parte Final
Arquivo Nippo - Edição 95
Haruyama e Akiyama
Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 94
Haruyama e Akiyama
Prólogo
Arquivo Nippo - Edição 93
O chapéu ouvidor
Arquivo Nippo - Edição 92
A flor da honestidade
Parte 2
Arquivo Nippo - Edição 91
A flor da honestidade
Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 90
Tarai Kaburi Hime: A Princesa Cabeça de Tina - Parte 2
Arquivo Nippo - Edição 89
Tarai Kaburi Hime: A Princesa Cabeça de Tina - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 88
Jingû Kogo. A imperatriz guerreira
Arquivo Nippo - Edição 88
Yamato Takeru no Mikoto: O Príncipe Valente - Parte 2
Arquivo Nippo - Edição 87
Yamato Takeru no Mikoto. O Príncipe Valente
Arquivo Nippo - Edição 87
As pedras de Ryoanji
Arquivo Nippo - Edição 86
Kaguya Hime - Parte 3
Arquivo Nippo - Edição 85
Kaguya Hime - Parte 2
Arquivo Nippo - Edição 84
Kaguya Hime - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 83
Mino no Mamushi: A Cobra Venenosa de Mino
Arquivo Nippo - Edição 78
Pré-história do Japão - 8
Parte 2:
Ukemochi no Mikoto
Arquivo Nippo - Edição 77
Pré-história do Japão - 8:
Ukemochi no Mikoto
Arquivo Nippo - Edição 74
Pré-história do Japão - 7:
Ukemochi No Mikoto: A Deusa da Alimentação
Arquivo Nippo - Edição 73
Pré-história do Japão - 6:
Ukemochi No Mikoto: A Deusa da Alimentação
Arquivo Nippo - Edição 72
Pré-história do Japão - 5:
Ookuni Nushi no Mikoto - O Grande Mestre da Terra - Parte 2
Arquivo Nippo - Edição 71
Pré-história do Japão - 5:
Ookuni Nushi no Mikoto - O Grande Mestre da Terra - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 69
Pré-história do Japão - 4:
Ninigui, o Augusto Neto Celeste, e Konohana Sakuya Hime, a princesa florescer

A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippobrasil.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2017 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados - www.nippo.com.br

94 usuários online


Redação: editor@nippo.com.br

Diretoria: diretoria@nippo.com.br

Vendas: anuncie@nippo.com.br

Tel: (11) 9 5371 4019 (TIM)

Mais contatos e envio de releases