Portal NippoBrasil - OnLine - 17 anos
Sábado, 22 de setembro de 2018 - 1h19
  Empregos no Japão

  Busca
 
  Seções NippoBrasil
   Comunidade
   Opinião
   Circuito
   Notícias
   Agenda
   Dekassegui
   Entrevistas
   Especial
-
  Variedades
   Aula de Japonês
   Automóveis
   Artesanato
   Beleza
   Bichos
   Budô
   Comidas do Japão
   Cultura-Tradicional
   Culinária
   Haicai
   História do Japão
   Horóscopo
   Lendas do Japão
   Mangá
   Pesca
   Saúde
   Turismo-Brasil
   Turismo-Japão
-
  Esportes
   Copa do Mundo 2014
   Copa das
 Confederações 2013
-
  Especiais
   Imigração Japonesa
   120 anos de Amizade  Japão-Brasil
   Bomba de Hiroshima
   Japan House
   Festival do Japão 2018
-
 Colunas
   Conversando de RH
   Mensagens
     Roberto Shinyashiki
-
 Veja mais  Classificados
   Econômico
   Empregos no Brasil
   Guia Profissionais
   Imóveis
   Oportunidades
   Ponto de Encontro
-
  Interatividade
   Fale com a Redação
-
  Institucional
   Quem somos



Roteiro: Interpretação e Criação
 
Tadaimaaa!! Vamos falar da parte do Mangá que é a base para o desenho: o roteiro. Não adianta só desenhar, é necessário ter conhecimento de como arquitetar sua história. É um processo delicado, mas muito legal. E sabendo como funciona, tenha certeza de que seu desenho será muito mais valorizado. Não adianta uma história ter desenhos maravilhosos se o enredo for fraco. Não haverá equilíbrio.

A nossa mente funciona por associações e comparações. Algo somente será definido se ela possuir dados referentes ou parecidos ao que está acontecendo. Exemplos: os inúmeros elementos do nosso dia-a-dia.

Por isso é necessário que a mente esteja sempre recebendo informações diversas e não se fechando para outras, evitando o bloqueio de novos dados. O conhecimento geral e profundo sobre tudo na vida depende disso.

Agimos no dia-a-dia operando sempre por um processo que inclui:

Observação • Cognição • Intelectual • Resposta

Mas há duas formas de usarmos o processo acima descrito: mecanicamente e artisticamente.

No modo mecânico, agimos puramente pelos reflexos e impulsos primários. Exemplo: Instinto (fome, sobrevivência, sexo, etc.)

Já no modo artístico, todo o processo acima estará influenciado por fatores diversos, ocasionando uma resposta variada. Exemplo: literatura, desenho, canto, dança, música, oratória, etc.

E já que estamos falando sobre criação, o que nos interessa aqui é o processo artístico.

Cada um de nós possui um perfil em particular, seja tímido, extrovertido, alegre, agressivo, meticuloso, etc. Somos assim devido a uma índole nata e uma série de fatores que nos cercam: a família, onde vivemos, nossos amigos, gostos pessoais, leitura, etc. Isso ao longo de nossa existência vai se transformando, seja por mudança dos elementos anteriormente descritos, seja por um aprimoramento do intelecto. Então, sob a influência de determinados preceitos, iremos agir de modo particular. Cada um irá interpretar a informação de seu jeito. Mas é importante salientar que é vital a absorção constante de informações diversas, e com isso, ter um leque infindável de opções para responder, seja pela palavra escrita, corporal ou manual. E as fontes de informação são inúmeras: debates de idéias, leitura, cinema, TV, música, observação. Na observação, reside uma das chaves para a agilidade de pensamento: veja como as pessoas agem, como elas se manifestam, observe detalhes de postura, comunicação (o que elas querem realmente dizer), claro, sem julgar. Crie o hábito de observar detalhes do dia-a-dia que passam desapercebidos e também os óbvios. Explore possibilidades diversas para coisas comuns. Fique atento aos sons à sua volta, eles podem estar contando histórias ou fragmentos. Sensações são igualmente importantes.

Com o conhecimento dos elementos que nos cercam a criação flui mais facilmente. Não há como ensinar a ter uma idéia, mas como você pode desenvolvê-la até que se torne em algo interessante, com conteúdo. Como foi dito antes, nosso cérebro trabalha bem, é comum termos várias idéias perambulando em nossos pensamentos. A comparação de informações com tudo que fazemos está ligada à essa interpretação.

Mas, quando determinamos um objetivo, algo em que direcionar as idéias esparsas, de forma que elas combinem entre si, então conseguiremos formar algo criativo.

Relacione assuntos, veja se eles podem combinar ou ter seqüência, tire os que não se encaixam, lapide bem isso tudo até que o amontoado de idéias tenha coerência. Para isso, siga o que foi dito, absorva toda a informação que puder e , é claro, interprete-a criando possibilidades infinitas. Uma dica é anotar tudo que parecer interessante e o que não é, pois isso pode servir em outra ocasião. Faça um arquivo de idéias. Mas sempre tenha um tema, um objetivo para alinhar os pensamentos.

Mata ne.

 
Arquivo NippoBrasil - Edição 178 - 23 a 29 de outubro de 2002
Mangá Help
Arquivo Nippo - Edição 182
Anatomia: Mulheres
Arquivo Nippo - Edição 180
Roteiro: Sistema de trabalho
Arquivo Nippo - Edição 178
Roteiro: Interpretação e Criação
Arquivo Nippo - Edição 176
Dicas e Improvisos
Arquivo Nippo - Edição 174
Capa - Elementos Gráficos
Arquivo Nippo - Edição 172
Capa - Produção
Arquivo Nippo - Edição 170
Capa 1 - Introdução
Arquivo Nippo - Edição 168
Perspectiva Infinita 2
Arquivo Nippo - Edição 166
Perspectiva Infinita 1
Arquivo Nippo - Edição 162
Estilização - Anatomia
Arquivo Nippo - Edição 160
Arte Final - Técnicas
Arquivo Nippo - Edição 158
Arte Final - Acabamento
Arquivo Nippo - Edição 156
Arte Final - Materiais
Arquivo Nippo - Edição 154
Narrativa - 3
Arquivo Nippo - Edição 152
Narrativa - 2
Arquivo Nippo - Edição 150
Narrativa - 1
Arquivo Nippo - Edição 148
Animais:
Estilização de Tipos
Arquivo Nippo - Edição 146
Animais:
Construção de Tipos
Arquivo Nippo - Edição 144
Perspectiva Oblíqua - parte 2
Arquivo Nippo - Edição 142
Perspectiva Oblíqua - parte 1
Arquivo Nippo - Edição 140
Movimentação Marcial - Lutas
Arquivo Nippo - Edição 138
Movimentação Marcial - Armas
Arquivo Nippo - Edição 136
Perspectiva Linear
Arquivo Nippo - Edição 134
Narrativas
Arquivo Nippo - Edição 132
Luz e sombras - Variações
Arquivo Nippo - Edição 130
Luz e sombras
Arquivo Nippo - Edição 128
Enquadramento
Arquivo Nippo - Edição 124
Texturas - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 118
Criatividade - Naves 2
Arquivo Nippo - Edição 183
Toques e Dicas - 15
Arquivo Nippo - Edição 181
Toques e Dicas - 14
Arquivo Nippo - Edição 179
Toques e Dicas - 13
Arquivo Nippo - Edição 177
Toques e Dicas - 12
Arquivo Nippo - Edição 175
Toques e Dicas - 11
Arquivo Nippo - Edição 173
Toques e Dicas - 10
Arquivo Nippo - Edição 171
Toques e Dicas - 9
Arquivo Nippo - Edição 169
Toques e Dicas - 8
Arquivo Nippo - Edição 167
Toques e Dicas - 7
Arquivo Nippo - Edição 165
Toques e Dicas - 6
Arquivo Nippo - Edição 163
Toques e Dicas - 5
Arquivo Nippo - Edição 161
Toques e Dicas - 4
Arquivo Nippo - Edição 159
Toques e Dicas - 3
Arquivo Nippo - Edição 157
Toques e Dicas - 2
Arquivo Nippo - Edição 155
Toques e Dicas - 1

A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippobrasil.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2018 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados - www.nippo.com.br

120 usuários online