Portal NippoBrasil - OnLine - 17 anos
Terça-feira, 25 de setembro de 2018 - 16h54
  Empregos no Japão

  Busca
 
  Seções NippoBrasil
   Comunidade
   Opinião
   Circuito
   Notícias
   Agenda
   Dekassegui
   Entrevistas
   Especial
-
  Variedades
   Aula de Japonês
   Automóveis
   Artesanato
   Beleza
   Bichos
   Budô
   Comidas do Japão
   Cultura-Tradicional
   Culinária
   Haicai
   História do Japão
   Horóscopo
   Lendas do Japão
   Mangá
   Pesca
   Saúde
   Turismo-Brasil
   Turismo-Japão
-
  Esportes
   Copa do Mundo 2014
   Copa das
 Confederações 2013
-
  Especiais
   Imigração Japonesa
   120 anos de Amizade  Japão-Brasil
   Bomba de Hiroshima
   Japan House
   Festival do Japão 2018
-
 Colunas
   Conversando de RH
   Mensagens
     Roberto Shinyashiki
-
 Veja mais  Classificados
   Econômico
   Empregos no Brasil
   Guia Profissionais
   Imóveis
   Oportunidades
   Ponto de Encontro
-
  Interatividade
   Fale com a Redação
-
  Institucional
   Quem somos


 
Zuiten

Adaptação livre de Claudio Seto
(Texto e desenhos: Claudio Seto)

 

Introdução:
No folclore japonês existem muitas histórias de animais dotados de poderes mágicos. Alguns adquirem a forma de mulher e casam com seus benfeitores e outros adoram pregar peças e se divertir, tentando enganar os seres humanos. Os mais famosos nesse aspecto são o Tanuki (texugo) e Kitsune (raposa) cujo poder ilusionista deram margem a várias histórias interessantes.


Há muitos e muitos anos atrás, havia um mosteiro na montanha cujos moradores viviam sendo enganados por uma raposa travessa. Nesse mosteiro havia um aprendiz de monge muito distraido chamado Zuiten. Certa ocasião quando estava sozinho na cabana da torre do sino, ouviu uma voz chamando pelo seu nome: - Zuiten! Zuiten!

Julgando que o monge estava chamando por ele, saiu correndo para o bosque mas não havia ninguém por lá. Pouco depois, mais uma vez ouviu o chamado: Zuiten! Zuiten!

-Ah! Deve ser alguém da aldeia que veio rezar! Pensou o garoto, e novamente foi até a frente da cabana. Abriu a porta e certificou que não havia ninguém no local.

O fato se repetiu várias vezes e o garoto foi ficando intrigado e resolveu ficar escondido perto da porta, observando por uma fresta.

Então viu uma raposa que saindo de um arbusto, veio até a porta dos fundos, escovou a calda na porta produzindo o som “zui”. Em seguida, girava a cabeça rapidamente e golpeava contra a porta produzindo o som “ten”.

Então Zuiten ficou escondido junto a porta do fundo. A raposa chegou e escovou a porta com seu rabo, produzindo o som “zui”. Quando ela girou a cabeças para dar uma pancada com a cabeça, o menino abriu a porta e a raposa foi com tudo ao chão da cabana. Então o garoto fechou rapidamente a porta prendendo a raposa.

-Peguei você, sua danada! -gritou o garoto perseguindo a raposa com uma vassoura nas mãos. Ela saiu correndo da cozinha e foi para o salão principal do mosteiro. No salão havia uma estátua de Buda chamado Honzon-sama que o povo venerava.

Para poder se livrar de seu perseguidor, a raposa num passe de mágica transformou-se em uma imagem idêntica ao existente no local.

Zuiten vendo que havia duas imagens iguais de Honzon- sama, logo percebeu que a raposa estava fazendo um truque ilusório para engana-lo. O menino olhava para uma imagem e para a outra mas não conseguia descobrir qual era a verdadeira.

Então Zuiten disse propositalmente em voz alta:

-Oh! Está na hora de oração diária. Hozon-sama gosta tanto de ouvir a leitura da Sutra Sagrada, que todas as vezes que eu leio rezando ele bota a língua para fora como um garoto travesso.

Então Zuiten começou a rezar fazenda a leitura do sutra enquanto ritmava batendo um peixe de madeira. Nisso a raposa que estava transformada na imagem de Buda, botou a língua de fora.

Vendo a língua afinada da raposa, Zuiten disse:
- Ah! Está na hora de servir um delicioso jantar para Honzon-sama na sala de chá. Venha por favor.

Zuiten entrou na sala de chá e a raposa disfarçada seguiu atrás dele. Então o garoto disse: - Ah! Estava me esquecendo, antes do jantar tenho que dar um banho em Honzon-sama.

Seguiu para o banheiro e abriu a tampa do ofurô e ajudou “Honzon-sama” entrar na enorme tina de madeira. Em seguida colocou a tampa do ofurô firmemente e segurando com força gritou.

- Pensou que me engana sua raposa danada. Agora vou botar fogo na banheira e ferver a água até você ficar cozida. Porém se você jurar que jamais fará travessuras com meu nome, eu a perdôo por esta vez.

Apavora com a idéia de virar raposa cozida, ela começou a gritar juras e implorar perdão. Assim Zuiten deixou a raposa ir embora para a floresta. E ela nunca mais voltou para pregar peças no mosteiro.

 
Adaptação livre de Claudio Seto

Arquivo NippoBrasil - Edição 230 - 29 de outubro a 4 de novembro de 2003
Lendas do Japão
Arquivo Nippo - Edição 242
O nome da gata
Arquivo Nippo - Edição 240
O Perfeito Macaco-Rei
Arquivo Nippo - Edição 238
Cesto cheio de água
Arquivo Nippo - Edição 236
O Macaco e a Água Viva - Parte Final
Arquivo Nippo - Edição 234
O Macaco e a Água Viva - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 232
O Mestre da Sabedoria
Arquivo Nippo - Edição 230
Zuiten
Arquivo Nippo - Edição 228
O Dia Seguinte
Arquivo Nippo - Edição 226
A Estátua e os Macacos
Arquivo Nippo - Edição 224
O fruto da cor de ouro
Arquivo Nippo - Edição 222
Espelho de Matsuyama - Parte 2
Arquivo Nippo - Edição 220
Espelho de Matsuyama - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 218
Shinguen e o Egoísmo
Arquivo Nippo - Edição 216
Ki o niguiru meiso
(Meditar com o bonsai)
Arquivo Nippo - Edição 214
O bambu e a correnteza
Arquivo Nippo - Edição 212
O trovão que caiu das nuvens - Parte Final
Arquivo Nippo - Edição 210
O trovão que caiu das nuvens - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 208
Tudo sob controle
Arquivo Nippo - Edição 206
O guetá encantado
Arquivo Nippo - Edição 204
A mão e a ira - Parte Final
Arquivo Nippo - Edição 202
A mão e a ira - Parte 1
Arquivo Nippo - Edição 200
Kobutori Jiji
Arquivo Nippo - Edição 198
O tesouro das camélias
Arquivo Nippo - Edição 196
A origem da cigarra Chibahime
Arquivo Nippo - Edição 194
Oyakoko zaru
Arquivo Nippo - Edição 192
O Mestre da Sabedoria
Arquivo Nippo - Edição 190
Kassajizo
Arquivo Nippo - Edição 188
O coelho da lua
Arquivo Nippo - Edição 184
O samurai e o cachorro guardião
Arquivo Nippo - Edição 182
Zenchi-Bonsai – O amor ao próximo
Arquivo Nippo - Edição 180
A tigela de madeira
Arquivo Nippo - Edição 178
Um Nome Comprido
Arquivo Nippo - Edição 176
A Borboleta Branca
Arquivo Nippo - Edição 174
Ubazakurá
Arquivo Nippo - Edição 172
Lenda da origem
do Bon Odori
Arquivo Nippo - Edição 170
Sô dessu ká?
Arquivo Nippo - Edição 170
Nada tenho
Arquivo Nippo - Edição 168
A moeda de Nobunaga
Arquivo Nippo - Edição 168
Acreditar em sonhos

A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippobrasil.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2018 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados - www.nippo.com.br

167 usuários online