PORTAL NIPPO-BRASIL - 19 ANOS ONLINE

Horário de Brasília: Domingo, 16 de dezembro de 2018 - 14h24
Seções

Entre em contato
com a redação:
campo@nippo.com.br

História
Federação das Cooperativas Agrícolas de Colonização

Sede da IPTDA fica no pequeno município de Guatapará

(Foto: Reprodução)

Fundada em 17 de dezembro de 1956, com o objetivo de dar apoio aos agricultores imigrantes japoneses, a Federação Nacional das Cooperativas Agrícolas de Colonização (Jatak) é uma das mais importantes instituições do segmento rural na comunidade nipo-brasileira. Na prática, a Jatak chamava-se, antes, Federação das Cooperativas de Imigração e Colonização (Zentakuren).

A alteração ocorreu simultaneamente às mudanças também nos objetivos da entidade. De apoio aos imigrantes, ela passou a promover o intercâmbio entre esses pioneiros residentes no Brasil com o Japão. E, desde 94, o trabalho foi ampliado ainda mais, com o treinamento pessoal e o aprimoramento de técnicas aos produtores nikkeis de toda a América Latina.

Antes das ampliações em seus trabalhos, a Jatak, em 1966, já havia instalado em Guatapará, interior de São Paulo, o Centro de Treinamento Agrícola. O local foi ampliado e modernizado em 2001, ocasião em que foi rebatizado como Instituto de Pesquisas Técnicas e Difusões Agropecuárias (IPTDA). Ali, os agricultores recebem treinamento de alta qualidade. O objetivo é difundir e oferecer aos agricultores todas as técnicas agronômicas desenvolvidas, além de outras informações reunidas de várias fontes no banco de dados.

Até recentemente, o IPTDA tinha apenas sete funcionários (cinco pesquisadores, um auxiliar e um instrutor de estagiários), sob a coordenação do diretor Tetsuo Shioya. O local, como dizem, é pequeno, mas tem grandes objetivos. Para garantir a sua sustentabilidade, a diretoria da Jatak não quer ficar na dependência do capital japonês e luta por contribuições e incentivos à pesquisa. O trabalho, porém, não tem sido fácil.

Em 2005, a Jatak concluiu a preparação das instalações físicas da IPTDA, com a construção de prédios e estabelecimentos. Mas o valor real do local não é, como diz Shioya, avaliado pelos bens materiais, mas sim pelos resultados de pesquisa e difusão obtidos no local.

Constantemente, a IPTDA/Jatak, em Guatapará, recebe pesquisadores e produtores em busca de experiências e novidades agrícolas. Por conta desse sucesso, também foram selecionados colaboradores em algumas regiões estratégicas para o desenvolvimento de trabalhos de pesquisas e difusões de novas tecnologias agropecuárias.

Arquivo