Portal NippoBrasil - OnLine - 17 anos
Segunda-feira, 19 de agosto de 2019 - 3h47
  Empregos no Japão

  Busca
 

SEÇÕES
Comunidade
Opinião
Circuito
Notícias
Agenda
Dekassegui
Entrevistas
Especial
-
VARIEDADES
Aula de Japonês
Automóveis
Artesanato
Beleza
Bichos
Budô
Comidas do Japão
Cultura-Tradicional
Culinária
Haicai
História do Japão
Horóscopo
Lendas do Japão
Mangá
Pesca
Saúde
Turismo-Brasil
Turismo-Japão
-
ESPORTES
Copa 2014
-
ESPECIAIS
Imigração
Tratado Amizade
Bomba Hiroshima
Japan House
Festival do Japão
-
COLUNAS
Conversando RH
Mensagens
Shinyashiki
-
CLASSIFICADOS
Econômico
Empregos BR
Guia Profissionais
Imóveis
Oportunidades
Ponto de Encontro
-
INSTITUCIONAL
Redação
Quem somos
-
 
Onsens
Estâncias termais que garantem relaxamento e diversão

(Arquivo NB)

Originários do Japão, os onsens - uma espécie de variação dos sentôs (casas de banho público muito populares e tradicionais em terras nipônicas) - são estações de águas termais que, até a Era Meiji (1868-1912), eram freqüentados exclusivamente para se tomar banho. Após esse período, como a maioria das residências japonesas passaram a dispor de banheiros, os onsens começaram, então, a oferecer outros serviços para não perderem seu público. Hoje eles são também um ponto de encontro para amigos onde é possível relaxar, jogar conversa fora, cantar ao som de um karaokê, fazer ginástica e se desligar da correria do dia-a-dia.

No Brasil pode-se encontrar alguns onsens. Entretanto, aqui em terras tupiniquins, eles recebem outros nomes: são as estâncias termais. Nelas, as águas quentes também são a principal atração. Mas não a única.

Se seu objetivo é descansar, as estâncias termais podem ser seu destino. Amante do ecoturismo? Sem problemas. Diversas termas ficam no “meio do mato” – um prato cheio para os atletas desbravadores da natureza. Agora, se você procura sombra e água fresca num passeio mais família, fique sabendo que muitos centros de águas termais disponibilizam ótimos serviços hoteleiros, boa comida e todo um aparato de recreação para “cansar” seus pimpolhos enquanto você relaxa e descansa.

A seguir o NB dá algumas dicas de onde encontrar o passeio que mais combina com você. A característica comum que une tais localidades são as águas quentes. Assim, podem ser chamados de onsens ou de estância termal. Não importa. O importante é se divertir. Ou descansar. Ou praticar esportes. Ou se reunir com sua família...

 

CALDAS NOVAS: A MAIOR ESTÂNCIA TERMAL DO MUNDO

Caldas Novas possui uma área de 1.588 quilômetros quadrados e se localiza na região centro-oeste do território brasileiro. A 160 km de distância de Goiânia (e a 750 km de São Paulo), possui uma população fixa de apenas 49.642 habitantes. Entretanto, a grande rede hoteleira do local - que inclui hotéis, clube/hotéis, pousadas, apart-hotéis, flats e pensões – permite que a cidade acomode aproximadamente 90.000 pessoas por dia. E segundo dados da Secretaria de Turismo do município, Caldas Novas recebe por ano cerca de 1,6 milhões de turistas. A grandiosidade dos números tem fundamento. Afinal, Caldas Novas é considerada a maior estância termal do mundo.

Taiyo Hotel: um legítimo onsen
Com uma completa infra-estrutura que inclui, entre outras atrações, o aconchegante parque aquático termal emoldurado por belos jardins, o Taiyo Hotel se define com um verdadeiro onsen no meio de Caldas Novas. Lá é possível usufruir de saunas naturais, se deliciar com as comidas típicas do Japão, tomar banho de ofurô e cantar ao videokê. Praticamente um pedacinho do Japão na maior estância termal do mundo.

Pousada do Rio Quente
Pertinho de Caldas Novas, a exatos 27 quilômetros de distância, situa-se o maior resort do Brasil: o complexo Pousada do Rio Quente. São seis hotéis – totalizando 803 apartamentos – e uma infra-estrutura que conta com restaurantes, diversões noturnas, shows, esportes aquáticos e centros de lazer. Visitado por aproximadamente um milhão de pessoas em 2002, o complexo encanta os turistas pela sua beleza natural exuberante, por sua tranqüilidade e, como não poderia ser diferente, pelas suas águas termais que chegam a 37º C.

A cultura nipônica marca presença no complexo, entre os dias 18 e 27 de agosto, os visitantes poderão apreciar inúmeros pratos típicos, assistir apresentãções de danças, músicas além de contar com orientadores de origamis, kirigami e ikebana.


Pousado do Rio Quente: cerca de um milhão de visitantes por ano


TERMAS DE JUREMA E SEU BANHO DE LAMA

Em Iretama, noroeste do estado do Paraná, o Termas de Jurema proporciona descanso e agito. Basta o turista escolher. Além de poder nadar em piscinas cobertas e ao ar livre com água mineral corrente de até 42oC, que jorram direto do subsolo, é possível desfrutar da infra-estrutura do Termas. Lagos e rios para pescaria, passeio a cavalo, caminhadas e quedas d´aguas são opções para quem quer descanso. Para os que preferem atividades mais agitadas, quadras de tênis, campo de futebol, academia de ginástica e pista de cooper são a garantia de que lá só fica parado quem quer.


Jurema: piscinas cobertas ou ao ar livre com água com até 42ºC

O local possui ainda bosques que são o maior sucesso por causa de sua lama. A primeira impressão é assustadora. Mas quem encara um banho de lama não se arrepende. De acordo com especialistas da área médica, a lama negra é recomendável principalmente para a pele. A aplicação do “produto”, devido ao seu alto teor de sulfato, é altamente cicatrizante e elimina a presença de fungos, bactérias e micoses. As propriedades da lama trazem benefícios também aos cabelos, deixando-os mais limpos e sedosos.


ÁGUAS QUENTES DE PIRATININGA

No final da década de 70, pesquisadores da área petrolífera perfuraram o solo de Piratininga, no centro do estado de São Paulo, em busca de petróleo. O óleo não foi encontrado, mas em compensação, surgiu água em abundância. A água de Piratininga é quente (com temperaturas acima dos 42º C) e salgada, o que, segundo especialistas, lhe garante importantes propriedades terapêuticas.

Além de usufruir das características “saudáveis” da água você também poderá aproveitar o hotel/clube que foi construído em volta da fonte de água quente, com piscinas, qudras e quadras.

 

Arquivo NippoBrasil - Edição 210 - 11 a 17de junho de 2003
 Arquivo - Turismo Brasil
Arquivo NippoBrasil - Edição 249
• Caldas Novas é quente
Arquivo NippoBrasil - Edição 248
• Foz do Iguaçu: natureza, tecnologia e história
Arquivo NippoBrasil - Edição 246
• Pantanal
Arquivo NippoBrasil - Edição 245
• Salvador
Arquivo NippoBrasil - Edição 241
• Camboriú
Arquivo NippoBrasil - Edição 238
• Adrenalina total!!!
Arquivo NippoBrasil - Edição 233
• Floripa ou Ilha da Magia, como também é conhecida a capital catarinense
Arquivo NippoBrasil - Edição 231
• Conheça São Paulo de Metrô
Arquivo NippoBrasil - Edição 225
• Belém: capital da fé
Arquivo NippoBrasil - Edição 224
• Litoral norte
Arquivo NippoBrasil - Edição 223
• Região dos Lagos
Arquivo NippoBrasil - Edição 221
• Paraty: diversão para toda família
Arquivo NippoBrasil - Edição 219
• Circuito Histórico de Minas Gerais
Arquivo NippoBrasil - Edição 218
• Atibaia
Arquivo NippoBrasil - Edição 217
• Foz do Iguaçu: Beleza dividida
Arquivo NippoBrasil - Edição 215
• Divirta-se nos arredores de São Paulo
Arquivo NippoBrasil - Edição 212
• Um passeio nas alturas da Serra da Mantiqueira
Arquivo NippoBrasil - Edição 210
• Onsens: Estâncias termais que garantem relaxamento e diversão
Arquivo NippoBrasil - Edição 209
• Ilha Grande
Arquivo NippoBrasil - Edição 207
• Poços de Caldas: O santuário da paz
Arquivo NippoBrasil - Edição 206
• Circuito das águas mineiro
Arquivo NippoBrasil - Edição 204
• Redescobrindo o Litoral Sul de SP
Arquivo NippoBrasil - Edição 203
• Serras Gaúchas
Arquivo NippoBrasil - Edição 201
• Socorro abre a porteira para o turismo
Arquivo NippoBrasil - Edição 200
• Circuito das águas
Arquivo NippoBrasil - Edição 198
• Santos: Muito além do Jardim
Arquivo NippoBrasil - Edição 192
• Maranhão, o segredo do Brasil
Arquivo NippoBrasil - Edição 190
• Histórias do Grande Sertão Veredas em Minas Gerais
Arquivo NippoBrasil - Edição 188
• Turismo ecológico no Rio Grande do Norte
Arquivo NippoBrasil - Edição 184
• Península de Maraú: uma delícia baiana
Arquivo NippoBrasil - Edição 180
• Pirenópolis, um pedaço do Cerrado Brasileiro

A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippobrasil.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2019 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados

119 usuários online