Portal NippoBrasil - OnLine - 17 anos
Terça-feira, 21 de novembro de 2017 - 2h27
  Empregos no Japão

  Busca
 
  Seções NippoBrasil
   Comunidade
   Opinião
   Circuito
   Notícias
   Agenda
   Dekassegui
   Entrevistas
   Especial
-
  Variedades
   Aula de Japonês
   Automóveis
   Artesanato
   Beleza
   Bichos
   Budô
   Comidas do Japão
   Cultura-Tradicional
   Culinária
   Haicai
   História do Japão
   Horóscopo
   Lendas do Japão
   Mangá
   Pesca
   Saúde
   Turismo-Brasil
   Turismo-Japão
-
  Esportes
   Copa do Mundo 2014
   Copa das
 Confederações 2013
-
  Especiais
   Imigração Japonesa
   120 anos de Amizade  Japão-Brasil
   Bomba de Hiroshima
   Japan House
   Festival do Japão 2016
-
 Colunas
   Conversando de RH
   Mensagens
     Roberto Shinyashiki
-
 Veja mais  Classificados
   Econômico
   Empregos no Brasil
   Guia Profissionais
   Imóveis
   Oportunidades
   Ponto de Encontro
-
  Interatividade
   Fale com a Redação
-
  Institucional
   Quem somos


Arquivo NippoBrasil - Edição 100 - 12 a 18 de abril de 2001
 
Natal a cidade do sol no nordeste

(Fotos: Reprodução / Divulgação)

Natal, a capital do Rio Grande do Norte, é uma das cidades que tem a melhor qualidade de vida do País. Natal se gaba de ter o ar mais puro das Américas, de acordo com pesquisa do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), encomendada pela Nasa. Esta bela cidade litorânea tem largas avenidas, boa estrutura de serviços (rede bancária, supermercados, shoppings centers), um nítido crescimento e um povo bastante hospitaleiro.

O clima é o mais atraente do País e o slogan de Natal comprova o bom clima de todo o ano: Cidade do Sol. Com uma população de aproximadamente 800 mil habitantes, Natal desfruta de 300 dias de Sol por ano, com uma temperatura média anual de 28º C.

As praias urbanas de Natal são Ponta Negra, Areia Preta, Praia dos Artistas, Praia do Meio e Praia do Forte. A mais badalada é Ponta Negra, dotada de muitos hotéis, pousadas, restaurantes, boates e bares.

A maior atração, porém, não está na oferta de serviços, mas no imponente Morro do Careca, uma duna margeada por densa vegetação que não só chama a atenção do turista, como o induz a uma escalada. Ou melhor, um desafio. A areia fofa da duna faz com que a subida se torne uma bela prova de resistência. Quem se dispuser à façanha, terá como maior prêmio um banho de mar revigorante na bela Ponta Negra.

Já a Praia de Areia Preta não é muito indicada para o banho, por causa de suas pedras. Seu beira-mar, contudo, em breve será uma das mais valorizadas de Natal, já que estão em construção vários edifícios que devem formar uma boa estrutura para o turista.

A Praia dos Artistas reúne muitos surfistas durante o dia e muito frenesi à noite, por conta de seus bares, boates e restaurantes. A Praia do Meio tem menos apelo noturno, mas é muito freqüentada nos fins de semana.

A Praia do Forte se caracteriza por seu mar extremamente calmo e pela ponto de maior valor arquitetônico da cidade, o Forte dos Reis Magos, com mais de 400 anos de história.

Mas, Natal também tem várias outras atrações, além do circuito das praias. Esta centenária capital abriga museus e igrejas de riquíssima beleza.

O Museu Câmara Cascudo é muito didático porque mostra um pouco da arqueologia encontrada no Rio Grande do Norte. Já o Museu Café Filho, localizado no centro, reúne os mais importantes objetos pessoais e recordações de Café Filho, que já foi presidente da República. Quem quiser conhecer de perto a vida de um dos maiores folcloristas do Brasil, Câmara Cascudo, a dica é visitar seu Memorial, que abriga livros que publicou, cartas e documentos de ampla relevância para a cultura nacional.

Em relação às igrejas, as mais visitadas pelos turistas são a Igreja de Santo Antônio, também chamada Igreja do Galo, e a Igreja de Nossa Senhora da Apresentação, igualmente denominada antiga catedral. Prédios como o Palácio Potengi (antiga sede do governo estadual), hoje Palácio da Cultura, também merecem observação atenta, assim como o templo maior das artes e da cultura, o Teatro Alberto Maranhão.

Em termos ambientais, Natal reserva para o visitante uma imensa área verde, o Parque das Dunas, considerado o segundo maior parque urbano do País, perdendo apenas para o Parque da Tijuca, no Rio de Janeiro. O parque é uma espécie de “pulmão” da cidade, com trilhas ecológicas, delimitadas para trekking e um bem estruturado Bosque dos Namorados, com brinquedos, sala de recreação e muito ar puro. Dentro do Parque, também a Cidade da Criança, uma ótima pedida para a molecada, com atividades lúdicas e lago com pedalinhos. Enfim, como se vê, Natal é um programa para todas as idades.

 

Gastronomia
Frutas servem para fazer “lambedores”

Os pratos elaborados com frutos do mar são numerosos. Mas, destaca-se a carne de sol que adquiriu fama nacional. Geralmente, a carne de sol vem acompanhada por feijão verde, macaxeira, manteiga de garrafa e farofa d’água.

A região é conhecida pelo grande elenco de doces feitos de frutas da região, como cajú, graviola, cajá, acerola e outros. Essas frutas são também aproveitadas para fazer deliciosas batidas.

No interior do Estado, pode-se encontrar pratos bem ligados às raízes coloniais.Não se pode esquecer dos remédios caseiros, conhecidos como “lambedores”, que geralmente são elaborados com frutas (romã e corama) e folhas (hortelã de folha miúda, da folha grande, mastruz, urtiga branca etc).

A carne de sol é o principal prato do Rio Grande do Norte. É preparado de forma “inusitada”, que acabou se tornando um segredo dos mestres, que não revelaram o tratamento dado a carne desde o corte, a salga e o preparo ao fogo. É encontrado em vários estados do Nordeste, com o nome de Carne de Sol à Moda da Casa. Mas, se você não come carne vermelha, pode experimentar a Galinha à Gabidela.

Nesta iguaria, a galinha é cozida, depois de cortada pelas juntas, quando pronta, coloca-se sangue anteriormente colhido e batido com vinagre para não talhar, durante o abate. Depois, tudo é levado novamente ao fogo. Pronto, é servido com arroz e feijão verde regado com manteiga de garrafa, ou manteiga da terra.

Mas não dá para ir embora de Natal, sem provar a Buchada, feita com vísceras e outros miúdos de carneiro, picados e cozidos dentro de saquinhos feitos de bucho do carneiro. É servido com arroz e pirão elaborado com carne e caldo em que foi cozida a buchada. Já ouviu falar da paçoca? É uma mistura de carne de sol e carne de charque batida em pilão, com farinha de mandioca. Depois de pronta, o turista degusta a iguaria com feijão verde e cebola roxa picadinha.

 

História dos holandeses

Natal foi fundado por portugueses no século XVI. Em sua colonização contou também com a presença de franceses e holandeses. Durante a Segunda Guerra Mundial, a capital potiguar foi chamada de “Trampolim da Vitória”, pois de Natal partiam os aviões aliados para os combates no Norte da África.

A parte moderna da cidade foi projetada nos anos 30 pelo arquiteto italiano Giacomo Palumbo, e é caracterizada por largas avenidas e amplas áreas verdes.

 

Genipabu
Que tal um passeio de buggy nas dunas móveis?

As dunas móveis e a Praia de Genipabu com suas lagoas azuis ocupam uma área de 1.881 hectares. É o maior cartão postal do Estado do Rio Grande do Norte, localizado em Extremoz, na Grande Natal, a 23 quilômetros da capital. Para chegar a Extremoz, é preciso atravessar o Rio Potengi, pela famosa Ponte de Igapó ou ir de balsa.

Há praias com dunas de até 30 metros de altura, mangues e lagoas de rara beleza – com destaque para a Praia de Pitangui, que ainda preserva trechos da Mata Atlântica. São nessas dunas que se realizam os mais radicais passeios de buggy. A novidade é passeio de “dromedário”, animal trazido da África que se adaptou muito bem ao clima da região.

 

Artesanato
Da fibra, o potiguar faz belas peças

As principais matérias-primas do artesanato potiguar são as fibras, a palha de carnaúba e o sisal, encontradas em abundância na região. Os artesãos criam uma grande variedade de produtos que encantam os turistas: bolsas, cestas, tapetes. Já a cerâmica potiguar é de uma beleza ímpar, sendo trabalhada em argila de ótima qualidade, nascendo um artesanato bonito e bem acabado. Pode ser usada como utilidade doméstica no preparo dos alimentos ou para decoração.

 
 Arquivo - Turismo Brasil
Arquivo NippoBrasil - Edição 215
• Divirta-se nos arredores de São Paulo
Arquivo NippoBrasil - Edição 212
• Um passeio nas alturas da Serra da Mantiqueira
Arquivo NippoBrasil - Edição 210
• Onsens: Estâncias termais que garantem relaxamento e diversão
Arquivo NippoBrasil - Edição 209
• Ilha Grande
Arquivo NippoBrasil - Edição 207
• Poços de Caldas: O santuário da paz
Arquivo NippoBrasil - Edição 206
• Circuito das águas mineiro
Arquivo NippoBrasil - Edição 204
• Redescobrindo o Litoral Sul de SP
Arquivo NippoBrasil - Edição 203
• Serras Gaúchas
Arquivo NippoBrasil - Edição 201
• Socorro abre a porteira para o turismo
Arquivo NippoBrasil - Edição 200
• Circuito das águas
Arquivo NippoBrasil - Edição 198
• Santos: Muito além do Jardim
Arquivo NippoBrasil - Edição 192
• Maranhão, o segredo do Brasil
Arquivo NippoBrasil - Edição 190
• Histórias do Grande Sertão Veredas em Minas Gerais
Arquivo NippoBrasil - Edição 188
• Turismo ecológico no Rio Grande do Norte
Arquivo NippoBrasil - Edição 184
• Península de Maraú: uma delícia baiana
Arquivo NippoBrasil - Edição 180
• Pirenópolis, um pedaço do Cerrado Brasileiro
Arquivo NippoBrasil - Edição 176
• Parque Nacional da Chapada Diamantina, natureza em abundância
Arquivo NippoBrasil - Edição 174
• Santa Catarina é só festa
Arquivo NippoBrasil - Edição 172
• Turismo Cultural em Paranapiacaba
Arquivo NippoBrasil - Edição 170
• Parque Nacional da Bocaina: Natureza e sossego em abundância
Arquivo NippoBrasil - Edição 168
• Maringá: Os encantos da “Cidade Verde”
Arquivo NippoBrasil - Edição 166
• Águas de São Pedro, um pequeno paraíso no interior de São Paulo
Arquivo NippoBrasil - Edição 162
• Santo Amaro da Imperatriz, águas termais e aventura em Santa Catarina
Arquivo NippoBrasil - Edição 158
• Amazônia com conforto
Arquivo NippoBrasil - Edição 136
• Fernando de Noronha: Patrimônio Natural da Humanidade
Arquivo NippoBrasil - Edição 132
• Ilhabela: O encanto do litoral paulista
Arquivo NippoBrasil - Edição 131
• Porto Seguro: Praia de Santo André
Arquivo NippoBrasil - Edição 127
• Ecoturismo: Uma visão diferente de Santa Catarina
Arquivo NippoBrasil - Edição 123
• Araxá
Arquivo NippoBrasil - Edição 115
• Costa do Sauípe: Lazer, Paisagem e Comodidade
Arquivo NippoBrasil - Edição 113
• Caldas Novas: Opção para se esquentar no inverno
Arquivo NippoBrasil - Edição 111
• Pescaria: Os encantos da natureza são infindáveis
Arquivo NippoBrasil - Edição 109
• Jacobina: Circuito das Cachoeiras na Bahia
Arquivo NippoBrasil - Edição 105
• Pantanal
Arquivo NippoBrasil - Edição 103
• João Pessoa: ponto extremo oriental das Américas

A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippobrasil.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2017 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados - www.nippo.com.br

115 usuários online


Redação: editor@nippo.com.br

Diretoria: diretoria@nippo.com.br

Vendas: anuncie@nippo.com.br

Tel: (11) 9 5371 4019 (TIM)

Mais contatos e envio de releases