Portal NippoBrasil - OnLine - 17 anos
Quinta-feira, 23 de maio de 2019 - 23h02
  Empregos no Japão

  Busca
 
  Seções NippoBrasil
   Comunidade
   Opinião
   Circuito
   Notícias
   Agenda
   Dekassegui
   Entrevistas
   Especial
-
  Variedades
   Aula de Japonês
   Automóveis
   Artesanato
   Beleza
   Bichos
   Budô
   Comidas do Japão
   Cultura-Tradicional
   Culinária
   Haicai
   História do Japão
   Horóscopo
   Lendas do Japão
   Mangá
   Pesca
   Saúde
   Turismo-Brasil
   Turismo-Japão
-
  Esportes
   Copa do Mundo 2014
   Copa das
 Confederações 2013
-
  Especiais
   Imigração Japonesa
   120 anos de Amizade  Japão-Brasil
   Bomba de Hiroshima
   Japan House
   Festival do Japão 2018
-
 Colunas
   Conversando de RH
   Mensagens
     Roberto Shinyashiki
-
 Veja mais  Classificados
   Econômico
   Empregos no Brasil
   Guia Profissionais
   Imóveis
   Oportunidades
   Ponto de Encontro
-
  Interatividade
   Fale com a Redação
-
  Institucional
   Quem somos


 

Prazo do Programa de Regularização Ambiental
é prorrogado até dezembro de 2019

 

Fonte e foto: Divulgação Deputado Junji Abe

O prazo de adesão ao PRA – Programa de Regularização Ambiental, que venceria em 31 de dezembro de 2018, foi prorrogado por mais um ano. A decisão, publicada no Diário Oficial da União de quinta-feira (27/12/18), responde à luta encampada pelo deputado federal Junji Abe (MDB-SP) e integrantes da FPA – Frente Parlamentar da Agropecuária, com a Medida Provisória nº 867, o novo prazo passa a ser 31 de dezembro de 2019.

“É uma questão de justiça com os produtores que estão tentando se regularizar, mas vêm enfrentando uma série de entraves no processo”, definiu Junji. Há muitos estados brasileiros onde o PRA ainda não está implementado, o que impede a adesão. “A prorrogação vem para garantir essa regularidade, além de segurança jurídica”, completou a presidente da FPA e futura ministra da Agricultura no governo Bolsonaro, deputada Tereza Cristina (DEM-MS).

Sem a regularização, os donos de propriedades ficam impedidos do acesso ao crédito rural. “Isto é mortal para os produtores de míni, pequeno e médio portes”, advertiu Junji. Ele pinçou a situação delicada do Estado de São Paulo, onde estão os polos produtivos de hortifrutiflorigranjeiros, marcados por propriedades de dimensão reduzida, porém, com intensa aplicação de tecnologia. Segundo o parlamentar, esses agricultores ocupam áreas consideradas várzeas e encostas (áreas de topografia íngreme), o que agrava as dificuldades para a inserção das informações na base de dados do sistema. Ele se referiu à elaboração do CAR – Cadastro Ambiental Rural, uma das etapas intermediárias na implementação do novo Código Florestal, e que antecede o PRA.

Junji exemplificou citando Mogi das Cruzes, referencial brasileiro em tecnologia na horticultura, e cidades vizinhas do Alto Tietê. “É preciso ter um pouco de sensibilidade para compreender o suplício desses produtores ao tentarem se regularizar”, apontou o deputado. Quase a totalidade não pode pagar por assistência especializada para isso, carecendo de conhecimento e tempo. “Falamos de produtores já severamente penalizados por terem perdido parte das suas áreas para barragens ou conviverem com represas destinadas a combater enchentes e garantir o abastecimento de água para milhões de habitantes da Região Metropolitana de São Paulo”, acrescentou.

Mesmo assim, lembrou o coordenador de Meio Ambiente da FPA, deputado Valdir Colatto (MDB-SC), os produtores rurais entregaram ao poder público todas as informações pertinentes à sua propriedade. “A prorrogação colabora para que esse levantamento se qualifique ainda mais e ajude o País na preservação ambiental”, defendeu.

A segurança jurídica das propriedades e a inserção dos produtores rurais no PRA viabiliza a regularidade ambiental, assim como o cumprimento da legislação vigente, nos termos do novo Código Florestal que, após cinco anos de regulamentação, traz resultados expressivos. Estudos realizados pela Embrapa – Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária e pela Nasa confirmam o aumento da recuperação ambiental no Brasil. “A legislação de 2012 trouxe um cenário de clareza e transparência das relações produtivas com a defesa do patrimônio ambiental brasileiro”, avaliou Tereza Cristina.

PRA

O PRA – Programa de Regularização Ambiental corresponde à adequação das APP – Áreas de Proteção Permanente e de RL – Reserva Legal de propriedades rurais, por meio de recuperação ou compensação, firmando um TAC – Termo de Ajuste de Conduta.

A adesão ao programa permite converter as multas em serviços ambientais para reparar o dano causado antes de 22 de julho de 2008. Este marco foi usado na aprovação do novo Código Florestal (Lei 12.651/2012), porque corresponde à edição do decreto do mesmo ano que definiu o que são infrações administrativas ambientais.

 

03 de janeiro de 2019 - Notícia - Portal NippoBrasil




 Notícias
21/05/2019
Toyota e Panasonic e anunciam joint venture no setor de desenvolvimento urbano
14/05/2019
JICA Yokohama e Universidade de Kyushu promovem treinamento de Nutricionistas
08/05/2019
Definido o Cronograma do Processo Seletivo 2020 das Bolsas de Estudo MEXT
07/05/2019
O Centro Cultural BB e Fundação Japão realizam Mostra de Cinema japonês
29/04/2019
Reinauguração do Museu da Imigração Japonesa em SP neste dia 30/04
26/04/2019
Escolhidos os finalistas do Concurso de Vídeo em Língua Japonesa da Fundação Japão
26/04/2019
Undokai em Santos celebra início da Era Reiwa, no dia 1º de maio
23/04/2019
Hospital Santa Cruz realiza Campanha de Vacinação contra a gripe em 2019
17/04/2019
Plantão de orientação de bolsas de estudo do Governo Japonês em Curitiba/PR
17/04/2019
Websérie documental aborda a inclusão profissional dos nipo-descendentes no Brasil
16/04/2019
Realização de palestras sobre bolsas de estudo do Governo Japonês em Curitiba/PR
12/04/2019
Udon Matsuri no Osaka Naniwa-kai neste dia 14
29/03/2019
Fundação Japão e Programa de Pós-Graduação da USP promovem o IV Colóquio em Estudos Japoneses
26/03/2019
Abertas inscrições para bolsas de estudo da JICA aos alunos do ensino fundamental e médio, e cursos específicos
12/03/2019
Fundação Japão promove palestra sobre a música popular nipo-brasileira
11/03/2019
Fundação Japão promove curso básico de japonês on-line
26/02/2019
2º Festival Rio Matsuri de 2019

A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippobrasil.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2019 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados

226 usuários online